conecte-se conosco


Mato Grosso

Governo investe R$ 140 milhões na construção de pontes de grande extensão para substituir balsas

Publicados

em


O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), investe R$ 140 milhões na construção de pontes de concreto de grande extensão em substituição às balsas, utilizadas na travessia de rios em Mato Grosso.

As obras vão assegurar a melhoria da infraestrutura e logística das rodovias, além da trafegabilidade com segurança, e atendem a um pedido antigo daqueles que necessitam fazer a travessia.

Na região Araguaia, já está em construção a ponte sobre o Rio das Mortes, na MT-326, entre Cocalinho e Nova Nazaré.  A ponte em balanço sucessivo terá 484 metros e essa obra já está em estágio bastante avançado, com o lançamento de vigas da ponte no lado do município de Cocalinho. Ao todo, serão investidos R$ 51,1 milhões nessa obra, que será concluída em abril do próximo ano.

Essa ponte vai garantir maior fluidez na chamada “Rodovia do Calcário”, que interliga vários municípios do Araguaia, e sua construção tem sido bastante celebrada pelos moradores da região, que terão a interligação direta das cidades por asfalto, já que também está em andamento a pavimentação da MT-326.

Já na região Norte, o Governo constrói a ponte sobre o Rio Teles Pires, na MT-325, em Alta Floresta. A ponte terá uma extensão de 546 metros e são investidos R$ 22 milhões nessa obra. Atualmente são executados os serviços preliminares e a previsão é de conclusão em 2024.

Veja Também:  "Governador está desatando nós históricos em Mato Grosso", afirmam representantes dos setores produtivos

Na mesma região, a maior ponte a ser construída está localizada na MT-419, sobre o Rio Teles Pires, na divisa entre Carlinda e Novo Mundo, na região Norte do Estado. A ordem de início das obras será emitida ainda neste mês e a construção da ponte prevê uma extensão de 693 metros. O investimento estimado somente para essa obra é de R$ 67 milhões.

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, a construção dessas pontes para substituir as balsas vai transformar a realidade de Mato Grosso.

São obras que vão garantir trafegabilidade e segurança, além de diminuir os obstáculos ao desenvolvimento do Estado, já que interferem diretamente no direito de ir e vir do cidadão, bem como no transporte e escoamento da produção do agronegócio. Ao todo ainda existem 21 balsas em operação nas rodovias estaduais em várias regiões de Mato Grosso.

“Sem as pontes, a espera para fazer uma simples travessia demora dias e a fila de veículos aguardando chega a quilômetros de extensão. Essa situação irá mudar com a construção das pontes, que são importantíssimas para garantir o fluxo contínuo de veículos, sem nenhuma parada. Este é um governo diferenciado, que está olhando para as necessidades de infraestrutura e logística em todas as regiões e está atendendo as promessas e pedidos antigos em relação a essas obras”, disse.

Veja Também:  Seciteci divulga edital para contratação de professores temporários

Obra retomada

Além das pontes que vão substituir as balsas no interior do estado, o governo investe em obras para melhorar a infraestrutura dentro da região metropolitana de Cuiabá. Um exemplo é a ponte de concreto em balanço sucessivo sobre Rio Cuiabá, entre os municípios de Cuiabá e Várzea Grande.

A ponte vai ligar os bairros Parque Atalaia, em Cuiabá, e Parque do Lago, em Várzea Grande, e terá uma extensão de 392 metros. A obra foi retomada pela atual gestão do governo após ficar paralisada por mais de quatro anos. Hoje, a obra, que terá um investimento de R$ 40 milhões, já está com 70% dos serviços executados. A previsão é de conclusão em março de 2022.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Governo de MT já pactuou cerca de 90% das doses recebidas; veja quanto cada município aplicou

Publicados

em


O Governo de Mato Grosso recebeu, até esta terça-feira (21.09), 4.374.456 doses das vacinas contra Covid-19 do Ministério da Saúde e já pactuou a distribuição de 3.926.033 doses aos 141 municípios do Estado, ou seja, cerca de 90% do total recebido.

A disponibilização das doses é resultado da soma da primeira e segunda doses ou doses únicas (3.896.285), acrescida das doses destinadas às populações indígenas aldeadas (54.120) e dos arredondamentos técnicos (29.748) necessários para o ajuste volumétrico dos frascos disponibilizados pelo Ministério da Saúde.

É importante destacar que o ranking de aplicação não considera as doses destinadas aos povos indígenas para evitar qualquer disparidade nos dados. Alguns municípios contabilizavam doses aplicadas em aldeias pertencentes a territórios vizinhos e ultrapassavam o limite de 100% da aplicação.

Das 3.926.033 doses disponibilizadas aos municípios, as prefeituras aplicaram 3.246.118 (81,69%), sendo 2.122.061 como primeira dose ou dose única e 1.010.547 como segunda dose. O percentual da semana passada era de 78,02%.

Os 10 municípios que mais aplicaram vacinas, considerando o percentual de doses aplicadas em relação às doses recebidas, foram: Diamantino (94,63%), Planalto da Serra (94,47%), Primavera do Leste (94,00%), Torixoréu (93,85%), Santa Rita do Trivelato (93,49%), Jaciara (92,89%), Alto Taquari (92,24%), Cocalinho (92,07%), Glória D’Oeste (91,73%) e Campinápolis (91,46%).

Veja Também:  Acidentes de trânsito: SAI retoma atendimento em Cuiabá e Várzea Grande

Confira o ranking completo de aplicação das vacinas no Boletim Informativo nº 562 ou no Painel de Distribuição de vacinas Covid-19.

A Vigilância Estadual alertou que a utilização de unidades de segunda dose como primeira dose pode comprometer o esquema vacinal da população do município, considerando o fornecimento e as orientações feitas pelo Ministério da Saúde.

Sobre a distribuição

Na força-tarefa da vacinação, cabe ao Governo do Estado fazer a logística de distribuição, que é definida pela Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT), composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição é feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e do Ministério da Defesa. O Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) também disponibiliza sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

É importante ressaltar que o Governo Federal define o total de doses que cada estado recebe. Essa definição ocorre de acordo com a quantidade de pessoas que pertencem aos grupos prioritários e não pela quantidade absoluta da população.

Veja Também:  Policiais militares entregam flores para mulheres em ruas de Cuiabá
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Em Mato Grosso, 11 municípios estão com risco moderado de contaminação pela Covid-19

Publicados

em


A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) divulgou, nesta terça-feira (21.09), o Boletim Informativo nº 562 com o panorama da situação epidemiológica da Covid-19 em Mato Grosso.

O documento mostra, a partir da página 11, que 11 municípios registram classificação de risco moderado para o coronavírus. São eles: Colniza, Indiavaí, Itaúba, Jangada, Nova Santa Helena, Novo Horizonte do Norte, Novo São Joaquim, Reserva do Cabaçal, Rondolândia, Santa Rita do Trivelato e São José do Povo.

Outras 130 cidades estão classificadas na categoria de risco baixo para a contaminação do coronavírus. Nenhum município foi classificado com risco alto ou muito alto para a Covid-19.

Novo método para classificação

O método para definir a classificação de risco dos municípios foi aprimorado. A mudança foi publicada no Diário Oficial do dia 25 de março de 2021. Desde então, não é levado em consideração apenas o número absoluto dos casos dos últimos quatorzes dias, mas sim a média móvel dos últimos quatorzes dias.

Assim, o município não sofrerá uma mudança brusca de um boletim para o outro; a cidade ficará na mesma categoria por pelo menos duas semanas, conforme sua média móvel de casos.

Veja Também:  Semana da Conciliação: conciliar é a chance de participar efetivamente da solução de um conflito

Também foi aperfeiçoado o cálculo dos casos acumulados. Antes eram considerados os casos acumulados a partir do dia 1º de dezembro de 2020. Com a nova metodologia, a análise será realizada sempre com base nos casos acumulados dos últimos 90 dias.

Confira as medidas de acordo com a classificação de risco

• Nível de Risco MODERADO

a) implementação e/ou manutenção de todas as medidas previstas para o Nível de Risco BAIXO;

b) quarentena domiciliar para pessoas acima de 60 anos e grupos de risco definidos pelas autoridades sanitárias.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana