conecte-se conosco


Tecnologia

Google, Facebook e Apple lançam serviços financeiros e preocupam autoridades

Publicados

em


source
Big techs preocupam autoridades
Unsplash/Azamat E

Big techs preocupam autoridades

A atuação de gigantes de tecnologia como Google, Facebook e Apple em serviços financeiros tem preocupado entidades regulatórias no mundo todo. O receio é que, dado o alcance e a quantidade de dados de clientes que esses grupos reúnem, eles tenham condições de concentrar o mercado e desestabilizar sistemas bancários globais.

Em um artigo publicado em agosto, autoridades do Banco de Compensações Internacionais (BIS), organização global de supervisão bancária, alertaram que bancos centrais e reguladores financeiros no mundo todo precisam urgentemente lidar com a crescente influência das chamadas big techs no setor financeiro.

A organização apontou como exemplo a China, onde duas grandes empresas de tecnologia de pagamentos concentram 94% das transações on-line. Em outros países, empresas de tecnologia também avançam no setor, inclusive emprestando dinheiro para pessoas físicas e pequenas empresas ou oferecendo seguros e gestão de patrimônio.

A moeda digital do Facebook, nomeada primeiro de Libra e agora chamada de Diem, é outra questão que vem levantando polêmicas. A criptomoeda do conglomerado liderado por Mark Zuckerberg foi revelada em 2018, mas sofre resistências de Washington desde então e não foi lançada ainda.

Em agosto, o chefe da unidade de criptografia do Facebook, David Marcus, havia anunciado que a carteira digital Novi estaria pronta para ir ao mercado e poderia ser lançada até o fim deste ano. A ideia é que o Diem seja uma criptomoeda atrelada ao dólar, modelo conhecido como stablecoin, e que possa ser armazenada na Novi.

Recentemente, o jornal The Washington Post informou que executivos do Facebook têm se reunido com altos funcionários do governo de Joe Biden para tentar aplacar as preocupações em torno de seu projeto de criptomoeda, mas a ideia ainda sofre resistência do Departamento do Tesouro, que vê no plano uma ameaça à estabilidade do sistema financeiro global.

Embora a Diem seja formalmente independente, reguladores avaliam que sua associação com o Facebook aumenta esse risco porque o conglomerado, dono de empresas como WhatsApp e Instagram, tem a capacidade de levar seus produtos e serviços a bilhões de pessoas em todo o mundo.

Uma das formas de evitar a concentração dos serviços financeiros pelas big techs pode estar no avanço tecnológico dos sistemas financeiros dos países. No Brasil, por exemplo, o WhatsApp foi autorizado em junho pelo Banco Central a oferecer a todos os usuários o serviço de transferência de dinheiro por meio do próprio aplicativo de mensagens. No entanto, segundo dados da pesquisa Mensageria no Brasil, realizada pelo MobileTime/Opinion Box,  apenas 7% dos usuários de WhatsApp cadastraram um cartão de débito para utilizar a função.

No país do Pix, a novidade não pegou. O sistema de transferências instantâneas do BC foi lançado antes, em novembro de 2020, e caiu nas graças do brasileiro. É um dos principais meios de pagamento atuais, usado por 59% dos adultos, segundo o BC.

Comentários Facebook
Propaganda

Tecnologia

Android 12: usuários reclamam de travamentos e queda de autonomia

Publicados

em


source
Google Pixel 6
Divulgação/Google

Google Pixel 6

Usuários de celulares Pixel, do Google, estão reclamando da atualização para o Android 12. Segundo alguns relatos publicados em fóruns na internet, a nova versão do sistema operacional está cheia de bugs.

Alguns usuários reclamam de aplicativos com travamentos após a atualização para o Android 12. Outros reclamam que a bateria do celular está descarregando muito mais rápido que o comum.

Um usuário de Pixel 5 disse que fez diversas restaurações para a versão de fábrica mas que, mesmo assim, os travamentos continuaram. Outras pessoas ainda se queixaram de que o reconhecimento facial parou de funcionar após o update.

Por enquanto, o Google não comentou oficialmente o assunto nem prometeu correções para as falhas.

Comentários Facebook
Veja Também:  Bezos e Branson parabenizam Elon Musk por lançamento de missão espacial
Continue lendo

Tecnologia

Ficha técnica do Xiaomi Redmi Note 11 vaza com bateria de 5.000 mAh

Publicados

em


source
Imagem oficial do Redmi Note 11
Divulgação/Xiaomi

Imagem oficial do Redmi Note 11

A possível ficha técnica da linha Xiaomi Redmi Note 11 veio a público nesta quinta-feira (21). Espera-se que o Redmi Note 11, Note 11 Pro e Note 11 Pro+ cheguem às lojas modelos com tela de 120 Hz, bateria de 5.000 mAh e processador MediaTek na ficha técnica intermediária.  O trio será revelado ainda neste mês pela Xiaomi.

Os detalhes foram revelados em uma publicação na rede social chinesa Weibo. A começar pela edição convencional, o Redmi Note 11 deve chegar às lojas com tela de 6,5 polegadas com resolução Full HD+ e taxa de atualização de 120 Hz. Além disso, o painel deve trazer um furo para abrigar a câmera frontal de 16 megapixels.

A câmera dupla de 50 MP e 2 MP também deve marca presença. Já a ficha técnica tende a ser formada pelo processador MediaTek Dimensity 810 e bateria de 5.000 mAh com recarga de 33 watts. O celular deve ter três variantes com os seguintes conjuntos de RAM e armazenamento: 4 GB + 128 GB, 6 GB + 128 GB e 8 GB + 128 GB.

Veja Também:  App do HBO Max tem tantos bugs que está sendo refeito do zero

Redmi Note 11 Pro e 11 Pro+ pode ter câmera tripla

A Xiaomi também deve apresentar mais duas edições na nova linha. O Redmi Note 11 Pro está cotado a chegar às lojas com a mesma tela, mas com painel AMOLED em vez de LCD. O conjunto fotográfico tende a ser formado por três câmeras: 108 MP (principal), 8 MP (ultrawide) e 2 MP (profundidade de campo).

Leia Também

A publicação no Weibo ainda dá outras pistas. Entre elas, está o processador MediaTek Dimensity 920, a bateria de 5.000 mAh com recarga de 67 watts e suporte a NFC. O smartphone ainda pode agregar as seguintes opções de RAM e espaço: 6 GB + 128 GB, 8 GB + 128 GB e 8 GB + 256 GB.

Por fim, há o Redmi 11 Pro+. O vazamento sugere as mesmas especificações da variante Pro. Entretanto, o celular da Xiaomi deve trazer o chip MediaTek Dimensity 1200 e recarga de 120 watts. Já a memória RAM de 8 GB seria acompanhado pelo armazenamento de 128 GB ou 256 GB.

Xiaomi Redmi Note 11 tem visual confirmado

A Xiaomi revelou um teaser de seu próximo lançamento nesta quarta-feira (20). A companhia apresentou um pôster de um celular com câmera tripla e a inscrição “Note 11” ao lado. Com base neste último vazamento, acredita-se que a imagem esteja ligada às edições Pro devido à quantidade de sensores fotográficos.

A prévia antecipa outros detalhes. É o caso do visual com bordas retas, assim como o iPhone 13, e o módulo de câmeras que lembra a base do Xiaomi Mi 10 Ultra, lançado em agosto de 2020. Já a espessura do modelo será de 8,3 mm. 

Antes, os celulares já haviam aparecido no catálogo da loja virtual JD. Mesmo que sem listar as especificações, o site revelou os nomes dos três modelos da nova geração: Redmi Note 11 5G, Redmi Note 11 Pro 5G e Redmi Note 11 Pro+ 5G. O lançamento está previsto para 28 de outubro de 2021.

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana