conecte-se conosco


Mulher

Os 10 principais inimigos da pele e como combatê-los com skin care

Publicados

em


source
Saiba como combater os principais inimigos da pele com skin care
Pexels/Anna Shvets

Saiba como combater os principais inimigos da pele com skin care




Ter uma rotina skin care é de extrema importância para manter a pele bem cuidada, bonita e saudável. Os cuidados devem ser sempre reforçados, já que existem diversos fatores internos e externos que podem impactar na qualidade e na saúde da pele a curto, médio e longo prazo.

Cada ingrediente da composição dos produtos de cuidados com a pele  são importantes para melhorar determinados aspectos, sendo que alguns deles podem ser fortes aliados para combater os principais inimigos da pele. Sem nenhum tipo de cuidado, esses fatores podem causar ressecamentos, rugas e contribuir para o envelhecimento da pele. Conheça quais são os 10 principais inimigos da pele e entenda o que pode ser adotado na rotina skin care para evitá-los.


1- Poluição

Segundo a dermatologista Fernanda Chauvin, especialista em dermatocosmética e CEO Ellementti Dermocosméticos, a poluição pode desencadear processos inflamatórios na pele, que são responsáveis por aspectos como envelhecimento, manchas, rugas e flacidez.

“Os malefícios da poluição podem ser combatidos com produtos à base de Filmexel, um agente que forma uma segunda pele e a protege contra agressores exógenos”, explica a médica. Esse agente também evita que a pele perca água transepidérmica (que pode ressecar a pele) e ainda produz efeito lifting logo após a aplicação.

2- Luz azul

A luz azul é emitida por telas de aparelhos com celulares, tablets e computadores e é invisível a olho nu. “Essa luz prejudica não apenas a saúde da pele, mas também aparência e longevidade. Manchas podem ser ocasionadas”, diz.

O ativo Oxygen Skin pode ajudar a bloquear a luz azul, além de ter efeito clareador e calmante, auxiliando em acnes. Esse componente pode ser usado junto do I-Defender, que combate o envelhecimento e reduz as alterações causadas pelas ondas da luz azul.

3- Radiação UVA e UVB

Dois dos mais conhecidos inimigos da pele, esses raios solares podem causar impactos na pele mesmo em dias nublados e no frio. “A radiação ultravioleta emitida pelo sol produz efeitos prejudiciais como o aumento de risco de câncer de pele e o fotoenvelhecimento cutâneo, que torna a pele espessa, áspera e produz manchas”, aponta Chauvin. A médica também indica o uso do ativo I-Defender para combater os danos dos raios UVA e UVB. Ele deve ser combinado ao uso diário de protetor solar FPS 30.


4- Radicais livres

Os radicais livres são átomos e moléculas naturalmente criadas no organismo e que geram estresse oxidativo na pele. “Com a exposição excessiva aos agentes externos que causam danos à pele, também chamados de exposomes, há aumento dos radicais livres”, diz a médica. O resultado dessa reação é o envelhecimento precoce.

Chauvin explica que eles podem ser balanceados com o uso de produtos e consumo de alimentos antioxidantes . Além disso, invista em uso recorrente de  Vitamina C e Resveratrol — que confere mais firmeza e colágeno e menos manchas na pele.

Você viu?

5- Poluição térmica

A médica explica que a poluição térmica pode ser encontrada até mesmo dentro de casa e provém de afazeres domésticos do cotidiano, como exposição ao ferro de passar, ao fogão e até mesmo durante banhos quentes. “Essa poluição causa aumento da vasodilatação e da inflamação na pele, assim como desidratação e aumento da oleosidade. Também pode causar um aumento da formação de melanina, gerando manchas.”

Isso ocorre porque o calor em excesso afeta as barreiras de proteção de altas temperaturas do corpo, conhecidas como Proteínas do Choque Térmico. A alta exposição pode impactar na diminuição dessas proteínas ao longo da vida.

Para auxiliar em suas composições, Chauvin indica o uso do ativo natural Eucoolan, extraído da planta Eucommia. “O Eucoolan trabalha na redução do dano causado pela agressão térmica na pele, gerada pela radiação infravermelha. Além disso, ele possui ação anti-inflamatória, causando efeito de resfriamento na superfície da pele e ajudando a equilibrar a homeostase”, afirma.

6- Poluentes indoor

Os poluentes indoor são aqueles causados em ambientes fechados, principalmente em casa. Alguns deles são produtos de limpeza, poeira e ácaros. Chauvin diz que é possível combatê-los ao combater o ressecamento e a sensibilidade do tecido cutâneo.

Para isso, vale a pena investir em produtos com Neurofense na composição. O Neurofense é um agente natural extraído da sálvia vermelha que protege peles sensíveis e hiper reativas, aumentando a resposta imunológica da pele. Também pode ser utilizado o D-Pantenol, que regenera e umecta a pele, conferindo mais maciez e elasticidade.

7- Medicamentos

Seja os preventivos ou utilizados em longos tratamentos, os medicamentos podem causar diversas reações na pele, principalmente nas mais sensíveis. Para auxiliar, Chauvin indica o uso de fórmulas neuro-calmantes. O Neurofense e o D-Pantenol também são indicados nesse caso.

Além disso, podem ser utilizados os ativos Beta-Glucan, que reforça a proteção contra as agressões externas; o Rhamnosoft, que age como calmante, reduz a reação inflamatória e libera beta endorfinas, associado ao bem-estar; Rhodiola, que regula o metabolismo e aumenta a capacidade de adaptação da pele; e o Pro-Lipiskin, que diminui a perda de água transepidérmica ao estimular a reposição natural de lipídeos.

Veja Também:  Entenda como os signos resolvem os problemas no amor

8- Alimentação e sedentarismo

Chauvin explica que esses dois fatores foram muito piorados durante os períodos de isolamento social, consequência da pandemia do novo coronavírus. Isso porque as pessoas acabaram se rendendo ao delivery e pararam de se exercitar. “É importante que se mantenha uma dieta equilibrada e que se faça exercícios físicos para ajudar a balancear a produção de cortisol. A alta ingestão de água também é recomendada para atingir um equilíbrio corporal e cutâneo”, explica a dermatologista.

9- Higiene excessiva

A higienização excessiva também se mostrou um problema durante a pandemia. Afinal, as pessoas passaram a lavar mais as mãos e utilizar álcool em gel por questões de segurança. A saída para que os impactos não sejam tão graves é a hidratação constante das mãos. Podem ser usados ativos como manteiga de karité e ceramidas.

“Outra alternativa é usar limpadores com Clorexidina, ativo com atividade antisséptica superior ao álcool em gel 70%, para remover impurezas e higienizar. No entanto, deve-se manter a hidratação e o equilíbrio do pH cutâneo”, indica a médica. Devem ser evitados ressecamentos e produtos com Lauril e Sulfato de Sódio na composição.

10- Fatores emocionais

As emoções também podem desencadear diversos tipos de resposta na pele. Chauvin afirma que as mais prejudiciais são medo e estresse, pois alteram as percepções em relação à beleza. A médica explica que esses sentimentos podem ser amenizados apostando em uma boa relação com bem-estar e rituais que unem beleza e relaxamento.

Algumas composições podem amenizar os efeitos, como os antioxidantes Vitamina C e Resveratrol. Hidratantes à base de ácido hialurônico e o ativo Early Boost, que aumenta a molécula de adenosina trifosfato (também conhecida como ATP). Essa molécula tende a diminuir a produção de radicais livres devido ao estresse, o que impacta a produção de colágeno e elastina, que são primordiais para a saúde cutânea.

Cuidados gerais

Para auxiliar ainda mais no combate aos principais inimigos da pele, Chauvin aponta que, além do skin care, outros cuidados gerais e cotidianos podem auxiliar na proteção da pele. A principal delas é a higienização completa da face, além do uso correto de hidratantes, séruns e cremes.

A especialista reforça a necessidade do uso diário de proteção solar. Ela indica que sejam usados produtos capazes de não apenas cuidar da pele, mas ativos sensoriais para proporcionar momentos relaxantes. Assim, os cuidados ganham funções que vão além do skin care, mas também se tornam eficazes em relação ao relaxamento e a saúde mental.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Propaganda

Mulher

London Fashion Week: diversidade e liberdade de expressão, a moda mudou?

Publicados

em


source
London Fashion Week
Carlos Moura

London Fashion Week


A London Fashion Weel (Semana de Moda de Londres) chega à 25ª edição e segue entre os mais badalados do meio . Entre as celebridades e modelos é possível encontrar executivos de outras áreas que analisam tendências e possibilidades para além do ambiente glamouroso e festivo. A semana da moda inglesa está no seu último dia e agitou a cidade de Londres, conforme conta a repórter brasileira Pandora.

Negra e curve, ela destaca como se sentiu acolhida nos primeiros dias de evento:  a diversidade estava presente entre os convidados e nas passarelas. Pandora está entre as três brasileiras convidadas para cobrir o evento que, devido a pandemia da covid-19, aconteceu em formato híbrido. No digital e no presencial, a repórter relata a diversidade do London Fashion Week.

Para cobrir o evento, Pandora vestiu looks assinados pela brasileira e trans Brisa Letro. “A ideia era de maneira simbólica dar voz àqueles que não tiveram a oportunidade de estar no evento: brasileiros, mulheres negras , o público LGBTQI+ , mulheres curvilíneas, entre outros.”

“A moda mudou: percebo um equilíbrio entre a discrição e o exagero”

A repórter relata que o London Fashion Week trouxe uma moda que se adapta para atender a todos os tipos de gostos. Algo que chamou a atenção foi a diversidade racial presente nas passarelas com modelos de várias etnias e idades. Apesar da diversidade desta edição, ainda tem a esperança do evento incluir modelos plus sizes e curvy .

“Roupas extravagantes e cores fortes, pessoas vestidas de maneira simples, ou seja, a moda tem a ver, principalmente, com estar bem consigo mesmo. Vestir o que te deixa confortável. Da mesma forma que tinham homens de terno e gravata, houve pessoas mais ousadas. Ou seja, não existe um padrão rígido quando se trata de moda” ressalta.

Outro destaque para Pandora foram as roupas sociais para ambos os sexos. “Percebo que a moda se equilibra entre a discrição e o exagero, que moda se adapta para atender a todos os tipos de gostos: muitos decotes mais profundos, saias curtas e looks discretos, formais”, ressalta.

Nas passarelas os  tons pasteis parecem voltar com força total nos looks apresentados, tanto nas roupas quanto nos acessórios e até nos produtos de beleza. “Vi muitos tons como bege, nude e azul claro nos tecidos, em bolsas e acessórios.” A  transparência apresentada em diversos tapetes vermelhos de premiações importantes também apareceu nas passarelas da semana de moda. Pandora acredita que a tendência reflete um desejo por mais liberdade de expressão.

A maquiagem que fez sucesso nos desfiles tem inspiração nos anos 90, trazendo sombras e cores fortes, como laranja e vermelho nos batons . O uso de  delineadores estilo gatinhopenteados com tranças também estavam presentes nos rostos e cabeças das pessoas modelos.

Encontro com Paul Costelloe

Paulo Costelloe é um designer de 76 anos e com uma trajetória reconhecida para além do universo fashion. Ele se tornou icône por ser escolhido como ‘o preferido’ por ninguém menos que a Princesa Diana. 

O designer esteve presente em todas as edições do evento e sempre trouxe modelos brasileiras em seus desfiles. Autor de criações sofisticadas e impecáveis no quesito elegância e glamour, ele proporcionou à Pandora um dos momentos mais inusitados do evento. Ao conhecê-la, Costelloe fez questão de dizer o quanto gosta das brasileiras e desenhou para ela o croqui de um sexy vestido.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

5 livros escritos por mulheres que precisam fazer parte da sua estante!

Publicados

em


source
5 livros escritos por mulheres que precisam fazer parte da sua estante!
Reprodução: Alto Astral

5 livros escritos por mulheres que precisam fazer parte da sua estante!

De acordo com uma pesquisa realizada em 2019 pela livraria virtual Wordery, 80% dos livros mais populares da história foram escritos por homens. Mas isso não quer dizer que as mulheres deixam a desejar no quesito escrita. Afinal, Agatha Christie, Virginia Woolf, Clarice Lispector, J.K.Rowling e muitas outras estão aí para provar o contrário.

No entanto, ao longo da história, as mulheres não foram encorajadas na mesma proporção que os homens. Inclusive, muitas autoras publicaram histórias com pseudônimos masculinos, como apontado por matéria publicada na BBC. Assim, quando falamos de clássicos da literatura, por exemplo, os primeiros titulos que vem a mente são de autores do sexo masculino.

Mas como mudar essa realidade, você deve estar se perguntando. Bem, a resposta é um tanto quanto simples: lendo mulheres! Por isso, abaixo o Alto Astral selecionou 5 títulos escritos por mulheres para você incluir na sua estante e prestigiar o trabalho de autoras. Confira:

Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, Maya Angelou

A vida de Marguerite Ann Johnson foi marcada por três palavras: racismo, abuso e libertação. Negra e criada no sul por sua avó paterna, apenas a literatura e as palavras foram capazes de livrá-la dos enormes fardos impostos a ela pela vida.

Veja Também:  Jovem usa maquiagem para “pintar a dor” da síndrome do intestino irritável

Com uma escrita poderosa, Maya Angelou resgata suas memórias e transforma aqueles que leem sua obra.

Só dou flores aos vivos que não tem pressa, Louise Rama

A pandemia foi um período que marcou redescobertas para milhares de pessoas, seja sobre uma nova autopercepção, a noção do que realmente é prioridade, a verdadeira vocação, paixões escondidas, a força de superação e o renascimento do amor-próprio. E com todos esses temas se misturando, a escritora Louise Ramas, de 20 anos, lançou seu primeiro livro.

Na obra de poesias, a autora compila textos escritos durante a pandemia, tratando das várias facetas do amor, incluindo a perda e a reconquista.

Amar tá osso, Vanessa Bosso

Leia Também

Quando o assunto é escolher namorado, Cléo tem certeza que possui o dedo podre. Por isso, ela decide fugir de relacionamentos por um tempo. Assim, ela se dedica de corpo e alma à clínica veterinária que tem em sociedade com sua irmã, a Franciscão, e sufoca o amor que existe dentro de si. Contudo, um tiroteio em uma calma manhã de domingo promete mudar para sempre a vida da veterinária.

Responsabilidade curativa, Rebeca Virgínia

Aos 75 anos, a autora Rebeca Virgínia resgata sua jornada de estudos e descobertas após receber um diagnóstico que mudaria sua percepção de vida. Assim, ela divide com o leitor ou leitora seu conhecimento sobre Física Quântica, Epigenética, Constelações Familiares, neuroplasticidade e espiritualidade que reuniu ao não aceitar um diagnóstico, mostrando que nós controlamos nossa mente, vida e saúde.

Veja Também:  Yoni egg de ametista: qual a função desse ovo vaginal?

Mulheres incríveis, Kate Schatz

Pirata. Espiã. Guerreira. Pintora. Presidenta. Atleta. Essas são apenas algumas das mulheres abordadas na obra de Kate Schatz!

Em um compilado que vai da Mesopotâmia até a Antártica e começa 430 anos antes de Cristo, inspire-se com a história de 44 mulheres extraordinárias que lutaram contra leis e desigualdade, moldando o futuro de muitas jovens e meninas.

Por todas nós – Conselhos que não recebi sobre luta, amor e ser mulher, Ellora Haonne

Influenciadora digital, Ellora Haonne é famosa por levantar reflexões sobre o que é ser mulher em seus vídeos. Assim, seu primeiro livro surge como aquela amiga que sempre nos ouve, entende e mostra, principalmente, que não estamos sozinhas em nossos sofrimentos diários e, portanto, precisamos questionar tudo aquilo que a sociedade impõe – sem julgamentos, padrões ou preconceitos.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana