conecte-se conosco


Carros e Motos

Moto movida a célula de hidrogênio da TVS antecede futuro no segmento

Publicados

em


TVS tem investido quer sair na frente e lançar tecnologia de células de hidrogênio como combustível alternativo
Divulgação

TVS tem investido quer sair na frente e lançar tecnologia de células de hidrogênio como combustível alternativo

Não é de hoje que se fala sobre a tecnologia das células de hidrogênio como um combustível alternativo na era espacial, mas este cenário vem mudando com o avanço nos estudos e o apoio do governo.

Só como exemplo, internacionalmente, os governos estão convergindo para 2035 para o fim das vendas de veículos emissores de CO2, e as autoridades do Reino Unido esperam uma saída ainda mais cedo para motocicletas da classe 125cc com motor a combustão, sugerindo uma data limite para 2030.

Empresas como Honda, Suzuki e Yamaha já demonstraram protótipos de motos de célula de combustível de hidrogênio há mais de uma década, mas até o momento parece ter havido pouco desenvolvimento desde então.

Veja Também:  Ferrari revela imagem oficial no SUV Purosague da linha 2023

Diferente delas, a indiana TVS , empresa gigante da fabricação de mais de 2,5 milhões de bicicletas por ano e proprietária da Norton e parceira da BMW na produção dos modelos G310, está desenvolvendo um  scooter de célula de combustível simples e de baixo custo que pode chegar ao Reino Unido.

Moto movida por célula combustível precisa de um sistema de abastecimento por questões de segurança
Divulgação

Moto movida por célula combustível precisa de um sistema de abastecimento por questões de segurança

No caso deste modelo em especial, o scooter conta com design único e possui, entre outras facilidades, a montagem e manutenção como suas prioridades. O hidrogênio é armazenado em dois recipientes presos ao tubo inferior dianteiro do quadro, à frente das pernas do piloto, facilitando a instalação e remoção.

Estes tanques ligados por tubulação possuem bocal de abastecimento na frente. Atrás deles está uma bateria, sob o estribo, que fornece desempenho extra, além de atuar como um repositório de energia regenerativa (desaceleração ou frenagem). A célula de combustíve l recarrega enquanto as demandas de energia são menores.

Veja Também:  Nova gasolina aditivada melhora economia e vida útil do motor

Já a bateria de células de combustível fica embaixo do assento, o que facilita a instalação, caso seja necessário retirar para manutenção. Outros componentes do sistema de combustível inclui regulador de pressão, medidor de vazão e válvula de fechamento, estão abaixo dele, perto do pivô do braço oscilante.

A patente da TVS não mostra detalhes do motor em si, mas é provável que seja uma unidade montada no hub, semelhante à de 4,4 kW da scooter elétrica a bateria TVS iQube existente.

Segundo a fabricante, enquanto o iQube pode fazer 96 km antes de parar para uma recarga de 4,5 horas , uma versão de célula de combustível pode ser reabastecida em segundos a partir de um posto de abastecimento de hidrogênio.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Mini traz 15 unidades da série Pat Moss Edition do John Cooper Works

Publicados

em


Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em  uma prova de rali
Divulgação

Nome de Pat Moss é uma homenagem a piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em uma prova de rali

A Mini anuncia que vai trazer ao mercado brasileiro a série especial do John Cooper Works batizada de Pat Moss, em homenagem à piloto britânica que deu à Mini sua primeira vitória em um rali internacional, há 60 anos.

De acordo com a fabricante inglesa, o modelo tem apenas 800 unidades espalhadas em todo o mundo, sendo que apenas 15 serão destinadas para pré-venda no Brasil ao preço de R$ 318.390 , com as primeiras entregas programadas para setembro. 

Disponibilizada na cor Preto Midnight para a carroceria e teto multitone de três cores (Preto Jet, Cinza Melting e Vermelho Chili), o hatch agrega faixa branca no capô além da assinatura da Pat Moss no para-choque dianteiro. 

Veja Também:  Perto do fim de produção, VW Gol retorna à liderança do mercado

Por dentro, além da assinatura da piloto, há também sistema de som da renomada Harman/Kardon , head up display , painel digital, central multimidia touchscreen de 8,8 polegadas e sistema de navegação integrado.

O motor é biturbo de 2,0 litros de quatro cilindros de 231 cv e torque de 32,63 kgfm e a transmissão de 8 velocidades. Segundo a fabricante, de 0 a 100 km/h são feitos em 6,1 segundos e a velocidade máxima é de 246 km/h.

Pat Moss e a navegadora, Ann Wisdom venceram no Rally de Monte Carlo em 1964, 1965 e 1967 e décadas depois, a vitória geral no Paris-Dakar quatro vezes seguidas (2012 e 2015), além de mais duas gerais (2020 e 2021).

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Kawasaki terá motos elétricas baseadas nos modelos Z125 e Ninja 125

Publicados

em


Kawasaki EV Project: marca japonesa também se rende à nova era da eletrificação com novos modelos nos planos
Divulgação

Kawasaki EV Project: marca japonesa também se rende à nova era da eletrificação com novos modelos nos planos

A era da eletrificação aos poucos está abocanhando o segmento das motos e nem mesmo os modelos de apelo emocional estão escapando da tecnologia que veio para ficar.

Uma prova desta teoria está no anúncio feito no final de 2021 pelo CEO da Kawasaki, Hiroshi Ito, confirmando que 2022 seria o ano em que a empresa entraria no mercado de motos elétricas .

A Kawasaki é uma das marcas mais tradicionais e que agora vem investindo cada vez mais em projetos voltados para a eletromobilidade. Documentos publicados no site da National Highway Traffic Safety Administration nos EUA reforçam que a empresa japonesa vem trabalhando em duas motos elétricas para 2023 de codinome ‘NX011AP’ e ‘NR011AP’.

Veja Também:  Mini traz 15 unidades da série Pat Moss Edition do John Cooper Works

A designação segue o padrão usual da Kawasaki, com ‘X’ no segundo lugar usado para denotar uma moto esportiva e ‘R’ para um roadster nake (sem carenagem), mas o ‘N’ inicial é novo e significa ‘Elétrico’ no protocolo de nomenclatura da Kawasaki.

De acordo com o documento no site da NHTSA cada um deles produzirá 11kW (15cv) , e pelas imagens, serão máquinas mecanicamente idênticas, diferenciando-se apenas por uma ser carenada e outra sem carenagens (naked), nos moldes da Z125 e da Ninja 125 , mas com energia elétrica.

Os nomes dos modelos de showroom ainda não são conhecidos, mas a Kawasaki já registrou os títulos Ninja E2 e Ninja E2-R. Tudo será revelado na íntegra ainda este ano, provavelmente na feira EICMA de novembro em Milão , onde o protótipo elétrico apareceu pela primeira vez três anos atrás.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana