conecte-se conosco


Sem categoria

MT: Batalhão Ambiental resgata mais de mil animais silvestres; 344 voltaram para a natureza

Publicados

em

O Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental atua desde o ano de 1983 em Mato Grosso

Portal da Amzônia

Policiais militares do Batalhão de Proteção Ambiental realizaram, de 1º de janeiro a 26 de dezembro de 2019, 1.050 resgates de animais silvestres. Desse total, 344 já foram devolvidos ao meio ambiente. Durante o ano, a unidade confeccionou 1,8 mil boletins de ocorrência, 963 autos de inspeção, 509 autos de infração, 478 termos de apreensão, 63 de notificações e 106 de embargos e interdições.

Da intensificação do policiamento ambiental, patrulhamento terrestre e barreiras policiais, foram abordados e orientados 51.807 cidadãos, revistados 20.904 veículos e 1.635 embarcações. Desse trabalho resultou a apreensão de 129 veículos automotores empregados na prática de crimes e ou infrações ambientais e de 76 armas de fogo e 1.116 munições intactas, destinadas à captura e abate de animais silvestres.

Foto: Divulgação 

O patrulhamento fluvial, com o objetivo de combater a pesca predatória e proteger a fauna mato-grossense, conseguiu apreender 447 materiais de pesca que estavam sendo empregados em situação irregular, 19 embarcações, 3 motores de popa. Foram ainda apreendidos 108 espinheis, 208 redes, 90 tarrafas empregados para pesca predatória, além de 18 toneladas de pescado irregular e mais 341 peças de peixes, fruto de pesca predatória que resultaram em crimes e ou infrações ambientais.

Veja Também:  Procon orienta consumidores que questionam faturas de energia elétrica

O comandante do batalhão, tenente-coronel Rodrigo Eduardo Costa, afirma que grande parte das ações da unidade são provocadas pelo trabalho ostensivo e através de denúncias. Para o comandante, as armas e munições apreendidas representam menos animais abatidos em ações de caçadores. Ele ainda destacou as 572 palestras realizadas durante o ano.
“Conscientizar crianças e adolescentes é prevenir possíveis agressores da natureza. Vamos continuar fomentando essa atividade, pois acreditamos que mostrar a importância de preservar é garantir o equilíbrio da natureza”.

O Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental atua desde o ano de 1983 em Mato Grosso, nas atividades de policiamento e fiscalização ambiental, na proteção da fauna, flora, recursos hídricos e florestais, das águas e mananciais, na repressão da poluição, caça e pesca ilegal, queimadas e desmatamento não autorizados.
O efetivo é distribuído nas unidades de Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Rondonópolis e Barra do Bugres, municípios que abrangem diversidades de rios, áreas do Pantanal mato-grossense e áreas de fronteira propensa ao tráfico de animais silvestres.

A unidade realiza operações próprias e em apoio a outros órgãos, como a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), além da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Judiciária Civil (PJC-MT), por meio da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema).

Veja Também:  Policiais de Barra do Bugres recuperam veículo roubado e prende homem com mandado de prisão em aberto

Comentários Facebook
Propaganda

Geral

Dos antepassados aos dias atuais: Livro contará história de Vera Capilé 

Publicados

em

Em seus encontros com Vera Capilé, o historiador Luiz Gustavo Lima tem aplicado a metodologia da Tecnologia Social da Memória para realizar pesquisa

Vera Capilé contou saga da família Capilé – Foto de Fred Gustavos

Com base nas diretrizes da Tecnologia Social da Memória, metodologia de pesquisa e registro utilizada pelo Museu da Pessoa (SP), o historiador Luiz Gustavo Lima realiza imersão pelas memórias da artista Vera Capilé. O resultado poderá ser conferido em breve, em livro proposto em projeto documental que a homenageia e que foi selecionado no edital Mestres da Cultura.

Luiz Gustavo tem se encontrado regularmente com Vera e também, participou como ouvinte das gravações do documentário. Este, dirigido por Juliana Capilé. Um terceiro produto é uma coletânea com clássicos da carreira de Vera.

“Nesse processo, começamos pelos antepassados dela. Nossa sorte foi que o pai de Vera, seo Sinjão Capilé, e o irmão Júlio, escreveram um livro que conta a saga da família, desde a saída dos Capilé, do interior de São Paulo até chegar em Dourados, Mato Grosso do Sul, quando com Mato Grosso, formava um único Estado. Isso foi lá pelo final do século 19”.

Então, o registro ancestral é bem fiel. “Sinjão, por exemplo, nasceu na década de 1920 já em Dourados. Então, ela tem esse conhecimento dos primórdios da família, desde Mato Grosso do Sul até a transição para Cuiabá quando bem cedo, ela já começa seu precoce envolvimento com as artes, sempre com o canto, com o teatro”, conta Luiz Gustavo.

O livro segue contando a história de Vera até os dias atuais. As conversas que levavam em média duas horas, foram se desdobrando ao longo de quatro encontros.

Segundo o historiador, dentre os pontos mais marcantes dos relatos de Vera, está a presença muito marcante do pai em sua vida. “Ela esteve sempre muito conectada a ele. Uma figura muito expressiva, um grande orador, político e ainda, um homem das artes, seresteiro, gostava de cantar e tocar violão. Então, há essa facilidade na comunicação, uma das grandes heranças dele para Vera”.

A sensibilidade artística de Vera é tão presente em sua vida que alcança até mesmo a carreira que construiu na Psicologia. “Vera é especializada em psicogerontologia, ciência que se dedica aos cuidados dos idosos e ela se orgulha muito disso e faz com arte”. 

Luiz Gustavo conta que ao ouvir Vera, se emocionava constantemente. “Vê-la construindo a narrativa foi emocionante. Ela carrega uma força descomunal. Tem uma dinâmica da pessoa que entende o valor de sua história. Ao falar e ao seu ouvir, ela vai de certa forma se empoderando ainda mais”.

Para arrematar a coleta de dados, o historiador considera que acompanhar as gravações do documentário foi fundamental. “Ouvi depoimentos de amigos muito próximos, como Ivens Scaff, Jaime Okamura, Vitória Basaia, Glória Albues, Lúcia Palma e o companheiro Waldir Bertúlio, além de amigas de infância e as irmãs que convivem muito perto dela. Os relatos acrescentaram dados complementares”.

O projeto proposto pela produtora cultural Tatiana Horevicht, foi contemplado pelo edital Mestres da Cultura, idealizado pelo Governo de Mato Grosso via Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), em parceria com o Governo Federal via Secretaria Nacional de Cultura do Ministério do Turismo.

Fonte: Lidiane Barros

 

Veja Também:  Problemas mecânicos interromperam a viagem de 801 motoristas que passavam pela BR-163

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Continue lendo

Sem categoria

Vereador Subtenente Marivaldo visita Aldeia Umutina

Publicados

em

O vereador e vice-presidente da casa Marivaldo Marcos de Magalhães, o Subtenente Marivaldo “MDB” esteve em vista na Aldeia Umutina na última terça-feira (26) atendendo ao convite do também parlamentar Lennon Corezomaé “PODEMOS”.

O vereador pode acompanhar os problemas enfrentados pelos Umutinas já na chegada ao atravessar a “balsa” que liga as margens do Rio Paraguai, sua caminhonete teve muita dificuldade para subir e descer da mesma, conforme vídeos abaixo: 

Já na sede o mesmo participou da reunião, onde disse já conhecer parte dos problemas dos índios, aja vista sua trajetória na Policia Militar Ambiental, deu sugestões e se colou a inteira disposição dos indígenas para ajuda-los a cobrar a demanda de soluções discutidas na pauta.

Depois de uma pequena chuva, a travessia de volta pela balsa, ficou ainda mais complicada, ficamos impedidos de retornar por uma questão de segurança, o barranco do rio irregular, molhado e escorregadio deixou o lugar ainda mais perigoso. Foram necessários rodar 107 km atravessando por dentro do território indígena, acompanhando os problemas de transportes, como falta de escoamento de água das estradas, parte muito lisa que necessitam de casacalhamento entre outros até chega a Barra do Bugres, passando pelo município de Denise.    

O parlamentar ficou muito feliz com o tratamento recebido na aldeia, “Me senti em casa, fui muito bem tratado pelos nossos irmãos” pretendo voltar muitas outras vezes e acompanhar de perto toda problemática enfrentada por eles, em busca de solução. Não só o meu gabinete, mas creio que a grande maiorias dos vereadores abraçaram esta causa, frisou ele.

Marivaldo, juntamente com outros vereadores, já estiveram na Secretaria de Saúde, Viação e Obras Públicas, acompanhou os Umutinas em reunião na sede da Prefeitura e Aldeia.

Veja vídeos:

Confira mais fotos:

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Veja Também:  Fogo se alastra em Campo Verde, região de Barra do Bugres
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana