conecte-se conosco


Mato Grosso

“Não corram riscos desnecessários”, alerta secretário de Saúde de MT

Publicado

Conforme o Boletim Informativo de segunda-feira (04.05), o número de casos confirmados em Mato Grosso é de 344

Carol Sanford | Secom-MT

Fiscalização do uso de máscaras em VG – Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT

Fiscalização do uso de máscaras em VG

Mato Grosso é o terceiro Estado com a menor incidência do novo coronavírus no país. Mesmo com o dado positivo, o Governo do Estado alerta para a continuidade pela população das medidas de segurança para evitar a transmissão do vírus e manter o baixo índice.

Conforme o Boletim Informativo de segunda-feira (04.05) da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o número de casos em Mato Grosso é de 344, sendo confirmados 13 óbitos pela Covid-19. A taxa de mortalidade por milhão de habitantes é de 4%, abaixo da média nacional (6,9%).

As medidas apontadas como forma de minimizar a disseminação da Covid-19 são o isolamento social, para os que podem ficar em casa, e a manutenção das práticas de higiene, sendo o uso de máscaras de proteção e a utilização do álcool 70%, para os cidadãos que precisam sair de casa, assim como a lavar as mãos com água e sabão com frequência.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, aponta que o mês de maio será o de maior enfrentamento da doença, uma vez que os municípios estão flexibilizando a abertura do comércio e volta às aulas.

Veja Também:  Proposta de Max Russi quer disponibilização de boletim de ocorrência on line à vítimas de violência doméstica

“Os números em Mato Grosso foram brandos até agora, porque o Governo antecipou as medidas para evitar a transmissão, como a determinação pelo isolamento social e práticas de higiene lá em março. Fomos o primeiro Estado a determinar o uso obrigatório das máscaras como medida de prevenção. Mas agora vem o desafio, pois com a flexibilização é muito provável que o vírus se dissemine ainda mais do que foi até agora, possivelmente aumentando o número de casos. Por isso peço a todos: não corram riscos desnecessários, adotem as medidas de prevenção e não coloquem a vida em risco”, alerta Figueiredo.

Ele explica que a flexibilização pode ser revista, uma vez que tem relação com o número de casos confirmados e quantidade de leitos hospitalares disponíveis.

“O Ministério da Saúde preconiza as ações que devem ser seguidas por Estados e municípios, conforme a taxa de incidência e ocupação dos leitos hospitalares. Mato Grosso ainda está confortável em relação a isso, já que temos 98 leitos de UTI e 400 de enfermaria disponíveis na rede pública e 21 pacientes internados, sendo apenas 10 em hospitais estaduais. Essas medidas podem ser revistas, já que continuamos trabalhando, e muito, para darmos as melhores condições de saúde à toda a população”, afirma o secretário de Saúde.

Veja Também:  Governador e ministro do Meio Ambiente vistoriam ações de combate aos incêndios no Pantanal

O Ministério da Saúde registrou 105.222 casos de coronavírus e 7.288 mortes provocadas pela doença no Brasil até as 16h30 de segunda-feira (04.05). A taxa de letalidade da doença é de 6,9% no país.

Atualmente, São Paulo concentra a maior parte das notificações, com 32.187 casos e 2.654 mortes. Rio de Janeiro aparece em segundo lugar, com 11.721 casos e 1.065 óbitos. O Estado que registra menos notificações é Tocantins, com 267 confirmações de casos e seis mortes, seguido por Mato Grosso do Sul, com 274 casos e 10 óbitos.

A Região Centro-Oeste, que tem os Estados de Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul, tem a menor taxa de casos, 3,1%. A Região Sul concentra 5,5% dos casos do país, a Norte tem 14,9%, Nordeste, 29,5%, e a Região Sudeste, concentra 47% do total de confirmações.

Boletim diário Ministério da Saúde
Créditos: Reprodução

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Governo Bolsonaro apoia projeto de lei do senador Fávaro

Publicado

Uso de aviões agrícolas no combate aos incêndios florestais foi defendido pelo ministro Ricardo Salles durante reunião da Comissão do Pantanal

Aprovado no Senado por unanimidade e já encaminhado à apreciação da Câmara dos Deputados, o projeto de lei que prevê a contratação de aviões agrícolas para o combate aos incêndios florestais tem o apoio do Governo Federal, de acordo com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Ele elogiou a iniciativa do autor do projeto, senador Carlos Fávaro (PSD-MT), destacando a importância do uso dessas aeronaves para complementar a estratégia de combate ao fogo. Fávaro pediu ao ministro empenho junto à Câmara do Deputados para que o projeto tramite com agilidade também naquela casa.

As afirmações do ministro foram feitas durante sua participação na reunião da Comissão Temporária Externa (CTE) Pantanal, realizada nesta terça-feira (13). O Brasil tem a segunda maior frota agrícola do mundo, com 2,3 mil, e grande parte desses aviões está em Mato Grosso. Como o período seco coincide com a entressafra, em geral a frota agrícola fica parada justamente durante os meses com maior incidência de incêndios florestais. A possibilidade de contratação temporária desses aviões pelo Poder Público foi proposta por Fávaro por meio do PL 4629/2020.

Tecnologia – Salles defende o uso de mais tecnologia, tanto na previsão dos incêndios quanto no combate. “Há, sim, tecnologia para previsibilidade na detecção de queimadas, com base no histórico dos anos anteriores e também na tendência de meteorologia para projeções futuras. Isso se combina a uma estratégia de alocação de equipes e equipamentos, mas é necessária uma complementação desses esforços, não só pelos voluntários, que cumprem um importante papel, mas também pela aviação agrícola, e aqui entra o projeto do senador Fávaro”, explicou o ministro.

Veja Também:  Proposta de Max Russi quer disponibilização de boletim de ocorrência on line à vítimas de violência doméstica

Orçamento – Ele contou ainda que já discutiu o tema com a secretária de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso, Mauren Lazzaretti, que expressou preocupação com os recursos do Estado para essa locação. “O que podemos fazer – e o senador Fávaro colocou bem isso no projeto – é prever a possibilidade de contratação dessas aeronaves agrícolas e utilizar dentro da necessidade e da disponibilidade orçamentária”, disse.

O ministro elogiou também o uso do retardante do fogo, que Mato Grosso já adotou, a exemplo de países da Europa, além de Estados Unidos, Canadá e Japão. Ele afirmou que o Governo Federal acabou de testar o uso do retardante com sucesso na Chapada dos Veadeiros. “Essa é uma questão que precisa ser encarada de frente, pois a visão de que o emprego de tecnologia não é salutar é uma visão equivocada”, defendeu Salles.

De acordo com Fávaro, a inclusão dos aviões agrícolas nos planos oficiais permite um enfrentamento dos incêndios de forma muito mais adequada, pois o problema vem se tornando cada vez mais complexo. “São aviões utilizados para aplicação de defensivos e fertilizantes, portanto extremamente eficazes no combate aos incêndios florestais, possibilitando o lançamento de água e de retardantes de fogo com agilidade, precisão e segurança – e com pilotos treinados em manobras complexas”, explica.

Veja Também:  Seplag retoma programa de promoção à vida saudável do servidor

Custo Otimizado – Com o uso da aviação agrícola, em vez de comprar aviões, contratar pilotos e arcar com todo o custo de instalações, manutenção, treinamento e pessoal (estrutura que ficaria ociosa durante a maior parte do ano), o poder público terceirizaria plantões e horas voadas somente nos meses de incêndios. Isso seria implantado como parte de um sistema, que atuaria com equipes de brigadistas em solo e também com estrutura de detecção rápida dos focos de incêndio, capaz de gerar um salto enorme de qualidade e de efetividade nas ações de combate aos incêndios no Brasil.

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Casal é pego em ato obsceno dentro de igreja em São José dos Quatro Marcos

Publicado

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939

Maricelle Lima Vieira | PMMT

– Foto por: PMMT

Policiais militares da 3ª Companhia em São José dos Quatro Marcos (a 315 km de Cuiabá) prenderam na madruga de terça-feira (13.10), um homem e uma mulher por ato obsceno.

A informação chegou via 190 que um casal estaria tendo relações sexuais na igreja matriz da cidade. Um morador teria sido ameaçado de morte por ter advertido a dupla. O coito pode ser visto por várias pessoas que passavam pelo local.

A equipe foi até a igreja e presenciou o casal praticando o ato libidinoso. Os dois receberam voz de prisão.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Veja Também:  Proposta de Max Russi quer disponibilização de boletim de ocorrência on line à vítimas de violência doméstica

Fonte: Assessoria

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

COM OS NOMES QUE SURGEM COMO PRÉ-CANDIDATOS A PREFEITO EM BARRA DO BUGRES VEJO QUE...

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Esportes

Mais Lidas da Semana