conecte-se conosco


Entretenimento

Marcela Porto sobre ‘Mulher Abacaxi’: ‘Minha porta para a transição’

Publicados

em

source
Marcela Porto é a nova Rainha da Acadêmicos do Sossego
Divulgação/Allan Bertozzi

Marcela Porto é a nova Rainha da Acadêmicos do Sossego

Marcela Porto foi anunciada, na última semana, como a Rainha da Escola de Samba Acadêmicos do Sossego, no Rio de Janeiro. A musa, com passagens por diversas agremiações, comemorou o convite, principalmente pela escola ser localizada em Niterói, onde mora. Com exclusividade ao iG Gente, Marcela contou do convite da escola, falou da transição de gênero e o futuro da “Mulher Abacaxi”.

+ Entre no canal do iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

Em meados de 2010, o cenário musical brasileiro viu surgir as famosas mulheres-frutas. Elas eram funkeiras que adotavam o nome de alguma fruta para evidenciar os seus atributos físicos. É nesse cenário que Marcela Porto, a Mulher Abacaxi, ganhou fama. Na época, Marcela ainda não tinha feito a transição de gênero e revela que apenas se travestia para compor a personagem. 

“Ela [Mulher Abacaxi] foi a minha porta para a transição. Eu colocava sempre a culpa nela. Eu justificava para a família e os amigos que eu ia fazer um procedimento por causa dela, que ia fazer as unhas por causa dela”, relembra.


Ao adotar a figura feminina para compor a funkeira, Marcela se encontrou e não teve mais vontade de voltar a usar roupas masculinas. “Eu deixei de ir nas festas de família ou de amigos que me conheceram enquanto menino, eu deixei de ter vida social. Se eu precisasse voltar para a roupa de homem eu não ia. Não me sentia bem”, conta. 

A musa iniciou a transição de gênero em 2018, e contou que o motivo dessa “demora” foi a violência frequente contra a comunidade trans no Brasil. A musa, que é empresária e comanda uma frota de caminhões, abandou a carreira musical após a morte da mãe.

“Eu perdi minha inspiração. Minha mãe sempre gostou de música, mas quando ela se foi eu não tive mais motivos”, explica. Sobre o ofício como caminhoneira, Marcela descartou preconceito por ser uma mulher trans: “Eles foram os que mais me abraçaram”.

Carnaval

Com passagem por diferentes escolas de samba, Marcela Porto já é uma figura reconhecida no carnaval carioca. Neste ano, a empresária foi madrinha da Unidos da Ponte e, na última semana, foi nomeada como rainha na Acadêmicos do Sossego.

Marcela, que mora em Niterói, afirma que essa é a realização de um sonho, já que sempre quis estar em uma escola com sede na cidade onde nasceu. “Era muito difícil os ensaios la [na Unidos da Ponte]. Eu moro em Niterói e a escola fica em São João de Miriti. Então, eu precisava cruzar a cidade, na madrugada, passando por regiões perigosas”, analisa.

Veja Também:  Após 8 anos, Bruno Fagundes volta para Globo em 'Cara e Coragem'

“Aqui em Niterói estão meus amigos, minhas irmãs, as travas, as gays, o meu povo”, brinca. “Estou realizada. Se me convidassem para ocupar o cargo da Paola Oliveira, de rainha da bateria da Grande Rio, eu recusaria”, pontua.

O convite para o reinado se deu pelo presidente da agremiação, Hugo Júnior, que telefonou para Marcela após o fim do último carnaval. “Ele me convidou sem nem dizer o cargo e eu aceitei de primeira. Quando ele disse rainha, então, eu até fiquei surpresa: ‘To com tudo’”, celebra. A mulher-fruta descartou qualquer tipo pagamento pelo cargo.

“É claro que a gente sempre ajuda no dia a dia, compra uma água ali nos ensaios para os componentes, mas nunca precisei pagar por posto não”, garante. Sobre o enredo da Acadêmicos do Sossego para o próximo carnaval, Marcela assume que já existe um tema, mas preferiu guardar segredo, assim como o suposto convite para um reality show de alcance nacional. 


Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Propaganda

Entretenimento

Curaçao: conheça a ilha caribenha de sotaque holandês

Publicados

em

Por

Curaçao: conheça a ilha caribenha de sotaque holandês
Redação EdiCase

Curaçao: conheça a ilha caribenha de sotaque holandês

Confira opções de lazer, gastronomia e turismo em um dos melhores lugares para mergulho no mundo

Por Cláudio Lacerda Oliva

Curaçao é uma ilha paradisíaca que conquista pela diversidade cultural, artística e por toda a beleza das praias e do seu interior. Com uma população de 160 mil habitantes, a Ilha caribenha de sotaque holandês tem características únicas. É colorida, tem boa segurança, é limpa e oferece recantos surpreendentes. Até o ano de 2010 pertencia às extintas Antilhas Holandesas. Atualmente, é um país independente constituinte do Reino dos Países Baixos.

O local é realmente um paraíso. São 34 praias de águas cristalinas com um céu azul estonteante e areia branquinha. Elas se dividem em duas modalidades: públicas e privadas. Se você gosta de uma aventura no mar, os passeios de barco também são uma excelente opção. Várias empresas oferecem o serviço que inclui alimentação e bebidas, além de paradas em lugares estratégicos para ver o destino de um ângulo privilegiado.

Conheça as experiências vivenciadas por viajantes LGBTQIA+ pelo mundo

A história da ilha de Curaçao

Influência holandesa

A influência holandesa de Curaçao é tão onipresente como os edifícios de séculos coloniais. Desde o momento em que primeiro se estabeleceram como classe dominante da ilha , os holandeses tiveram um impacto importante em despertar o interesse de Curaçao para o resto do mundo. O sistema jurídico, educacional e político são holandeses. É a língua ensinada nas escolas e é o idioma do governo e dos negócios.

Os nomes dados inicialmente à ilha (1501), Curasorbo e Curasoto, significavam “trago de bebida para cura” e “matagal de cura”, respectivamente. Assim se entende a palavra Curaçao, como arte de curar. A história também conta que a abundância de laranjas da ilha curava os navegadores do escorbuto, doença muito comum entre eles devido à falta de vitamina C em sua alimentação.

E foi usando as laranjas da terra, e o cravo e a canela do Oriente, que se iniciou a produção do famoso Curaçao Blue. Landhuis Chobolobo é um casarão do século XIX que abriga essa história. Localizado no bairro de Saliña é a sede da destilaria que produz a bebida que leva o nome de Curaçao ao mundo. Lá o turista poderá encontrar uma loja que comercializa mais de 80 itens.

5 estadias aconchegantes na América do Sul para o inverno

Primeiros habitantes da ilha

Os registros históricos e arqueológicos indicam o povo Caiquetio, da família linguística Arawak, como primeiros habitantes da ilha. A chegada dos primeiros exploradores europeus ocorreu em 1499, quando uma expedição espanhola descobriu a ilha durante a viagem de exploração da costa norte da América do Sul.

O domínio espanhol manteve-se durante todo o século XVI. Os espanhóis escravizaram a maior parte da população indígena e, à força, realocaram os sobreviventes para outras colônias, como a ilha Hispaniola, onde os trabalhadores eram necessários. Portugueses, ingleses, franceses e holandeses navegaram pela região aproveitando o relativo desinteresse espanhol pelas ilhas. De fato, a ilha foi abandonada progressivamente, à medida que avançava a colonização do continente.

Comunidade judaica mais antiga das américas

Curaçao tornou-se um importante entreposto comercial do Caribe, responsável pela distribuição de africanos escravizados na região, e marcou o início da cultura açucareira, a exemplo do que os holandeses tentaram fazer na colônia de Recife. Porém, com a expulsão dos holandeses de Pernambuco, em 1654, os judeus expulsos tomaram o rumo de Curaçao, e estes também contribuíram para a formação da comunidade judaica mais antiga das Américas.

Curaçao tornou-se com o tempo um refúgio para judeus que não podiam praticar sua religião nas colônias católicas em plena época da Inquisição. A comunidade judaica de Curaçao teve um extraordinário impacto na economia da ilha, na política e na cultura. Este rico legado é comemorado em Sinagoga Mikvé Israel-Emanuel (Snoa), a mais antiga sinagoga em uso contínuo em todas as Américas.

Dia Mundial dos Oceanos: conheça 7 estadias com vista para o mar

Língua oficial

Situada a apenas 70 km de distância do norte da Venezuela, entre Aruba e Bonaire, sua língua oficial é o holandês, porém, os moradores falam três outros idiomas: espanhol, inglês e o papiamento, um dialeto local. Porém, não é raro encontrar pessoas que falem o português.

Melhor época para visitar

A ilha caribenha possui clima agradável o ano todo e o mais importante: está fora da rota dos furacões. É como se fosse verão o ano inteiro , por isso qualquer época é favorável para conhecer Curaçao, que possui uma longa estação seca entre janeiro a setembro. Já o período de chuvas é bem curto, vai de outubro a dezembro.

Veja Também:  'Power Couple': Brenda repreende Matheus por falar com rival

Como chegar

  • Latam
  • Avianca
  • Copa Airlines

Turismo em Curaçao

Capital de Willemstad

A capital, Willemstad, está dividida em Otrobanda e Punda. A ligação entre as duas partes é feita por uma ponte flutuante, que pode se movimentar quando há necessidade de alguma embarcação passar pelo canal. A história está presente em cada cantinho do destino, já que os fortes usados para proteger a região contra invasões hoje são centros comerciais que agregam lojas e restaurantes. Andar por Punda pode ser uma experiência incrível, especialmente, porque lembra muito a Holanda devido à sua arquitetura que conta com o charme das paredes e construções coloridas.

Canela: conheça um dos melhores destinos na região da Serra Gaúcha

Sea Aquarium

Na ilha uma das atividades mais interessantes é visitar o Sea Aquarium, onde se pode participar da experiência única de nadar com um golfinho. Há toda uma preparação para isso, com o treinador ensinando todas as dicas para lidar com esses dóceis animais marinhos. Esse passeio pode ser realmente emocionante.

As paisagens naturais também são maravilhosas. Há todo um litoral povoado de hotéis resort que oferecem à vista o deslumbre do verde mar do Caribe. Um verdadeiro caldeirão cultural se formou graças à história de Curaçao.

Museus para conhecer a cultura de Curaçao

O país conta com mais de 50 etnias em seu território e tem a maioria de seus habitantes com origens africana e europeia. Entre os moradores, a ilha é carinhosamente apelidada de “dushi korsou”, que significa “Curaçao sweet”. A riqueza cultural é tão grande que a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) incluiu Willemstad, capital da ilha, na lista de Patrimônios Mundiais, em 1997.

Ao todo, são 15 museus que registram a cultura local. Entre os destaques estão os seguintes museus:

Museu de Curaçao

O Curaçao Museu que fica em Otrabanda tem preservado seu estilo colonial e apresenta peças indígenas pré-colombianas, mapas detalhados do Caribe, mobiliários e registros importantes da presença africana na ilha.

5 países para conhecer em uma viagem de carro

Museu de Fort Church

O Museu Fort Church é uma fortificação datada de 1635, que defendeu por décadas as invasões. Lá está a igreja Fort de 1769.

Galeria Ritz

Quem admira artes pode visitar a Galeria Ritz. O espaço, que foi sede de uma famosa sorveteria por 70 anos, hoje abriga uma galeria de arte e um hotel com ótimas exposições.

Kura Holanda

Outro local importante é o Kura Holanda, lugar onde antes funcionou o primeiro hospital para escravos trazidos da África.

Área comercial da ilha de Curaçao
Lojas de compras são atração na Ilha de Curaçao (Imagem: Shutterstock)

Lojas e centros comerciais

Nas proximidades do porto, área ideal para fazer compras, frequentar bares ou restaurantes, as paisagens urbanas são sempre belas: para onde se aponta a câmera do celular, sem dúvida o cenário é belíssimo. As compras podem ser realizadas diariamente. Geralmente as lojas estão abertas de segunda a sábado, das 8h30 às 12h e das 14h às 18h. A maioria delas aceita dólares e cartões de crédito internacionais.

Os vendedores são gentis e atenciosos e falam entre inglês, espanhol, holandês e papiamento, portanto não há dificuldade para se comunicar. Em Punda, há inúmeras lojas que oferecem tudo, desde roupas, perfumes, joias e lembranças. A rua comercial mais importante de Otrabanda – o Breedestraat / Roodeweg – é bastante lotada nas manhãs de sábado.

Nos arredores de Willemstad, existem alguns centros comerciais elegantes como Bloempot Shopping Center, Galerias Salina, Shopping Avenida Center, Zuikertuin e Winkelcentrum 77 no Jan Noorduynweg. Já o Duty Free é uma área cercada de 57 hectares e está localizado junto ao Aeroporto Internacional Hato, a 11 quilômetros da capital. No mercado flutuante é possível encontrar peixes frescos, frutas e verduras frescas ainda comercializadas pelos barcos da Venezuela.

Cunha: conheça um dos melhores destinos para ecoturismo no Brasil

Parque Nacional Sete Bokas

Quem desejar explorar mais o interior do país deve visitar o Parque Nacional Sete Bokas, que desde 1994 ocupa uma área com 200 hectares na costa norte. Tem 10 pequenas praias onde as tartarugas se reproduzem. Bem na entrada fica a Boka Tabla em que as ondas do mar encontram a entrada de uma enorme caverna. Há também duas trilhas para serem exploradas: Boka Pistol e Boka Wandomi.

Veja Também:  Jeniffer Nascimento foi barrada de teste por não ter "perfil europeu"

Parque Nacional de Christofeel

Já o Parque Nacional Christofeel, no extremo noroeste de Curaçao, tem grande fauna e flora e oferece passeio guiado que pode ser feito de bicicleta, carro, a cavalo ou de jipe para explorar um complexo de minas e subir ao ponto mais alto da ilha, o Monte Cristoffel.

Ilhota de Klein Curaçao

Um dos passeios que recomendamos é até a pequena e remota ilhota de Klein Curaçao, que fica a 1h40 de barco partindo da capital do país. É um verdadeiro paraíso perdido no Caribe. O passeio inclui Open Bar, petiscos, frutas, equipamentos para mergulho e um completíssimo buffet. Existem mais de 4 empresas que operam esse roteiro, mas indicamos a Bluefinn Charters. Dá até pra ver os golfinhos acompanhando o barco.

A ilha é fantástica e bem pequena. O maior espetáculo é o maravilhoso degradê de azuis que vão do royal ao piscina, sem falar na areia que mais parece açúcar. Em Klein Curaçao existe um farol e um navio naufragado, cenários perfeitos para ótimas fotografias e a possibilidade de ver muitas tartarugas nadando livremente, além de uma quantidade e variedade enorme de peixes coloridos e de diversos tamanhos.

Campos do Jordão é o destino mais procurado para férias de julho

5 praias para conhecer em Curaçao

As praias de Curaçao são o cartão-postal do país. Mesmo que existam muitas opções de passeios, elas são as verdadeiras protagonistas. Com águas tão azuis e um clima que parece abraçar a todos, não havia como ser diferente. São nada menos que 34 praias, mais de uma por dia do mês. Entre públicas e privadas, elas atendem a todos os gostos e muitas delas são verdadeiras piscinas.

1. Playa Kalki (pública)

Também conhecida como “Alice no país das maravilhas”, a praia é a queridinha dos mergulhadores. Kalki significa calcário e o nome se refere aos corais do mar, abundantes no local. A praia tem muitas pedrinhas e, por isso, é recomendável usar uma sapatilha.

Praia de Groot Knip
Praia de Groot Knip (Imagem: Shutterstock)

2. Groot Knip (pública)

Entre as praias públicas, esta figura entre as mais bonitas e procuradas. Há um mirante que oferece a vista ideal de toda a praia e garante fotos ótimas. As ondas amenas e águas na temperatura ideal fazem com que qualquer um queira ficar ali para sempre.

3. Playa Fortil (pública)

Pouco frequentada por turistas, a praia Fortil é ideal para quem deseja um passeio mais tranquilo. A faixa de areia é pequena e a praia fica ainda mais interessante vista de cima.

4. Klein Knip (pública)

Praia tranquila e isolada, é recomendada para quem busca os grandes resorts. As águas de Klein Knip parecem ter 50 tons de turquesa. A beleza do local é realmente de tirar o fôlego.

México: 4 lugares incríveis que você precisa conhecer

5. Playa Jeremi (pública)

Se for viajar com crianças, essa praia é ideal. Pequena e com águas tranquilas, possui um mirante de madeira. Há cadeiras para alugar e uma pousada com restaurante próxima à faixa de areia.

Locais para se hospedar

  • Hilton Curaçao – é um empreendimento mais sofisticado
  • Brion Hotel – serve para quem deseja uma hospedagem mais tranquila e fica simplesmente na cara do gol, bem no centrinho agitado e colorido da cidade, com fácil acesso a museus, lojas comerciais e restaurantes para todos os gostos e bolsos.

Gastronomia de Curaçao

Curaçao também encanta o paladar. A gastronomia apresenta uma mescla multicultural com influências europeias, africanas e até asiáticas. Por isso, oferece uma grande seleção de restaurantes saborosos. Como é de se esperar, eles apresentam uma grande variedade internacional, bem como a cozinha local , como o BlackJack Bar Curaçao e o Noir Coquetel Bar. Outro bom restaurante é o Blue Wiew Sunsut Terrace, especializado em frutos do mar. Peça o camarão da casa e para fechar o Zest Curaçao, um dos mais assertivos da nossa escolha.

Texto originalmente publicado na revista Qual Viagem (Edição 99, Ano 8, Maio 2022).

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Entretenimento

Marcos Oliveira, ‘Beiçola’, agradece Tata Werneck por pagar tratamento

Publicados

em

Por

Marcos Oliveira, o Beiçola, agradece Tatá Werneck e diz:
Ana Cláudia Nogueira

Marcos Oliveira, o Beiçola, agradece Tatá Werneck e diz: “É trabalhoso e é constrangedor”

Marcos Oliveira, conhecido por interpretar ‘Beiçola’ em ‘A Grande Família’, agradeceu a apresentadora Tatá Werneck por te-lo ajudado no tratamento de saúde. Nesta sexta-feira (1), o ator revelou que esta aguardando internação para realizar uma cirurgia para tratar a fístula na uretra. 

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Veja Também:  Taylor Swift surpreende os fãs ao lançar nova faixa "Carolina"
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana