conecte-se conosco


Mato Grosso

Hotéis venderam mais diárias no ano passado

Publicados

em

Os dados do boletim“Turismo em Números” mostram que o setor começa a se estabilizar depois do impacto do pós-copa e da crise econômica. Um dos exemplos está na taxa de ocupação dos hotéis em Cuiabá, que teve uma suave melhoria, representando um avanço em comparação aos dois anos anteriores quando houve redução. Em 2016, a média anual chegou a 53,99% e no ano seguinte, diminuiu para 52,26%. Já no ano passado, a porcentagem se recuperou e alcançou 55,13%.

Para Jefferson Preza, titular da secretaria-adjunta, em 2016 o cenário econômico não era favorável e os estabelecimento foram atingidos pela redução significativa da procura, o que resultou no fechamento de 6 empreendimentos de hospedagem, dos quais dois eram de grande porte. O fato se refletiu nos números de 2017.

Quem optou por reduzir além do sustentável, acabou amargando a falta de dinheiro para honrar com os custos e fechou as portas. Moreno lembra que apesar da queda da média anual, é bom analisar a diferença entre o segundo semestre de 2017 e 2018. Neste período, percebe-se uma leve recuperação monetária de R$182,14 para R$ 184,27. A expectativa é que esta recomposição dos valores continue no fechamento do primeiro semestre de 2019.

Mesmo com aperto de cintos, a empregabilidade conseguiu se manter, principalmente no segmento de alimentação, que segundo os últimos dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), relativos a 2017, empregava 16.786 pessoas. Um número positivo se for levado em consideração que no ano anterior foram 16.088 postos de trabalho. Em segundo lugar no rol de maiores empregadores está o setor de hospedagem, que tem 6.564 funcionários.

Veja Também:  Homicídios aumentam 24% em 10 anos em Mato Grosso

Mais embarques 

O Aeroporto Marechal Rondon teve um aumento no número de embarques em mais de 49 mil passageiros no ano 2018, o que corresponde a 3,3% positivo em comparação à 2017. Em relação aos desembarques, foram 98.934 passageiros a mais que no ano anterior, aumento de 7%. No fluxo total no aeroporto, houve um aumento de 5,15% entre os dois anos

Turismo em números

O secretário-adjunto de Turismo explica que os números são essenciais para as melhorias no setor, bem como a elaboração de políticas públicas para o fomento das atividades. Ele argumenta que atualmente o trabalho ainda é acanhado porque precisa de investimentos. A proposta é transformar o “Turismo em Números” em um observatório do Turismo, estrutura que é disponível em vários estados.

No observatório, haveria uma equipe para copilar os dados vindos de diversas fontes e a partir daí, elaborar estatística e ofertar conhecimento em forma de indicadores para subsidiar quem atua em atividades relacionadas ao setor. Sendo assim, funcionaria como uma espécie de núcleo de inteligência e pesquisa. “O projeto está incluso no nosso programa de trabalho e por enquanto, ainda aguardamos a liberação de recursos para colocar em prática”.

Atualmente, as estatísticas ficam por conta do analista de Desenvolvimento Econômico e Social Leandro Carvalho de Lima. A base de dados são pesquisas nacionais e informações encaminhadas pela rede hoteleira e órgãos públicos. Lima esclarece que mesmo com todas as limitações, tenta sempre agregar novidades ao trabalho em cada uma das edições, que são semestrais e começaram a ser publicadas em 2015.

Veja Também:  Prazo para atualização cadastral de servidores cedidos termina no próximo dia 25

Visita a unidades de conservação

No último semestre, foram incluídos os números de visitantes em Chapada dos Guimarães. O dado é do Instituto de Conservação e Biodiversidade Chico Mendes (ICMbio), que fornece ao governo por meio de parceria. Ao todo, foram 179.709 visitantes no ano passado, sendo que o atrativo mais procurado foi o Véu de Noiva (179.709), seguido da Cachoeirinha e Cachoeira dos Namorados (33.869). Em 2017 e 2016, foram 170.884  e 158.365 turistas respectivamente.

Outra inovação, é a inserção dos dados do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) de Cuiabá. O quadro mostra os valores tributáveis e os impostos pagos pelo setor de hospedagem. Ao todo foram comercializados R$ 75 milhões. Deste montante, R$ 2 milhões foram arredados com impostos. Outros R$ 23 milhões foram empregados pelos turistas em agências de turismo, operadores turísticos e organizadores de excursões.

Serviço

Quem estiver interessado em ver os números na íntegra, bem como o retrospecto do trabalho, está disponível no site da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec): www.sedec.mt.gov.br (turismo) ou neste link. A Sedec está localizada na Avenida Getúlio Vargas, 1.077, bairro Goiabeiras, em Cuiabá. Contato ao telefone: (65) 3613-0036.

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Supostos organizadores do Dia do Fogo são alvos de operação em Colniza

Publicados

em

Sete mandados de buscas e apreensão, expedidos pelo Poder Judiciário em Colniza, município distante 1.042 km de Cuiabá, estão sendo cumpridos neste sábado (13), na Operação Jomeri. Os alvos são pessoas físicas e jurídicas responsáveis, em tese, pela organização da ação criminosa conhecida como “Dia do Fogo”.

A Operação é um desdobramento da ação fiscalizatória realizada no dia 05 de agosto. A iniciativa é desenvolvida de forma conjunta pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco Ambiental), Promotoria de Justiça de Colniza, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), Delegacia Regional de Juína, Delegacia Municipal de Colniza, Grupo de Operações Especiais (GOE), Batalhão de Proteção Ambiental da Polícia Militar e Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema).

De acordo com as investigações, um grupo de indivíduos estaria se organizando para provocar, de forma coordenada, queimadas em áreas de floresta nativa em vários pontos da região de Colniza. O modo de agir seria o mesmo utilizado há três anos, no Estado do Pará, quando a fumaça gerada por queimadas criminosas percorreu milhares de quilômetros pelo território brasileiro.

Veja Também:  Governador: "O Imuniza Mais MT acelerou a vacinação e salvou muitas vidas"

A área total das propriedades investigadas ultrapassa 300 mil hectares, dos quais já se constatou um desmatamento de 50 mil hectares. Os envolvidos na ação poderão responder pelos crimes de associação criminosa, desmatamento e queima Ilegal, crime contra a administração ambiental, dentre outros. A investigação teve início no ano de 2021.

Além das medidas de busca e apreensão, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso instaurou dezenas de procedimentos de natureza cível, buscando a reparação socioambiental pela degradação já ocorrida. O valor total das indenizações é de R$ 421.731.922,05.

Desde a notícia de que ocupantes de uma das fazendas da região promoveriam incêndio criminoso na área, a Sema, por meio da Superintendência de Fiscalização e o Núcleo de Inteligência, Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental e Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros Militar, posicionaram suas equipes na área de forma ostensiva a prevenir e impedir a ação dos infratores, bem como identificar as pessoas ligadas à incitação lesiva ao meio ambiente. Já foram lavrados 18 autos de infração pela prática de desmate ilegal, que correspondem a 50% do desmate para o município de Colniza.

Veja Também:  Governo de MT lamenta morte de Rogério Sachetti

De 08 a 12 de agosto, o Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental aplicou em quatro pontos da região multas de R$ 200 mil por quebra de embargo e de R$ 450 mil desmate ilegal, totalizando R$ 650 mil. Ao todo, foram fiscalizados oito alertas.

Em Mato Grosso, o uso do fogo está proibido desde o dia 1º de julho e a vedação segue até o dia 30 de outubro.

SIGNIFICADO – A denominação da operação faz referência ao nome do antigo psicólogo que estudou sobre o problema da piromania (caracterizada por atear fogo de forma intencional e compulsivamente) e deu origem a todos os recentes estudos e tratamentos sobre citada síndrome.

Fonte: MP MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Verde Novo distribui mudas e realiza palestra para servidores do plano MT Saúde

Publicados

em

Servidores e beneficiários do plano MT Saúde tiveram uma boa surpresa com uma ação do Projeto Verde Novo, do Poder Judiciário de Mato Grosso, que levou 200 mudas de plantas nativas e frutíferas para distribuição na sede da autarquia na manhã desta sexta-feira (12 de julho).
 
Além das mudas, também foi proferida palestra sobre arborização urbana, benefícios das árvores, vegetação e combate à poluição – cuja data de conscientização é marcada pelo dia 14 de agosto.
 
“A saúde com a natureza tem tudo a ver. Nós trabalhamos com a arborização urbana que traz benefícios para a saúde da população. Quanto mais árvores, menos poluição no ambiente, menos emissão de gases poluentes e menos gasto de energia, portanto, uma vida mais saudável que contribui para o meio ambiente”, explicou a palestrante Rosiani Carnaíba, engenheira florestal do Verde Novo.
 
A aposentada Vitória Lina dos Santos mora em uma chácara no Distrito Aguaçu e é beneficiária do MT Saúde. Ela foi resolver algumas pendências do seu plano e aproveitou para pegar mudas de ipê roxo e ipê branco.
 
“Moro em um sítio onde precisamos de árvores nativas para reflorestar, então é bem-vinda essa atitude da Justiça”, afirma.
 
Representando o MT Saúde, o chefe do Núcleo Estratégico de Gestão, Max Leão, ressaltou a importância de levar o tema ambiental para os servidores e o público do plano de saúde.
 
“Fantástica a iniciativa do Tribunal de Justiça com o MT Saúde em função da preservação do meio ambiente, conscientizando todos sobre a importância da manutenção do meio ambiente através do plantio de árvores. Meio ambiente traz saúde e saúde é qualidade de vida”, enfatizou.
 
Lucilene Milot pegou mudas para a mãe e para o irmão, que gostam muito de plantar várias espécies de frutas. “Estou levando acerola, goiaba e amora. Achei muito bom porque os animais agradecem se a gente plantar. Onde plantamos tem muitos macaquinhos que comem as frutas. Acho muito bom e lindo”.
 
Verde Novo – Um projeto do Poder Judiciário de Mato Grosso, idealizado pelo Juvam de Cuiabá, desenvolvido em cooperação técnica com o Município de Cuiabá e o Instituto Ação Verde e patrocinado pelo Grupo Petrópolis, responsável pela doação das mudas de árvores nativas e frutíferas. O projeto Verde Novo também conta com a parceria da TV Centro América e da Energisa, na divulgação.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Imagem 1: Foto horizontal colorida da aposentada Vitória escolhendo as mudas de árvore que vai levar. Ao lado dela está a engenheira Rosiani segurando outra muda, dentre várias que está dispostas ao lado direito. Ao fundo há um banner do MT Saúde e uma tela projetada onde está escrito Verde Novo.
Imagem 2: Foto horizontal colorida de Max abrindo a palestra. Ele está em pé, à frente, e o público está sentado em cadeiras azuis. Ao fundo há um banner do MT Saúde e uma tela projetada onde está escrito Verde Novo.
Imagem 3: Foto horizontal colorida de Lucilene segurando cinco mudas de árvores. Ela está ao lado da engenheira Rosiani e de frente para uma mesa com várias mudas. Há placas separadas onde está escrito ipê roxo, acerola e goiaba.
 
  
Mylena Petrucelli (Texto e fotos)
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Veja Também:  Governador: "O Imuniza Mais MT acelerou a vacinação e salvou muitas vidas"

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana