conecte-se conosco


Mato Grosso

Pesquisa e substituições são as dicas do Procon-MT para as ceias de fim de ano

Publicados

em

Cesta de Natal está 3,19% mais cara em 2019, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe)

Caroline Lanhi e José Augusto Corrêa | Procon-MT

A variação nos itens natalinos, segundo a pesquisa, foi puxada pelos preço da carne, que deve fechar o ano com alta de até 20% – Foto por: Divulgação

A variação nos itens natalinos, segundo a pesquisa, foi puxada pelos preço da carne, que deve fechar o ano com alta de até 20%

A demanda por produtos para a ceia de Natal e de Ano Novo tende a aumentar às vésperas das festas, mas o cenário não está favorável ao consumidor. A cesta de 15 itens mais procurados no Natal ficou 3,19% mais cara em 2019, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (iPC) – calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Nessas horas, o Procon-MT faz o alerta: pesquise e faça substituições.

A variação, segundo a pesquisa, foi puxada pelo preço da carne, que deve fechar o ano com alta de até 20%. Com isso, “mais  do que nunca é preciso definir com antecedência o cardápio, o número de convidados para a ceia e pesquisar o melhor preço. Nessas horas é preciso listar os itens desejados, estabelecer um teto de gastos, pensar em substituições para os itens mais caros, evitando compras desnecessárias”, orienta a secretária adjunta do Procon-MT, Gisela Simona.

Esses são os passos seguidos por Fabiana Nascimento, 35, que faz questão de conservar a tradição da Ceia de Natal, mesmo com as dificuldades. “Faço um planejamento, devido a nossa realidade econômica e financeira. Neste período podemos usar o décimo terceiro, então estipulo um valor que posso gastar, porque em janeiro já voltam as contas fixas. Temos que ter um equilíbrio, então me  limito de certa forma”.

Veja Também:  Treze municípios estão com risco moderado de contaminação pela Covid-19 em MT

Na hora de ir compras,  principalmente com as frutas, Fabiana pesquisa preço e avalia a qualidade dos produtos ofertados. “Observo se o ambiente está limpo, confiro a textura da fruta, se está comprometida ou não, a consistência. Tem que estar firme e limpa. Nunca tive problemas nas escolhas”, assegura.

Fabiana também é adepta dos panfletos de promoções, que ficam nas entradas dos supermercados. “É muito válido. Sempre procuro pelos itens que estão com menores preços e têm boa qualidade. Nós, enquanto consumidores, temos que procurar aquilo que cabe no bolso”.

Outras dicas do Procon-MT para garantir uma ceia saborosa e segura: 

Higiene

Avalie o estabelecimento comercial, verificando todas as condições de higiene, tais como: limpeza, iluminação e armazenamento dos produtos, uma vez que os alimentos não devem dividir espaço com produtos de limpeza, por exemplo. Isso pode evitar a compra de produtos com a integridade comprometida, deteriorados, violados ou contaminados.

Qualidade

Para alimentos, é primordial verificar cor, textura e odor. Caso haja algum sinal de alteração ou violação de embalagem, não leve. Prefira estabelecimentos formais, com registro e não adquira produtos com origem duvidosa ou piratas. Sempre exija o documento fiscal, é ele que comprova a compra e garante o consumidor o direito a trocas ou reclamação junto  aos órgãos de proteção e defesa do consumidor.

Veja Também:  Fávaro recebe demandas de Nova Bandeirantes

Frutas

As frutas da estação costumam ser mais baratas que frutas de secas ou importadas, podendo ser uma boa opção para ceia em substituição a alguns itens. Evite comprar frutas e legumes com muita antecedência, pois podem estragar, gerando desperdício.

Alimentos enlatados

Não compre produtos com embalagens estufadas, amassadas ou enferrujadas, pois isso pode levar a contaminação do produto.

Trocas

A política de troca, de acordo com o artigo 26 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), somente é obrigatória se houver “vício”, ou seja, não funcionamento adequado ou qualidade comprometida, relacionados ao fornecedor. Em qualquer outra situação, a troca é de acordo com a política interna do estabelecimento comercial.

Promoções

Fique atento aos produtos muito baratos. Nessa época, a concorrência entre os variados segmentos é grande e o consumidor tanto pode se beneficiar, quanto se dar mal. Por isso, sempre verifique a data de validade e as informações relativas ao fabricante. Promoções divulgadas devem ser cumpridas, portanto, guarde os folhetos com anúncios publicitários.

Reclamações

O consumidor tem 30 dias para reclamar de produtos não duráveis (que se extinguem rapidamente com seu uso, como alimentos) e 90 dias para os bens duráveis (que tem consumo prolongado, como eletrodomésticos).

Assessoria de imprensa
Caroline Lanhi – Jornalista

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Mato Grosso apresenta reduções de homicídios dolosos, feminicídios, roubos e furtos

Publicados

em

Apesar do aumento de ocorrências envolvendo drogas, o Estado aumentou a apreensão em 63%, somando mais de 8 toneladas até o momento

Julia Oviedo | Sesp-MT

Na avaliação do secretário Alexandre Bustamente, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos investimentos – Foto por: PMMT,

O estado de Mato Grosso apresentou redução nos principais índices de criminalidade nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2020. Os casos de homicídios dolosos reduziram 7%, com 316 ocorrências, perante 339 no ano passado. Já o número de feminicídios reduziu 30%, passando de 27 casos no anterior para 19 neste ano.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança Pública, vinculada à Adjunta de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Ainda em relação a crimes contra a vida, o roubo seguido de morte teve aumento de 14%, com 14 casos no ano passado e 16 neste ano.

Outros índices que também reduziram foram: roubos (-28%), furtos (-10%), roubo de veículos (-41%) e furto de veículos (-26%). Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, a redução dos principais índices acaba refletindo em uma maior sensação de segurança.

“São números que quando apresentam redução, você consegue perceber um grande aumento da sensação de segurança por parte da população, principalmente relacionado a roubos e furtos, que causam um incômodo muito grande para o cidadão”, disse Bustamante.

Tráfico de drogas

As ocorrências de tráfico e uso de drogas tiveram um aumento de 38% em relação a 2020. Em contrapartida, o número de apreensões de drogas em todo o estado aumentou 63%, passando de 5 toneladas em 2020 para mais de 8 toneladas de entorpecentes apreendidos este ano.

Na avaliação do secretário, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos grandes investimentos, que chegaram a mais de R$ 200 milhões.

“Nós temos a integração e o uso da inteligência como fator forte no estado. E os investimentos que o governo tem feito, com por exemplo um maior número de viaturas, investimentos em radiocomunicação digital, policiais em mais cantos do estado em circulação, possibilitando uma diminuição dos índices criminais”, finalizou Bustamante.

Veja Também:  Deputados poderão remanejar recursos de emendas impositivas para combate ao coronavírus em Mato Grosso

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Quarta-feira (16): Mato Grosso registra 434.016 casos e 11.549 óbitos por Covid-19

Publicados

em

Há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 83% para UTIs e 42% em enfermaria

Rose Velasco | SES-MT

Um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) – Foto por: Tchélo Figueiredo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (16.06), 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.549 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.096 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.863 estão em isolamento domiciliar e 407.880 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 83,65% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (90.308), Rondonópolis (31.549), Várzea Grande (29.427), Sinop (21.092), Sorriso (15.018), Tangará da Serra (14.872), Lucas do Rio Verde (13.308), Primavera do Leste (11.054), Cáceres (9.359) e Alta Floresta (8.279).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na terça-feira (15.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.533.221 casos da Covid-19 no Brasil e 490.696 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.452.612 casos da Covid-19 no Brasil e 488.228 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quarta-feira (16.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Comentários Facebook
Veja Também:  Ex-aluna da ETE de Rondonópolis é aprovada em concurso público
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana