conecte-se conosco


Mato Grosso

Indústria e agro impulsionam mercado de trabalho temporário em MT

Publicados

em

Contratações cresceram 35% em 2020 e iniciaram este ano no mesmo patamar

O Livre –  Reinaldo Fernandes
(Foto: Burst / Pexels)

Os empregos temporários ganharam mais espaço em 2020 e começam este ano aquecidos. Em Mato Grosso, a retomada forte da indústria, após agosto, e o agronegócio inflacionam o mercado.

A avaliação é do presidente da Associação Brasileira de Trabalho Temporário (Asserttem), Marcos Abreu, que aponta um momento de importação de mão de obra de outros Estados para cobrir a demanda de produtores rurais e da indústria da transformação.

“Está acontecendo algo que nunca aconteceu antes. O comércio, que geralmente procura mão de obra temporário, teve redução no ano passado e a indústria, que em novembro cessa as contratações, está atrás de pessoal”, disse.

Ele explica o cenário na indústria por dois fatores que confluíram, um para o outro. A retomada das atividades em agosto foi surpreendida por uma demanda de pedidos acima das estimativas. É a mesma imprevisibilidade que atingiu o abastecimento com insumo e atrasou as entregas.

(Foto: Elevate / Pexels)

Afastamento por contágio

Paralelamente, os empregados efetivos afastados por causa do contágio pelo novo coronavírus precisaram ser substituídos para não reduzir o fluxo de produção. As situações elevaram a procura por empregados para um intervalo de até seis meses de contrato. 

“O trabalho temporário pode ser realizado por dois critérios: a substituição dos efetivos e para uma demanda complementar, para um determinado período. Ambos estão ocorrendo neste momento”, pontua Marcos Abreu.

O agronegócio tem uma necessidade estendida, que chega à indústria. Segundo a associação, os produtores de Mato Grosso estão com safras atrasadas e estão optando pela contratação de mão de obra temporária, por causa da alta da soja nos Estados Unidos, que torna a compra para atender clientes menos atrativa.

Os frigoríficos e a indústria de alimentos estão no topo de nichos em procura por trabalhadores.E a falta deles tem favorecido a negociação de salários.

Conforme a Asserttem, o ganho não tem ficado abaixo de R$ 1,5 mil em Mato Grosso, enquanto em outros Estados a negociação gira em torno de R$ 1,2 mil.

(Foto: Ednilson Aguiar / O Livre)

Mercado aquecido

A Asserttem diz em pesquisa que mais de dois milhões de pessoas foram contratadas em trabalho temporário no ano passado no país. Houve crescimento de 34,8% na comparação com 2019, ano com 1,4 milhão de vagas. 

O crescimento se deveu principalmente à situação de pandemia, com fechamento de estabelecimentos e perda de faturamento em vários segmentos econômicos. Em janeiro 2021, o mercado continuou a crescer no mesmo patamar em relação ao mesmo mês de 2020.

“O trabalho temporário pode ser realizado até por seis meses. Um dia após esse prazo, o contrato torna-se automaticamente efetivo. Mas, enquanto durar a pandemia e a insegurança sobre a manutenção dos estabelecimentos, o trabalho temporário é uma opção mais viável”, pontua Marcos Abreu.

Também tem crescido no mesmo período, o número de contratos temporários efetivados pelas empresas. O histórico da Asserttem tem média de 15%; mas em 2020 esse fatia subiu para 22% e tender a passar para 25% neste ano.

Fonte: O Livre

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Veja Também:  Delegado Claudinei articula aquisição de viaturas para atender as Delegacias de Fronteiras
Propaganda

Mato Grosso

Mato Grosso apresenta reduções de homicídios dolosos, feminicídios, roubos e furtos

Publicados

em

Apesar do aumento de ocorrências envolvendo drogas, o Estado aumentou a apreensão em 63%, somando mais de 8 toneladas até o momento

Julia Oviedo | Sesp-MT

Na avaliação do secretário Alexandre Bustamente, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos investimentos – Foto por: PMMT,

O estado de Mato Grosso apresentou redução nos principais índices de criminalidade nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2020. Os casos de homicídios dolosos reduziram 7%, com 316 ocorrências, perante 339 no ano passado. Já o número de feminicídios reduziu 30%, passando de 27 casos no anterior para 19 neste ano.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança Pública, vinculada à Adjunta de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Ainda em relação a crimes contra a vida, o roubo seguido de morte teve aumento de 14%, com 14 casos no ano passado e 16 neste ano.

Outros índices que também reduziram foram: roubos (-28%), furtos (-10%), roubo de veículos (-41%) e furto de veículos (-26%). Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, a redução dos principais índices acaba refletindo em uma maior sensação de segurança.

“São números que quando apresentam redução, você consegue perceber um grande aumento da sensação de segurança por parte da população, principalmente relacionado a roubos e furtos, que causam um incômodo muito grande para o cidadão”, disse Bustamante.

Tráfico de drogas

As ocorrências de tráfico e uso de drogas tiveram um aumento de 38% em relação a 2020. Em contrapartida, o número de apreensões de drogas em todo o estado aumentou 63%, passando de 5 toneladas em 2020 para mais de 8 toneladas de entorpecentes apreendidos este ano.

Na avaliação do secretário, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos grandes investimentos, que chegaram a mais de R$ 200 milhões.

“Nós temos a integração e o uso da inteligência como fator forte no estado. E os investimentos que o governo tem feito, com por exemplo um maior número de viaturas, investimentos em radiocomunicação digital, policiais em mais cantos do estado em circulação, possibilitando uma diminuição dos índices criminais”, finalizou Bustamante.

Veja Também:  Falta de repasses federais contribuiu para aumentar déficit do Estado

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Quarta-feira (16): Mato Grosso registra 434.016 casos e 11.549 óbitos por Covid-19

Publicados

em

Há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 83% para UTIs e 42% em enfermaria

Rose Velasco | SES-MT

Um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) – Foto por: Tchélo Figueiredo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (16.06), 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.549 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.096 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.863 estão em isolamento domiciliar e 407.880 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 83,65% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (90.308), Rondonópolis (31.549), Várzea Grande (29.427), Sinop (21.092), Sorriso (15.018), Tangará da Serra (14.872), Lucas do Rio Verde (13.308), Primavera do Leste (11.054), Cáceres (9.359) e Alta Floresta (8.279).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na terça-feira (15.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.533.221 casos da Covid-19 no Brasil e 490.696 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.452.612 casos da Covid-19 no Brasil e 488.228 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quarta-feira (16.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Comentários Facebook
Veja Também:  Jovem de 19 anos é executado a tiros em MT
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana