conecte-se conosco


Mato Grosso

Mulheres invadem mercado e atuam em negócios tidos como masculinos

Publicados

em

Se lançar no mercado e ser dona do próprio negócio nem sempre é uma decisão planejada, mas vem sendo a opção atualmente de mais de 24 milhões de mulheres no país, conforme pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), principal pesquisadora de empreendedorismo do mundo. A realidade em Mato Grosso não foge à tendência nacional e a força feminina está presente em vários ramos, naqueles tidos como masculino como a indústria, e mais fortemente na prestação de serviço, por meio das microempresas.

O resultado disso são mulheres bem-sucedidas e com maior participação no orçamento familiar, como a empresária Margareth Buzetti, de 59 anos, que representa bem o perfil de uma empreendedora de sucesso que conseguiu se sobressair em um segmento tocado, na sua maioria, por homens. Há 32 anos ela chefia uma indústria de recapagem, recauchutagem, duplagem e vulcanização de pneus de caminhões e máquinas pesadas, a Buzetti Pneus/Drebor, está à frente da presidência da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá (Aedic), onde funciona sua empresa, além de outras 260 indústrias.  

Margareth também é diretora de mercado da Associação Brasileira de Reforma de Pneus (ABR) e participou da equipe de transição da atual gestão do Governo do Estado. A empresária conta que sua trajetória no setor industrial começou há mais de 30 anos quando veio do Paraná para Mato Grosso com o marido.

“Nós começamos a trabalhar juntos e comecei a entender o que é esse mercado. A fazer parte de uma associação de reformas de pneus, a participar de feiras nacionais e internacionais e congressos. Foi isso que me fez gostar desse ramo, que é extremamente importante. Hoje 2/3 dos pneus no Brasil são reformados. Imagine essa quantidade de pneus no meio ambiente. Então essa atividade precisa ser olhada com mais atenção pelos governos”, alerta ela.

Na opinião da empresária, apesar da sua empresa ser de um setor masculinizado, o segredo para atingir o patamar desejado, como o que ela conseguiu, é não criar rótulos. “Eu nunca me importei muito com essa questão de ser mulher num mundo de homens. Você vai fazendo, vai participando, realizando e as pessoas vão te respeitando. E sempre digo: tudo isso foi possível porque tenho o apoio do meu marido, que é um companheiro realmente. Com isso, fica mais fácil”, pondera ela, revelando que é a única mulher na diretoria da ABR e foi a primeira mulher a ocupar a presidência da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá.

A empresária diz que as mulheres são caprichosas e cumprem com as regras de segurança de trabalho mais do que os homens

Atualmente, a empresa de Margareth tem 60 funcionários, muitos deles mulheres, que atuam até em setores considerados pesados dentro da indústria de recapagem. Este mês, em alusão ao Dia Internacional das Mulheres, a diretoria da Associação fará uma programação dentro do Distrito Industrial de Cuiabá, voltado aos colaboradores.

Veja Também:  Solicitação de matrículas web para creches estaduais podem ser feitas na terça-feira (21)

“Vamos fazer palestras nas empresas do Distrito sobre violência doméstica em parceria com a Polícia Militar. A gente sempre fala para as mulheres, mas a gente tem que falar para os homens também porque muitas vezes ele é o agressor. Como essa é uma região que tem muita violência doméstica faremos essa iniciativa. Tem umas 10 empresas que aderiram”, relata Margareth.

Como diretora da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá, ela está incentivando parcerias com a PM para orientar homens e mulheres sobre violência doméstica

Questionada sobre o que a move e a faz realizar cada vez mais dentro da sua área ela é enfática: “minha geração não recebeu nada pronto. Tínhamos que realizar. Você tinha que construir. Meu pai também nos deixou sempre participar e me emancipou muito”, avalia. Para a industrial, isso ajudou a compor sua personalidade empresarial. Além do fato de sempre ter sido curiosa e crítica. Para Margareth essa é sua receita de sucesso.

Voo solo

Apesar de viver em uma realidade totalmente diferente de Margareth, as circunstâncias familiares também acabaram levando Melanie Kallyne Pereira, de 34 anos, formada em Direito, a virar empreendedora. Sua história teve início há sete anos. Na época seu marido trabalhava em uma concessionária na Grande Cuiabá e teve o orçamento reduzido. Diante disso, ela, que na época apenas fazia faculdade, precisou ajudar a complementar a renda da casa.

A ideia de produzir docinhos caseiros foi inspirada na mãe de Melanie, que é funcionária pública, mas fazia doces e acabava vendendo para os colegas no serviço. “Ela ficava até a madrugada fazendo doces. Fazia bolo de pote há 20 anos”, relembra ela, falando do pioneirismo da mãe.

Baseado nessa experiência, nasceu a Doce Mel, ateliê de doces, que funciona hoje na residência de Melanie, em Várzea Grande. Ela trabalha com ajuda do esposo, o qual é responsável pela venda e distribuição das encomendas.

O casal vende doces em várias instituições, incluindo repartições públicas, empresas e no Shopping Popular. Eles possuem ainda uma food bike, usadas em eventos, e atendem encomendas para aniversários. São docinhos variados: brigadeiros (tradicional, branco e com coco queimado), beijinho, bicho de pé, dois amores, olho de sogra, casadinho, pastel de leite ninho, bombons variados e outros produtos.

Veja Também:  Famílias de baixa renda podem solicitar abatimento na conta de energia elétrica

Melanie Pereira fez da dificuldade financeira familiar oportunidade e recentemente conseguiu R$ 20 mil em empréstimo no Desenvolve MT para dar um ‘plus’ do negócio que já é um sucesso

“Hoje faço os doces sozinha e ele vende. Por enquanto somos nós dois e divulgamos bastante também no Instagram. É muito bom ter o próprio negócio. É muito bom não depender dos outros. Tenho um horário flexível, trabalho dentro de casa e estou próxima da minha filha”, avaliou ela.

Melanie relata que inicialmente fazia os doces na casa da mãe, porém a produção foi aumentando e ela precisava de estrutura. Foi aí, que após avaliar, decidiu, juntamente com o marido, construir uma cozinha, climatizada, no fundo da casa para produzir seus produtos. O casal gastou R$ 40 mil na reforma, sendo R$ 20 mil deles de financiamento de um programa estadual de apoio a microempresários, via MT Fomento, hoje Desenvolve MT, agência de fomento ligada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec). “Foi muito bom e mudou nossa vida”, acrescentou.

Agora, Melanie consegue fazer seus doces de forma mais profissional e atender a demanda, que cresce a cada dia. “Pra (sic) mim o que importa é conquistar o cliente. E para isso o segredo é ter produtos de qualidade”, afirma ela, dizendo que sempre procura inovar e aumentar a variedade de itens disponíveis. “No final do mês vou fazer um curso com uma professora de fora que sigo sempre, pois quero entrar no mercado de bolos de aniversário”, revela ela. E para os clientes avisa que neste ano, como em 2018, vai produzir ovos de Páscoa.

Empreendedorismo feminino

Um estudo da Global Entrepreneurship Monitor (GEM), conduzido pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa), aponta que em 2017 haviam 23,9 milhões de mulheres empreendedoras no país, número um pouco inferior aos homens que era de 25,4 milhões. Se considerado os empreendimentos com até três anos e meio de atuação no mercado, a presença feminina ultrapassa a masculina, chegando a 14,2 milhões de mulheres donas do próprio negócio frente a 13,3 milhões de homens. Os dados, segundo especialistas, representam um grande avanço na sociedade e uma conquista quando se refere à emancipação feminina.

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Indea-MT reforça parque tecnológico e implementa ações volantes de vigilância em propriedades rurais

Publicados

em

Ainda neste ano, haverá a implantação de novas metodologias e equipamentos de tecnologia para a modernização das fiscalizações e vigilâncias na região de fronteira

Thielli Bairros | Sedec-MT

Fiscal do Indea MT verifica carga de agrotóxicos irregulares encontrados em propriedade rural – Foto por: Indea MT

 

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea MT) realiza desde o final de 2020 ações de defesa agropecuária por meio do sistema de fiscalização volante e vigilância em propriedade rurais. Nos últimos 60 dias, foram fiscalizados 1.514 veículos, 20.842 animais e emitidos 20 autos de infrações.

Para a presidente do Indea-MT, Emanuele de Almeida, este modelo de trabalho tem apresentado bons resultados. “Os resultados são melhores do que os obtidos pelo sistema adotado anteriormente, onde, por vezes, não era possível obter êxito nas ações em virtude das inúmeras rotas de passagem, que permitiam aos veículos com irregularidades desviarem do posto de fiscalização”, explica.

Somente na última semana, ao realizar fiscalização conjunta em propriedades rurais, os fiscais do Indea-MT verificaram, entre outras irregularidades, o uso de produtos agrotóxicos oriundos de outros países sem o devido registro nos órgãos federais brasileiros. Isso culminou em apreensão de 26 quilos de produtos e na adoção de medidas cautelares, visando tanto a proteção da saúde humana, como do meio ambiente.

Com a verificação da maior eficácia das atividades com fiscalizações volantes, as estruturas físicas dos postos fiscais foram devolvidas ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“O Governo do Estado preza pelo trabalho eficaz, que traga resultados práticos e melhoria no atendimento às demandas. Desta forma, o Indea MT realiza as fiscalizações volantes com mais eficiência como comprovam os números e maior economia”, ressalta César Miranda, secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico.

Ainda neste ano, haverá a implantação de novas metodologias e equipamentos de tecnologia para a modernização das fiscalizações e vigilâncias na região de fronteira, o que contribuirá ainda mais com a eficácia das ações realizadas pelo Indea-MT.

Fonte: Assessoria

 

Veja Também:  PM flagra adolecentes em festa com drogas e bebidas alcoólicas em Tangará da Serra

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Polícias civis deflagram operação de combate à violência doméstica em todo o País

Publicados

em

Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT – Foto por: PCJ-MT

A operação integrada teve início em janeiro deste ano, nos 26 estados e o Distrito Federal. No período de 28 de janeiro a 07 de março, a Polícia Civil de Mato Grosso prendeu 379 suspeitos de crimes de violência doméstica e sexual, além do cumprimento de 51 mandados judiciais (33 de prisão e 18 de busca e apreensão).

Durante este período, as Delegacias da Mulher de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres, Primavera do Leste, Tangará da Serra e Sinop e o Plantão 24h da Capital instauraram 1.633 procedimentos policiais relativos aos crimes registrados e realizaram 3.015 atendimentos a vítimas dos mais diversos tipos de violência doméstica e sexual. 

As ações das delegacias também levaram orientações a vítimas que tiveram o descumprimento de medidas protetivas e foram checadas denúncias sobre crimes no âmbito da Lei Maria da Penha. Todas as ações realizadas envolveram um efetivo de 137 policiais civis, entre delegadas, escrivães e investigadores.

As ações de fiscalização do cumprimento de medidas protetivas contaram com a parceria da Patrulha Maria da Penha, da Polícia Militar.

Conforme dados da Superintendência do Observatório da Segurança Pública de Mato Grosso, no ano de 2020, os casos de feminicídio aumentaram em 59% em Mato Grosso, índice que demonstra a importância de ações integradas na área, mesmo diante da crise de saúde enfrentada, com muitos servidores afastados por ter contraído o coronavírus.

De acordo com a delegada da Mulher de Várzea Grande, Mariell Antonini Dias, que coordenou a operação em Mato Grosso, verifica-se certa sensação de impunidade entre os autores de crimes de violência doméstica e sexual e o trabalho integrado, com a colaboração da imprensa, é fundamental para demonstrar a efetividade da Lei Maria da Penha, bem como o esforço dos profissionais que atuam na área.

Nesta segunda-feira (08), as equipes das Delegacias da Mulher fazem a fiscalização do cumprimento de medidas protetivas de vítimas.

Números parciais do País 

Em todo o País, a Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça contabilizou 44,6 mil denúncias de violência contra a mulher. As Polícias Civis das 27 unidades da federação realizaram 64,9 mil visitas domiciliares, atenderam 108 mil mulheres e instauraram 45,2 mil inquéritos policiais. Foram presos 7.869 agressores e apreendidas 1.151 armas de fogo. 

Os dados totais da operação Resguardo estão sendo contabilizados pelo Ministério da Justiça e serão divulgados ainda nesta segunda-feira.

Fonte: Assessoria

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Veja Também:  PM flagra adolecentes em festa com drogas e bebidas alcoólicas em Tangará da Serra
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana