conecte-se conosco


Saúde

Hemorio lança campanha para incentivar doações de sangue

Publicados

em

O Dia Mundial do Doador de Sangue é comemorado hoje (14) no Rio de Janeiro, com o início da campanha do Hemorio Ingresso Solidário, que vai até 30 de junho. A intenção é estimular a doação de sangue para reforçar os estoques no estado. A celebração se estende ao Junho Vermelho.

Segundo o diretor do Hemorio, Luiz Amorim, este é o mês mais importante para a doação de sangue no planeta. “Por isso, preparamos uma série de iniciativas para inspirar e incentivar a população a participar. Nossa campanha, assim como as anteriores, busca criar conexões com os doadores, mostrando que esse gesto é universal e une a todos por meio da solidariedade”, acrescentou.

Como forma de convocação internacional para a causa, o Monumento ao Cristo Redentor será iluminado na cor vermelha das 19h às 20h. Para ampliar a divulgação, o surfista Pedro Scooby foi convidado para ser embaixador oficial da campanha.

“É muito legal ter a chance de participar de uma iniciativa ‘maneira’ como essa. Doação de sangue é algo fundamental e pode fazer a diferença no momento em que alguém mais precisa. Eu, como profissional de esportes radicais, sei muito bem disso. Que os fãs e pessoas que acreditam no meu trabalho de alguma forma possam estar presentes, participando e compartilhando essa campanha. Vai ser irado” afirmou.

Quem comparecer ao Hemorio, hoje, dia da abertura da campanha, poderá receber um dos 100 vouchers de R$ 30 que estarão disponíveis, uma parceria do instituto com a rede de cinema Kinoplex e a Ingresso.com. Além disso, durante o período da campanha, as pessoas que forem ao Hemorio para doar sangue, inclusive os que não conseguirem por razões de saúde, também poderão levar um acompanhante aos cinemas Kinoplex gratuitamente.

Veja Também:  DF já começou a vacinar crianças a partir de 5 anos contra a covid-19

“Todos que forem ao Hemorio doar sangue, no mês de junho, receberão um comprovante com direito a um ingresso 2×1 Kinoplex, que concederá gratuidade ao acompanhante na compra de um ingresso tipo inteira, exclusivamente nas bilheterias do cinema, em todo o Rio de Janeiro”, informou.

A campanha lança ainda o aplicativo Hemorio+, que segundo o hemocentro facilitará o processo de doação em todo o estado. Vai ser possível obter dados importantes como informações aos doadores sobre os requisitos necessários, acompanhamento dos prazos e tipo sanguíneo. O app já está disponível para os sistemas iOS e Android.

Para facilitar também o deslocamento dos doadores até o Hemorio, em outra parceria, dessa vez com a empresa de transporte 99, serão oferecidos descontos de até R$ 30 em corridas de ida e volta para doar sangue. Já o MetrôRio, disponibilizou 500 passagens para todos que comparecerem ao instituto. Os cartões unitários de embarque poderão ser retirados, por ordem de chegada, ao iniciar os procedimentos para doação.

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) entrou na ação com a campanha Cedae Sangue Bom. Amanhã, funcionários da empresa irão até a sede do Hemorio para doar sangue. “Esta é a terceira campanha que a Cedae realiza em apoio ao Hemorio. Na última, em 2018, foram coletadas 71 bolsas de sangue”, completou, destacando que a companhia também vai distribuir cerca de 250 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, produzidas nos viveiros mantidos pelo programa socioambiental Replantando Vida.

Metas

Segundo o Hemorio, os parâmetros da Organização Mundial da Saúde (OMS), indicam que para manter os estoques regulares é preciso que 1,5% a 3% da população doem regularmente e o Brasil tem hoje 1,8% de doadores. “A doação é fundamental para garantir suporte às principais emergências, maternidades e unidades de saúde doeEstado do Rio”, alertou.

Veja Também:  "Quem decide é o secretário", diz ministro sobre uso do kit covid

É necessário ter entre 16 e 69 anos para doar sangue, pesar no mínimo 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Somente com autorização dos pais ou responsáveis legais é que os jovens de 16 e 17 anos podem fazer a doação. Além disso, devem apresentar um documento de identidade do responsável. O doador não precisa estar em jejum, deve apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes. Quem fizer tatuagem e ou colocação de piercing só pode doar após seis meses. “Lembrando que a perfuração na região oral ou genital ainda segue como impeditivo para doações enquanto houver uso da peça”.

O doador também não pode ter tido hepatite após os 10 anos, nem estar exposto a doenças transmissíveis pelo sangue como sífilis, AIDS, hepatite e doenças de Chagas. Mulheres grávidas ou amamentando e usuários de drogas não podem doar sangue. “Quem foi infectado pela covid-19 pode doar após dez dias do desaparecimento dos sintomas e quem já recebeu a vacina pode doar após sete dias, sendo 48h em caso da Coronavac”, informou.

Quem precisar de mais informações, pode consultar as redes sociais do Hemorio (@hemorio) ou ligar para o Disque Sangue de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 17h, pelo número 0800 282 0708.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

InfoGripe aponta tendência de crescimento nos casos de SRAG no país

Publicados

em

Por

O Boletim Infogripe, divulgado hoje (4) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), aponta a retomada do crescimento no número de casos de Síndrome Respiratória Aguda (SRAG) no país, sendo a maior parte deles, 77,6%, positivos para Sars-CoV-2, vírus causador da covid-19. O boletim desta semana mostra que a possível interrupção do crescimento sinalizada na última edição não se manteve

A análise é referente ao período de 19 a 25 de junho. Nesse período houve crescimento tanto na tendência de longo prazo, considerados os casos das últimas seis semanas, quanto na tendência de curto prazo, consideradas as últimas três semanas.

Segundo o Infogripe, a prevalência entre os casos com resultado positivo para vírus respiratórios foi de 2,4% para influenza A, 0,1% para influenza B, 7,6% para vírus sincicial respiratório (VSR) e 77,6% para Sars-CoV-2 (covid-19). Entre as mortes registradas no período, a presença destes mesmos vírus entre os positivos foi de 1% para influenza A, 0,1% para influenza B, 1,4% para vírus sincicial respiratório (VSR) e 94,5% para Sars-CoV-2 (Covid-19).

Veja Também:  Covid-19: Brasil registra 19,9 mil casos e 114 mortes em 24 horas

Entre os bebês e crianças de 0 a 4 anos de idade, o boletim mostra que os casos de covid-19 se aproximam dos de VSR. Esses dois vírus corresponderam a 36% e 39%, respectivamente.

Os dados mostram que 16 das 27 unidades federativas apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo: Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

Nos estados das regiões Sudeste e Sul há indícios de possível interrupção na tendência de crescimento nas últimas semanas, que devem ser reavaliados nas próximas atualizações para confirmação.  

Apesar do crescimento dos casos de SRAG no país, o boletim mostra que entre a população adulta observa-se sinal de desaceleração, especialmente nas faixas etárias a partir de 50 anos. Nas crianças e adolescentes observa-se manutenção sinal de queda entre os grupos de 0 a 4 e 5 a 11 anos.

Em 2022, de acordo com o boletim, foram notificados 175.110 casos de SRAG, sendo 86.005 (49,1%) com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 65.440 (37,4%) negativos, e ao menos 14.317 (8,2%) aguardando resultado laboratorial.

Veja Também:  Covid-19: Brasil registra 45 mil casos e 143 mortes em 24 horas

Este ano, referente aos casos de SRAG, foram registradas 28.812 mortes, sendo 21.957 (76,2%) com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 5.442 (18,9%) negativos, e ao menos 597 (2,1%) aguardando resultado laboratorial.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Casos suspeitos de varíola dos macacos sobem para 49 no estado do Rio

Publicados

em

Por

A Secretaria de Saúde do Rio informou há pouco que, até este domingo (3), o número de casos suspeitos de varíola dos macacos (monkeypox) notificados no estado subiu para 49. Até a última sexta-feira (1º), eram 39 casos notificados da doença.

Dos 49 casos, 16 foram confirmados, sendo dez pacientes no município do Rio, incluindo o que veio de Londres, Inglaterra, para a capital; três em Maricá, na Região dos Lagos; um em Queimados, residente em Portugal, e um em Nova Iguaçu, ambos municípios da Baixada Fluminense; e um em Niterói, região metropolitana do Rio, que veio da Inglaterra. Dez casos seguem em investigação e 23 foram descartados.

Os casos confirmados e suspeitos são monitorados diariamente pela Secretaria de Saúde e pelas equipes de Vigilância em Saúde dos municípios, informou o órgão, por meio da assessoria de imprensa.

A secretaria lembrou, entretanto, que embora a doença tenha sido identificada pela primeira vez em macacos, o surto atual não tem relação com esses animais. 

Edição: Graça Adjuto

Veja Também:  Rio investe em doses de reforço para acabar com passaporte vacinal

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana