conecte-se conosco


Agronegócio

Mudanças climáticas geram perdas na lavoura

Publicados

em


Defesa Agrícola

Mudanças climáticas geram perdas na lavoura

O assunto foi discutido no segundo dia do Simpósio Técnico Aprosoja, em Cuiabá

18/08/2021

Temperaturas altas, seca ou o oposto, chuvas intensas por um período prolongado são fatores que podem prejudicar a produção dos grãos. Essas mudanças climáticas geram perdas na lavoura em cerca de 40 bilhões de reais no Brasil, por conta da redução de produtividade. O debate sobre o assunto, ocorreu durante o segundo dia do Simpósio Técnico Aprosoja, realizado no Alphaville Buffet, em Cuiabá, promovido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT).

Para minimizar essas perdas o chefe-geral da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Soja, Alexandre Nepomuceno, apresentou na palestra Mitigação dos Problemas das Mudanças Climáticas na Produção de Grãos. Algumas pesquisas e frentes de trabalho desde o nível macro e até as questões práticas foram expostas no encontro. “Do ponto de vista prático é fazer um bom plantio direto, uma boa cobertura de palhada, preservar água no solo, fazer rotação de cultura tudo isso ajuda, você compara um plantio convencional e um plantio direto bem feito, percebe-se que quando há anos de seca, funciona muito, em comparação aos produtores que não tomam esses cuidados. Queremos colaborar com uma visão de como é possível contribuir, antecipando os problemas, e assim oferecermos mais eficiência, produtividade e rentabilidade às atividades no campo”, afirmou Alexandre.

Veja Também:  Importações de soja da China em dezembro saltam 67% na comparação anual

Outro assunto em debate, o Cenário da Produção de Sementes para o Uso Próprio, palestra ministrada pelo engenheiro agrônomo da empresa Germinar Agroanalises LTDA, Marcelo Ribas de Andrade. O decreto lei 10.586/2020, que cria novas deliberações para o uso de sementes próprias, como: a liberação do uso de sementes próprias para até 100% da área do produtor agrícola foram apresentados aos participantes em forma de orientação.

“O produtor deverá informar junto ao sistema SIGEF as inscrições de áreas de produção de sementes próprias, lembrando que deve ser seguido as normas do Ministério da Agricultura, para não haver penalidades. Destacou também as boas práticas no tratamento de sementes, monitoramento da área e o distanciamento exigido. Todas essas técnicas podem ajudar o produtor a ter maior poder germinativo da semente, no desenvolvimento inicial de plântulas (plantas recém-nascidas), entre outros”, explicou Marcelo.

Ainda no Simpósio, a representante do MAPA, Virgínia Carpi, apresentou os Novos Decretos de Sementes, como a certificação, sementes e mudas legais “piratas”, entre outros.

Veja Também:  Para 2020, IBGE prevê recorde de 240,9 milhões de toneladas na safra de grãos

Segue a programação do período da tarde desta quarta-feira (18.08)

14h – Palestra 1 – Panorama das variedades da soja e milho frente as principais problemáticas

15h – Palestra 2 – Manejo de percevejo barriga-verde em milho

16H – Palestra 3 – Manejo da cigarrinha-do-milho e enfezamento na cultura do milho

17H – Palestra 4 – Efeitos de eventos biotecnológicos no manejo de plantas daninhas

Na quinta-feira (19.08)

8h- Palestra 1 – Epidemiologia da Ferrugem da soja

9h- Palestra 2 – Perda de eficiência e estratégias de manejo fungicidas no controle de ferrugem da soja

10h – Palestra 3 – Resistência de plantas daninhas e herbicidas da soja e do milho

11h – Palestra 4 – Controle biológico de pragas da soja e milho produção ON FArm

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Propaganda

Agronegócio

CITROS/CEPEA: Clima quente favorece demanda por laranjas

Publicados

em


Cepea, 24/09/2021 – Segundo pesquisadores do Cepea, a procura por laranjas esteve firme no mercado de mesa paulista nos últimos dias, influenciada pelo aumento das temperaturas em todo o estado. A demanda por laranjas tardias, especificamente, se aqueceu ligeiramente, favorecida pela melhor qualidade das frutas e pelos preços mais atrativos frente aos da pera. Na parcial desta semana (de segunda a quinta-feira), a valência foi comercializada à média de R$ 39,10/cx com 40,8 kg, na árvore, elevação de 5,9% frente à da semana anterior. A pera, por sua vez, foi negociada a R$ 46,76/cx com 40,8 kg, na árvore, avanço de 2,9% no mesmo comparativo. LIMA ÁCIDA TAHITI – A demanda não reagiu significativamente para a tahiti como aconteceu com a laranja. Assim, o baixo calibre segue influenciando negativamente as cotações. De acordo com dados do Cepea, na semana, a tahiti teve média de R$ 30,45/cx com 27 kg, colhida, queda de 8,5% em relação ao período anterior. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Veja Também:  Importações de soja da China em dezembro saltam 67% na comparação anual
Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

FRANGO/CEPEA: Ritmo de vendas de carne diminui; preços recuam

Publicados

em


Cepea, 24/09/2021 – As vendas de carne de frango se enfraqueceram no mercado doméstico nos últimos dias, devido à entrada da segunda quinzena. Na tentativa de fazer a liquidez voltar a crescer, vendedores reajustaram negativamente os preços na maioria das praças acompanhadas pelo Cepea. Mesmo assim, muitos agentes ainda estão otimistas com o mercado, indicando que, de modo geral, o volume de vendas está satisfatório. EXPORTAÇÕES – Segundo relatório parcial da Secex, nos 12 primeiros dias úteis de setembro, 256,6 mil toneladas de carne de frango in natura foram embarcadas pelo Brasil. A média diária está em 21,4 mil toneladas, 34% acima da observada em agosto e 40,5% acima da de setembro/20. Caso os embarques sigam neste ritmo, o total em setembro pode superar o volume recorde, que foi registrado em julho de 2018. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Veja Também:  CAFÉ/CEPEA: Diferencial entre os preços do arábica e robusta chega a 100 reais/saca
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana