conecte-se conosco


Mulher

Os desafios da mulher no ambiente corporativo

Publicados

em

Apesar do dia 8 de março ser lembrado como o Dia Internacional da Mulher, há pouco para se comemorar. Por exemplo, mesmo no século 21 e diante da Economia 4.0, o machismo ainda é forte no ambiente corporativo, tornando o mundo dos negócios ainda um desafio para as mulheres que buscam seu lugar ao sol.

Muitas pesquisas mostram as dificuldades do sexo feminino em diferentes frentes do mercado de trabalho. Estudo realizado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) aponta que as mulheres estão no topo da taxa de desemprego. Além disso, trabalham mais horas que os homens e somente 48% delas possuem trabalhos formais. Os homens são 72%.

Segundo o estudo realizado pelo Instituto Ethos, a quantidade de mulheres ocupando a presidência de alguma companhia ainda é baixo, somente 7%. Já a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aponta que apenas 11% das empresas com capital aberto inscritas possuem mulheres em cargos do conselho de administração. 

Esses dados são reflexo da realidade que muitas mulheres enfrentam. Mas para brilhar no ambiente corporativo, é preciso não desanimar. Foi o que fez a Danielle Cohen, Engenheira de Produção, desenvolvedora e Head de tecnologia e cofundadora da startup Pingui. 

Para ela, ainda é difícil algumas pessoas a encararem com profissionalismo como mulher e líder técnica. Danielle conta que, na maioria das vezes, quando vai em alguma reunião, sempre é vista como alguém que atua no setor comercial, comunicação ou no RH. “Tudo, menos da parte técnica”.

– Por exemplo, num hackathon que participei, sendo uma das 50 escolhidas, ouvi comentários do tipo: ‘mas, você? Sério mesmo?’. Não só fui escolhida, como também fui a ganhadora da competição – relembra.

Cohen disse que já passou por momentos, em reuniões de negócios, que quando estão falando de tecnologia, nem é olhada. Às vezes, nem ouvida. “Começo a ganhar mais notoriedade quando falo sobre programação, discuto uma parte mais técnica”. 

Para superar o machismo, Danielle conta que gosta sempre de se olhar como igual a todo mundo. Diz que não fica se rebaixando ou achando que os outros são melhores. Em caso de reuniões com pessoas mais velhas, ela tenta falar bastante da parte técnica e mostrar que conhece bem o assunto. “Assim vou ganhando autoridade”. 

Segundo a profissional, é importante que as mulheres se ajudem, por isso, Danielle tenta fazer a parte dela. Como organizadora do GBG (Google Business Group) junto de outras duas mulheres, ela comenta que tem conseguido levar a tecnologia e a inovação para o universo feminino. “Já houve casos de pessoas me agradecerem pela ajuda e dizer que foi essencial na carreira. Isso é muito gratificante”.  

– As mulheres não devem ter vergonha de mostrar o que sabem fazer, muito menos se diminuir. Em relação ao machismo, a melhor coisa é não levar em consideração frases preconceituosas ou olhares de inferioridade. Sempre mostrem que vocês sabem e conseguem fazer tudo tão bem quanto qualquer um. Aliás, hoje em dia, há muitas coisas que são exclusivas para mulheres. Então, podemos aproveitar essas oportunidades para melhorarmos cada vez mais – ressalta. 

Outra pessoa que enfrentou situações difíceis, mas que não se deixou desanimar foi a administradora Amanda Eloi. Para ela, uma das maiores dificuldades não foi realizar o trabalho em si, mas lidar com pessoas preconceituosas e arrogantes.

Atualmente, Amanda é coordenadora adjunta da comissão Especial de Empreendedorismo do Conselho Regional de Administração (CRA-RJ), consultora de Projetos da WAAH!, Fundadora e Coordenadora do Ciclo Empreendedor Universitário.

Para Eloi, o preconceito existente em alguns homens são fruto da falta de compreensão de que capacidade não depende de gênero e/ou classe social. Para a profissional, essa forma de pensar vem do fato da sociedade ainda ter uma visão limitada do quanto a mulher pode ser bem-sucedida no mundo dos negócios. “Isso impede que muitas alcancem determinados cargos dentro de suas empresas, por não terem a oportunidade de desenvolver determinadas habilidades”.

Ela conta que, apesar dos problemas, foi vencendo esses obstáculos a partir das experiências que adquiriu no trabalho. “Depois de ganhar autoconfiança, também busquei orientações de amigos e profissionais do mercado para lidar com determinadas situações”.

Para Amanda, a melhor maneira de lidar com o machismo foi acreditar no próprio potencial, continuar desenvolvendo projetos e ajudar pessoas a evoluir profissionalmente. “Dessa forma, fico focada no reflexo do meu trabalho, que envolve alavancar negócios e impactar mais vidas”. 

– Por isso, sempre digo para que as mulheres confiem no seu potencial, busquem mais conhecimento e estejam ao lado de pessoas brilhantes, que, além de acreditar em você, possam valorizá-las como Mulher e Ser Humano – conclui.

Joyce Nogueira
Assessora de Imprensa

Veja Também:  Feminicídios aumentam 68% nos primeiros seis meses de 2020 em MT

Comentários Facebook
Propaganda

Mulher

Saúde oral dos bebês: 3 dicas cruciais para lidar com essa fase

Publicados

em


source

Alto Astral

Saúde oral dos bebês: 3 dicas cruciais para lidar com essa fase
Reprodução: Alto Astral

Saúde oral dos bebês: 3 dicas cruciais para lidar com essa fase

Os bebês requerem muitos cuidados, principalmente quando se fala em alimentação e saúde. Além de serem totalmente dependentes, a fase é marcada por mudanças e novas descobertas. Dessa forma, engana-se quem pensa que as medidas só devem ser tomadas na introdução alimentar ou quando nascem os primeiros dentinhos, por exemplo.

A saúde oral precisa de atenção desde o nascimento, tanto para prevenir doenças e condições, como para manter hábitos necessários de higiene. No entanto, essa tarefa pode parecer difícil, visto que o bebê ainda não entende o que está acontecendo e, provavelmente, se mostrará incomodado.

Nessas horas, nada melhor do que contar com especialistas para tornar o momento mais fácil e ter certeza de que está fazendo tudo da forma correta, não é mesmo? Por isso, listamos 3 dicas cruciais para manter a saúde oral do bebê e facilitar esses cuidados com o apoio da MAM Baby – líder mundial em produtos para bebês. Confira!

1 – Saiba a hora de iniciar os cuidados

Veja Também:  5 dicas essenciais para acertar na escolha do box de banho

Como dito anteriormente, a inclusão das práticas de higiene bucal devem acontecer ainda que os dentes não tenham nascido, não só pela saúde da boca e gengiva, mas também para que essa limpeza já vá se tornando um hábito presente na vida do bebê.

A frequência dependerá da alimentação. Para os que se alimentam de leite materno, não é preciso limpar diariamente, mas deve-se sempre prestar atenção: se notar uma crosta na língua, pode ser necessário fazer uma limpeza específica da superfície com produtos indicados para isso. Enquanto para os que já usam fórmulas, o ideal é realizar a higienização diariamente, principalmente por conter açúcar no alimento.

Além disso, é fundamental limpar também os produtos utilizados com água e sabão neutro para evitar a proliferação de bactérias e o contato com a boca do bebê. Então, não se esqueça dessa parte!

Você viu?

2 – Utilize produtos específicos

O ideal é que os pais optem por utilizar produtos que sejam especiais para bebês, pois possuem os requisitos necessários para a fase. Assim, vale investir em escovas de dentes e mordedores na hora da higiene bucal, pois eles tornarão o momento mais fácil e reduziram possíveis riscos, já que são específicos para isso.

Veja Também:  De trono a guitarra: 6 vezes que a decoração do banheiro passou dos limites

Esse investimento trará ainda outros benefícios para a saúde oral do pequeno, como amenizar a coceira, higienizar e estimular o movimento da mordida e evitar a proliferação de bactérias quando a criança leva objetos não higienizados à boca.

3 – Traga diversão para o momento de higiene

A higienização é, sim, uma obrigação, mas nem por isso precisa ser um momento chato ou incômodo para o bebê. Mostrar para ele que essa parte da rotina é divertida ajudará a diminuir sua resistência contra a escovação, o que facilitará o processo para ambas as partes. Então, traga fantasia para a hora dos cuidados bucais: aposte em contar histórias, cantar músicas e até mesmo fazer brincadeiras! Essa estratégia vale também para crianças maiores que ainda encaram a escovação como um problema, viu?

Além das dicas, lembre-se sempre de consultar o pediatra ou o odontopediatra caso algo incomum surja ou o momento de higiene bucal seja muito difícil para receber a melhor orientação sobre o que fazer!

Fonte: MAM Baby.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Terapias orientais poderosas

Publicados

em


source

João Bidu

Terapias orientais poderosas
Redação João Bidu

Terapias orientais poderosas

Vivemos em uma pandemia desde o início do ano passado. Diante da preocupação com a saúde e do ineditismo da situação, novas rotinas tiveram que ser adotadas para a nossa segurança. Além disso, muitos hábitos mudaram. De acordo com dados do Google, houve um aumento de mais de 40% no buscador pela palavra ‘ terapia ’, no comparativo de março e abril de 2020 e o mesmo período deste ano.

O estudo do Think with Google, “Vida na quarentena: como estão os brasileiros um ano depois do início da pandemia?” , mostrou que o medo ainda paira sobre as pessoas devido às incertezas que a pandemia causa. Com isso, houve um aumento da procura por ajuda para lidar com isso.

Seja meditação, terapia com psicólogo à distância ou presencial, yoga no parque ou em casa, tudo pode oferecer benefícios para a mente e, consequentemente, para o corpo. Mas além dessas práticas há outras terapias, como as terapias orientais , que beneficiam tanto a parte física quanto a emocional, podendo ajudar nos sintomas causados pela tensão devido à pandemia e ao longo período de quarentena.  

As terapias orientais têm certas características muito semelhantes em todos os métodos, como a diminuição da tensão, a melhora da circulação e o alívio de dores físicas. Veja quais são essas terapias e bom proveito!

Acupuntura

É uma técnica chinesa muito conhecida. Apesar do método ser com agulhas finas e parecer doloroso, o paciente não sente nada além de uma pequena pressão no lugar da aplicação. A técnica é capaz de amenizar doenças físicas e emocionais, pois estimula as terminações nervosas, proporcionando efeitos analgésico e anti-inflamatório. Pode ser usado como um tratamento complementar ao tradicional, principalmente, para o controle de distúrbios como ansiedade, depressão e estresse. Dentre os principais ganhos da prática estão:

Corpo em forma: a acupuntura auxilia na regulação da fome e da compulsão alimentar, além de fazer a manutenção do equilíbrio hormonal.

Alivia a dor nas costas: por possuir efeito analgésico, a técnica é efetiva para se livrar dos incômodos da coluna, principalmente, da região lombar.

Veja Também:  Noiva usa cabra de estimação para levar alianças até o altar: “Foi tão perfeito”

Acalma a mente: um dos principais objetivos do método é ajudar no controle do estresse e da ansiedade, estimulando pontos ligados à produção de hormônios que são liberados em eventos estressantes, como o cortisol.

Reduz problemas de estômago: como é capaz de ativar o relaxamento, a acupuntura auxilia na circulação, o que colabora para o trânsito sanguíneo na região estomacal e, assim, diminui possíveis incômodos. Também regula o sistema gastrointestinal e reduz o inchaço e a constipação.

Ameniza dores de cabeça : uma das características da atividade é justamente aliviar os desconfortos, funcionando como um analgésico que trata cefaleias

e enxaquecas.

Você viu?

Afasta os sintomas da TPM: reduz efeitos como inchaço, cólica, dores de cabeça e mau humor, pois regula os sistemas endócrino e nervoso.

Ajuda na recuperação de lesões: a técnica estimula pontos específicos que

melhoram a circulação e também são responsáveis pela cicatrização. Por isso, muitas equipes esportivas contam com a participação de acupunturistas para colaborar na recuperação de seus atletas.

Ayurveda

Apesar do nome sugerir algo complicado, essa terapia é muito simples. Trata-se de uma massagem realizada para reequilibrar as energias do indivíduo. De origem indiana, pretende ajudar o paciente a construir uma rotina saudável, abdicando de alimentos e atitudes nocivas. Diferentemente das outras técnicas alternativas, em vez de tentar amenizar os sintomas, a ayurveda busca tratar a causa do problema. Caracteriza-se como uma massagem realizada por meio de deslizamentos e alongamentos produzidos com as mãos, os cotovelos e os pés. Também fazem o uso de óleos naturais e essências que facilitam esse processo.

A prática estimula os músculos, a circulação e também libera as toxinas presentes no corpo. Dentre seus principais benefícios estão: alinhar a postura, aliviar a tensão muscular e melhorar o sistema imunológico. Além disso, também favorece a flexibilidade e a mobilidade das articulações. É uma técnica ideal para quem busca melhorar a aparência da pele, pois os óleos, combinados com a massagem, ajudam a nutrir o órgão. Auxilia a amenizar as dores inflamatórias, como as causadas pelo reumatismo, enxaquecas e dores nas costas. 

Outra vantagem é que, além das melhorias físicas, existem também as mentais. O ayurveda propicia o aumento da autoestima e da autoconfiança, proporcionando melhoras significativas em quadros de depressão e estresse. A técnica relaxante não possui

Veja Também:  5 dicas essenciais para acertar na escolha do box de banho

contraindicações e pode ser realizada por idosos, crianças, gestantes e pessoas com

patologias e dores.

Reiki

Essa terapia é originária do Japão e busca, por meio das trocas de energias , equilibrar e revitalizar o corpo. Usando as mãos como fonte de energia , a técnica fornece bem-estar e estimula a felicidade. Para praticá-la, é preciso desenvolver sentimentos que despertam boas energias. Conhecida como uma terapia bioenergética, ela é feita com exercícios de respiração que ativam as energias do corpo. O reiki proporciona melhorias emocionais, mentais e comportamentais. Ele pode ajudar, como medida complementar, no tratamento de diversos problemas, como depressão, dores crônicas e insônia. A prática também é capaz de aliviar os sintomas da TPM e do estresse diário, pois, por meio do relaxamento e da liberação de hormônios como a serotonina e a endorfina, causa a sensação de bem-estar.

Yoga

Se você procura uma técnica simples, que não exige muitos equipamentos ou horas do dia, o yoga pode ser uma opção! O método consiste em um conjunto de diferentes posições que visam equilibrar a mente e o corpo. Acredite, o yoga pode ajudar na sua saúde mental . Ele combina respiração, meditação e posturas corporais. Além disso, a prática é livre para todos os públicos: crianças, idosos e, até, gestantes. O exercício é particularmente benéfico para as futuras mamães, pois ajuda a fortalecer os músculos da pélvis – muito usados durante o parto. O yoga tem uma lista enorme de pontos positivos: melhora a flexibilidade; tonifica o corpo (e, consequentemente, emagrece); diminui a produção do hormônio cortisol, responsável pela sensação de estresse e ansiedade; reduz os sintomas da TPM, pois melhora a circulação; alivia a enxaqueca; estimula a respiração; ajuda no autocontrole e, até mesmo, favorece o sexo, já que beneficia a circulação e a elasticidade.

LEIA TAMBÉM

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana