conecte-se conosco


Saúde

Mortes durante ou após corridas de rua acendem o alerta para a importância do check-up

Publicados

em

Cardiologista afirma quem tem uma vida ativa no esporte deve ter em mente o check-up como um ato de sensatez

O crescimento do número de corredores amadores e profissionais revela que tem aumentado a preocupação da população com a saúde e o bem-estar. No entanto, muito mais importante é que antes de iniciar este tipo de prática o desportista se submeta a uma avaliação médica a fim de evitar eventuais problemas que podem ir de um mal estar à morte súbita.

Em Cuiabá (MT), uma advogada morreu em 2015 na linha de chegada de uma corrida de rua e agora em 2020 um ex-agente penitenciário passou mal durante uma tradicional corrida de rua e morreu ao terminar o percurso.

“Quem tem uma vida ativa no esporte deve ter em mente o check-up como um ato de sensatez”. O alerta é do cardiologista Max Wagner Lima que atua em Mato Grosso e é conselheiro do Conselho Federal de Medicina (CFM).

“Mesmo que a academia ou centro de treinamento não exijam a atestado médico, realizar exames para verificar a saúde do coração é uma precaução, já que o check-up indica se o órgão tem condições para realizar esforços”, pontua o especialista.

Veja Também:  Ex-prefeito de Livramento é levado às pressas para uma UTI, em VG

Dr. Maxi Lima explica que quando treinamos, as células musculares do coração necessitam de uma maior quantidade de sangue e oxigênio, o que causa o aumento da frequência cardíaca. Antes de submeter o coração a esses esforços regulares causados pela corrida, é melhor ter certeza de que o órgão será beneficiado pelo exercício, e não prejudicado.

 “Os indivíduos que apresentem histórico familiar, como infarto do miocárdio ou acidente vascular encefálico (derrame), devem ter o cuidado redobrado e fazer um check-up cardiológico pelo menos uma vez ao ano”, orienta.

Para os demais, a indicação correta de qual exame realizar e a frequência adequada variam conforme cada caso, cabendo ao médico cardiologista, que acompanha o paciente, estabelecer a rotina e devida prescrição.

Pessoas que exercem atividade laboral (trabalho) que ofereçam riscos a outros, como pilotos de avião e motorista de ônibus, também devem se submeter a esses exames com regularidade, de acordo com o médico.

O especialista observa ainda que pessoas que sofrem desmaios, desconforto e dores no peito ao praticar atividade física ou em repouso, que sentem palpitações, que queiram iniciar atividade física e sair do sedentarismo, além dos atletas profissionais, devem sempre contar com o acompanhamento do cardiologista, pois, vale lembrar que a avaliação rotineira é fundamental para prevenção de doenças cardiovasculares.

Veja Também:  Mato Grosso tem a pior distribuição de médicos do Centro Oeste, diz IBGE

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Segunda-feira (15): Mato Grosso registra 234.154 casos e 5.485 óbitos

Publicados

em

Há 288 internações em UTIs públicas e 296 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 68% para UTIs adulto e em 34% para enfermarias

Rose Velasco | SES-MT

Um total de 203.247 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) – Foto por: Tchélo Figueiredo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta segunda-feira (15.02), 234.154 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.485 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.063 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 234.154 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 7.534 estão em isolamento domiciliar e 220.109 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 288 internações em UTIs públicas e 296 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 68,09% para UTIs adulto e em 34% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (49.663), Rondonópolis (17.060), Várzea Grande (14.982), Sinop (12.181), Sorriso (9.923), Tangará da Serra (9.719), Lucas do Rio Verde (8.957), Primavera do Leste (7.007), Cáceres (5.310) e Nova Mutum (4.868).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 203.247 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 280 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

No último domingo (14), o Governo Federal confirmou o total de 9.834.513 casos da Covid-19 no Brasil e 239.245 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 9.809.754 casos da Covid-19 no Brasil e 238.532 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de segunda-feira (15).

Recomendações

Já há uma vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Veja Também:  MT tem cerca de 500 respiradores para atender pacientes graves de coronavírus, diz secretário

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Quinta-feira (11): Mato Grosso registra 230.485 casos e 5.401 óbitos

Publicados

em

Há 277 internações em UTIs públicas e 289 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 68% para UTIs adulto e em 33% para enfermarias

Rose Velasco | SES-MT

Um total de 198.926 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) – Foto por: Tchélo Figueiredo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quinta-feira (11.02), 230.485 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 5.401 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.173 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 230.485 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 7.511 estão em isolamento domiciliar e 216.567 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 277 internações em UTIs públicas e 289 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 68,91% para UTIs adulto e em 33% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (49.038), Rondonópolis (16.356), Várzea Grande (14.809), Sinop (12.008), Sorriso (9.790), Tangará da Serra (9.609), Lucas do Rio Verde (8.898), Primavera do Leste (6.893), Cáceres (5.285) e Nova Mutum (4.807).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 198.926 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 699 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última quarta-feira (10), o Governo Federal confirmou o total de 9.659.167 casos da Covid-19 no Brasil e 234.850 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 9.599.565 casos da Covid-19 no Brasil e 233.520 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de quinta-feira (11).

Recomendações

Já há uma vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Veja Também:  Mato Grosso tem a pior distribuição de médicos do Centro Oeste, diz IBGE

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana