conecte-se conosco


Mulher

Lojistas de todo o Brasil se reúnem a partir de hoje no Mega Polo Moda

Publicados

em

Mega Polo Moda promove desfiles e palestras
Divulgação

Mega Polo Moda promove desfiles e palestras

Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo no ecossistema fashion, o Mega Polo Moda promoverá, nesta segunda (1) e terça-feira (2), a MFW33, um dos mais esperados eventos do segmento de atacado do calendário nacional.”A Mega Fashion Week completa 17 anos, foi criada junto com o shopping, mas, em 2022, ganha um perfil diferente”, afirma Carlos Eduardo Padula, CEO do Grupo Mega Polo Moda. 

“Será o ponto de partida para um projeto maior que visa apresentar aos lojistas não só as tendências da estação, mas, também, oferecer subsídios para que empreendam com mais assertividade, ampliando seus ganhos e garantindo a perenidade dos negócios”. 

Quer mais conteúdos sobre moda, beleza e comportamento? Agora você pode acompanhar todos os conteúdos do iG Delas pelo Telegram

Serão dois dias de programação intensa, nos quais 150 marcas do Mega Polo receberão compradores de todo o país em clima de festa, com direito a desfiles, presença de profissionais do setor e influencers, orientação de personal shoppers e vantagens comerciais. O ponto alto da programação ficará por conta da Live Trend Verão e do Papo Fashion, que acontecerão na Praça Central do mall. Em duas sessões diárias, às 10h e às 15h, a apresentadora e modelo Dryele Bennettone e o visual merchandiser Leandro Wahler comandarão a Live Trends Verão, com a apresentação dos produtos-chave das coleções das marcas do Mega Polo Moda para a temporada Verão 2022/2023. 


No dia 1 de agosto, às 17h, o Papo Fashion terá a presença de Andressa Favoreto, que ministrará a palestra Triplicando Resultados – Como fazer a gestão das suas compras para obter o máximo de resultado em vendas. 

Formada em Design e Desenvolvimento de Produtos para a Indústria da Moda na London College of Fashion e mestre em Desenvolvimento da Indústria da Moda, Andressa tem mais de 20 anos de experiência na área, realizando pesquisas e metodologias que incorporam sustentabilidade e comércio justo ao universo fashion que já ajudaram mais de 2 mil marcas e varejistas a mudarem seus resultados.

“Eu ajudo negócios de moda a crescerem com rentabilidade e ética, através de metodologias de gestão de produtos e estratégias de compra inteligente”, afirma. 

Na terça-feira, dia 2 de agosto, às 17hs, será a vez de Alzira Vasconcelos apresentar no Papo Fashion a palestra Turbinar as vendas da sua coleção – O passo a passo para uma alta performance de vendas e alavancagem de resultados.

Veja Também:  Mulher gasta R$242 mil em procedimentos estéticos para se parecer com a Barbie

Acompanhe também perfil geral do Portal iG no Telegram !

CEO da primeira escola de negócios do país, Alzira está no mercado de moda há 12 anos, tendo passado por grandes marcas de fast-fashion nacionais e internacionais. Por meio de seus cursos e imersões, já capacitou mais de 5 mil lojistas e empresários. 

Com versão híbrida – presencial e transmissão on-line em todos os canais do Mega Polo Moda -, a MFW33 exigiu investimentos de cerca de R$ 1 milhão. A expectativa de público é grande. Segundo Carla Sabato, diretora comercial e de marketing do empreendimento, deverão passar pelas lojas mais de 3 mil compradores na semana de lançamento e mais de 7 mil ao longo do mês de agosto. “É esperado um aumento nas vendas entre 40% e 50% durante a semana de lançamento”, diz a executiva. “Mais de 30 agências de turismo já confirmaram participação, com a vinda de 60 ônibus de diversas regiões do Brasil”.

Serviço: MFW33 – Mega Polo Moda Dias 1 e 2 de agosto de 2022 Horário: Das 7hs às 17hs Rua Barão de Ladário nº 566/670 – Brás – São Paulo/SP

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Propaganda

Mulher

Não consegue atingir o orgasmo? Você pode ter anorgasmia

Publicados

em

Anorgasmia atinge até 4 em 10 mulheres
Foto: Reprodução/Freepik

Anorgasmia atinge até 4 em 10 mulheres

O desfecho de uma relação sexual, para muitas pessoas, é quando se alcança o orgasmo. Dados do periódico médico “Journal of Sexual Medicine” revelam que o clímax feminino demora cerca de 13 minutos e 25 segundos para acontecer e, para os homens, o biólogo americano Alfred Kinsey constatou que o tempo médio até o ápice sexual era de 2 minutos.

Se, mesmo com estímulos, uma pessoa não consegue atingir o orgasmo, isso pode ser um sinal de um problema fisiológico. A falta de orgasmo, conhecida também por disfunção orgásmica ou anorgasmia, é uma disfunção sexual que impede, atrasa ou diminui o prazer no clímax.

Entre no  canal do iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!

Anorgasmia

O Diário de Obstetrícia e Ginecologia estima que de 20% a 40% das mulheres sofrem de anorgasmia em todo o mundo. Segundo a publicação, uma pessoa pode ter anorgasmia quando sente dificuldade em atingir o orgasmo em 75% das tentativas por até seis meses. 

Segundo a sexóloga Débora Pádua, os estímulos sexuais são ineficazes para quem sofre desse problema: “Uma pessoa que sofre de anorgasmia nunca chega ao orgasmo, nem com o próprio estímulo nem com estímulo de outra pessoa. Elas podem até ter tentado, mas simplesmente não conseguem”.

Na medicina, existem diversos tipos de anorgasmia: a anorgasmia primária, disfunção onde a paciente nunca sequer atingiu um orgasmo; a anorgasmia secundária, quando a paciente tem dificuldade na hora de gozar, e a anorgasmia situacional, que é variável, como quando mulheres conseguem gozar com masturbação mas não com o sexo.

Para a ginecologista do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês, Débora Oriá, uma das causas desse problema é a falta de autoconhecimento, já que muitas mulheres não conseguem reconhecer os sinais do que é, realmente, um orgasmo. “O orgasmo real é definido pelas contrações múltiplas na região pélvica e genital. Ele tem um pico intenso seguido de outras contrações que vão reduzindo a sua intensidade até pararem e após essa sensação, você tem um resultado de relaxamento físico e emocional”.

Causas

Entre as principais causas para não conseguir atingir esse prazer, estão o estresse, o uso de ansiolíticos e antidepressivos, a ansiedade, o trauma sexual, o envelhecimento, o abuso de substâncias químicas e a falta de conhecimento do próprio corpo.

Sem a possibilidade de chegar ao clímax, mulheres com anorgasmia tendem a ficar estressadas e infelizes com os parceiros, além de reprimirem a própria sexualidade.  

“Eu tentava, tentava, mas nada acontecia”, declara Juliana*, advogada que foi diagnosticada em 2019 com anorgasmia. “Sempre que eu arrumava um namorado, eles acabam se frustrando, já que nunca conseguiram me fazer gozar”.

Anorgasmia causa frustração em mulheres e parceiros
Foto: Reprodução/Pixabay

Anorgasmia causa frustração em mulheres e parceiros

“Eu só descobri que não conseguia gozar aos 26 anos. Assumi, depois de perder a virgindade, aos 19, que o sexo iria acabar melhorando por conta da experiência. E acabou até melhorando, sim. Mas o orgasmo, em si, nunca chegava. Me sentia excluída até da rodinha de amigas, porque elas viviam contando experiências e eu não podia falar nada”.

A jovem alega que a impossibilidade de gozar causou verdadeiros problemas em seu relacionamento com Pedro*, atual noivo. “Como eu percebi que eu não ia conseguir chegar ao final em nenhum momento, eu acabei negligenciando meu parceiro. Deixava o sexo para depois, sabe? Foi me estressando de um jeito que eu fiquei cansada. Até que [Pedro] não aguentou mais e pediu para a gente ver uma terapeuta sexual”.

Veja Também:  Receitas caseiras para cuidar da saúde

Tratamento

Por se tratar de uma disfunção sexual, o tratamento pode ser físico e psicológico. Na maioria dos casos, um terapeuta sexual pode ser a solução para a anorgasmia.

Oriá detalha que a anorgasmia pode ser revertida, como foi o caso de Juliana*: “O tratamento é composto por educação e terapia sexual. Ela pode ser feita individualmente ou em casal, pois ela é multidisciplinar”, explica a médica.

Na terepia, os profissionais buscam estimular posições que facilitem o orgasmo feminino, desenvolvem exercícios de Kegel e treinos para assoalho pélvico, além de tratarem a noção do sexo na terapia cognitivo comportamental.

Siga também o perfil geral do Portal iG  no Telegram!

Um dos fatores que auxiliou a vida sexual de Juliana* foi a conversa honesta com seu parceiro. Oriá reflete que a discussão é, também, uma peça essencial para a melhora da anorgasmia: “O parceiro tem que estar ciente dessa situação, né? A falta de comunicação é uma das principais causas da disfunção do orgasmo, então se você não consegue conversar com seu parceiro, é porque ele não conhece o seu corpo”.

A profissional aconselha que o autoconhecimento é primordial: “É preciso se conhecer. Onde está o clitóris? Onde é uretra, onde é a vulva? Quais são os seus pontos de excitação? Um autoconhecimento do corpo é fundamental para o tratamento”.

Brinquedos sexuais são opção para autoconhecimento
Foto: Reprodução/Freepik

Brinquedos sexuais são opção para autoconhecimento

A sexóloga Debora Pádua afirma que também existem alternativas além do sexo e da terapia: “Eu acredito muito nos brinquedos eróticos. No mercado, temos vibradores bem simples, e outros um pouco mais sofisticados. Às vezes, [a falta do orgasmo] pode sim só ser falta de estímulo e de falta de conhecimento”, analisa a médica.

“A mulher tem que se permitir sentir prazer, se permitir sair do controle da situação. Eu acho que isso faz uma grande diferença, e é isso que eu percebo nas minhas pacientes. Não adianta usar um vibrador se ela não tem vontade alguma de conhecer o orgasmo como ele é. É necessário se permitir”, finaliza.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Composto de colágeno idêntico ao do corpo humano chega ao Brasil

Publicados

em

Marca traz fórmula de colágeno mais potente em opções de chá, bebida e pó para diluição
Divulgação

Marca traz fórmula de colágeno mais potente em opções de chá, bebida e pó para diluição

O Brasil vai ganhar mais uma opção de ingrediente, desta vez totalmente vegano, para cuidar da beleza e, principalmente, estimular a produção de colágeno. Trata-se do VeCollal, um bioidêntico de colágeno que tem o mesmo perfil de aminoácidos encontrados no organismo humano.

Entre no canal do  iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais!

A  proteína produzida naturalmente pelo organismo confere uma série de benefícios para a aparência, mas também para a saúde física. Entre os  benefícios do colágeno para a pele  estão a confecção de firmeza e melhora da elasticidade, que é o que faz com que ele seja um ativo importante para a rotina de skincare.

O bioidêntico chega ao país com a promessa de revolucionar o mercado de nutricosméticos – ou seja, para produtos que prometem intensificar a rotina de beleza de dentro para fora, como as  balas gummies para os cabelos e unhas, por exemplo. Patrícia Brossa, gerente comercial da Aunare, marca responsável por trazer o composto ao país, explica que o VeCollal é uma fonte de proteína muito mais completa do que a encontrada tradicionalmente no mercado.

Siga também o perfil geral do Portal iG no Telegram !

VeCollal estará, principalmente, em produtos alimentícios que ajudam a cuidar da beleza, os chamados nutricosméticos
Divulgação

VeCollal estará, principalmente, em produtos alimentícios que ajudam a cuidar da beleza, os chamados nutricosméticos

Brossa explica que os colágenos de origem animal, que fazem parte das composições atualmente encontradas, não possuem essa similaridade tão forte com o colágeno produzido no organismo humano. Por isso, essas composições acabam precisando de aminoácidos essenciais na composição, como o I-triptofano.

“Por isso trazemos o VeCollal, que é idêntico ao colágeno humano tipo 1 e fornece as proporções perfeitas para a construção natural de colágeno no corpo”, explica a gerente.

Veja Também:  Australiana exibe celulite em fotos e incentiva amor próprio: “Ame o seu corpo”

Outro ponto que ela salienta é a possibilidade de uso por pessoas veganas: “Um colágeno de origem animal não pode ser consumido por veganos, mas um colágeno vegano pode ser consumido por qualquer um. Também temos estudos que comprovam que esse bioidêntico de colágeno vegano é mais funcional devido à biocompatibilidade, pois ele foi desenvolvido para ser idêntico ao colágeno humano”, explica.

Inicialmente, o bioidêntico terá versão em água, pó para diluição e chá, mas Brossa defende que VeCollal é a melhor alternativa para ser implementado em cápsulas, balas gummies, iogurtes, bebidas, snacks, barrinhas e até mesmo soluções dermatológicas e cremes. Para ela, o composto é uma facilidade para diversificar as alternativas do mercado de beleza no país.

“Além disso, o custo deste insumo é praticamente o mesmo do colágeno de origem animal, porém, com a vantagem de necessitar de uma menor quantidade de ingrediente na fabricação dos produtos, o que resulta em um custo e benefício muito melhor”, diz a executiva.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana