conecte-se conosco


Agronegócio

Pesquisa pretende selecionar microrganismos que combatam a broca-podridão da cana-de-açúcar

Publicados

em

Pesquisa pretende selecionar microrganismos que combatam a broca-podridão da cana-de-açúcarA intenção é estudar como microrganismos endofíticos do gênero Bacillus podem ser utilizados com essa finalidade. “Esses microrganismos possuem a capacidade de produzir esporos que garantem sua sobrevivência sob situações adversas e alguns deles, como as bactérias pertencentes à espécie B. thuringiensis, produzem as chamadas proteínas Cry, responsáveis pela ação bioinseticida que é letal à broca”, destaca o pesquisador José Ivo Baldani, da Embrapa Agrobiologia (Seropédica, RJ), que está a frente do trabalho.

O pesquisador explica que bactérias dessa espécie são capazes de colonizar os tecidos internos das plantas e, portanto, poderiam, durante a fase de esporulação, produzir as pró-toxinas Cry. Além disso, outras estirpes de Bacillus com atividade antagônica ao fungo causador da podridão poderiam ser inoculadas em conjunto, visando à inibição da entrada do fungo nos orifícios causados pela broca. “A hipótese desta pesquisa é que nossa coleção de culturas possui estirpes capazes de promover o controle biológico da broca e do fungo causador da podridão vermelha na lavoura canavieira”, aponta.

Causada pela praga Diatraea saccharalis (espécie de mariposa), a broca da cana-de-açúcar tem sido contornada com diversos tipos de manejo: químico, biológico e, mais recentemente, com plantas transgênicas. O controle biológico da broca tem sido considerado um programa de sucesso, por aumentar os inimigos naturais da praga no agroecossistema, mas esbarra no problema de multiplicação em larga escala desses inimigos e na aplicação no momento correto. O controle químico, por sua vez, além do custo elevado, acarreta problemas à população de organismos benéficos do solo e também ao ambiente, por deixar resíduos químicos que podem ser transportados a mananciais. Por fim, o transgênico, que implica no desenvolvimento de variedades de cana-de-açúcar capazes de expressar os genes Cry, ainda não está disponível no mercado.

Veja Também:  Serpro lança plataforma de concessão de créditos de carbono

Já no caso da podridão, provocada pelo fungo Colletotrichum falcatum, ainda não há um controle químico disponível. Estudos recentes apontam o potencial das bactérias endofíticas frente a esse fungo, o que aumenta a expectativa para que ajam positivamente contra a podridão da cana. “Acredita-se que o comportamento endofítico possibilite a essas bactérias permanecer nas áreas de cultivo por mais tempo, potencializando o controle das pragas e do fungo e, consequentemente, contribuindo para a redução de custo da cultura, para o aumento da produtividade e para a sustentabilidade do agroecossistema”, explica o pesquisador.

Cultura canavieira poderia ter produtividade aumentada

O Brasil é o maior produtor de cana-de-açúcar do mundo, com produção de aproximadamente 620 milhões de toneladas de cana plantada em uma área de 8,59 milhões de hectares – ou 72,23 toneladas por hectare. A cultura é uma das principais do País e está distribuída em quase todo o seu território, sendo que os estados de São Paulo e Minas Gerais são responsáveis por cerca de 64% da produção total. Os dados são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Apesar disso, a produtividade média por hectare é considerada baixa, principalmente por causa de perdas de produção decorrentes de fatores ambientais, do manejo e da incidência de pragas.

Veja Também:  ETANOL/PERSPEC 2019: Retomada de crescimento em 2019 pode elevar demanda por combustível

Estima-se que os prejuízos causados pela broca da cana representem, hoje, perdas superiores a R$ 5 bilhões ao ano para o agronegócio brasileiro, mesmo com os diferentes tipos de manejo aplicados no controle de pragas. “Esse prejuízo deve ser ainda maior se considerarmos que a D. saccharalis também ataca outras culturas de importância econômica, como o arroz, a aveia, a cevada, o milheto, o milho e o sorgo”, revela Ivo.

Para a prospecção da coleção de culturas com o intuito de encontrar bactérias que tenham potencial para o controle do complexo broca-podridão da cana-de-açúcar, deverão ser realizados bioensaios in vitro para a seleção de bactérias com atividade antagônica ao fungo C. falcatum e com ação entomopatogênica à broca. A intenção é selecionar cinco estirpes de Bacillus com atividade antifúngica contra as linhagens de C. falcatum e cinco com atividade entomopatogênica contra as larvas da broca, também detectando-se a presença de genes Cry nestas últimas. As estirpes terão sua eficiência testada em casa de vegetação, na presença do fungo e da praga, e também em campo, em áreas infestadas pela praga e infectadas pelo fungo.

Fonte: Embrapa Agrobiologia
www.barranews.com.br – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT

Comentários Facebook
Propaganda

Agronegócio

CITROS/CEPEA: Geada atinge pomares de SP e aumenta preocupação de agentes

Publicados

em


Cepea, 23/7/2021 – O frio intenso observado no estado de São Paulo no início desta semana atingiu os pomares do cinturão citrícola, com registros de geadas em algumas áreas. Segundo colaboradores do Cepea, este cenário aumentou as preocupações de agentes quanto à produção de laranjas na temporada atual e ao vigor das plantas para a próxima safra, visto que as árvores estão próximas do período de indução floral e já debilitadas por conta do menor regime hídrico dos últimos dois anos. Considerando-se a safra atual (2021/22), a qualidade das laranjas que estão nos pés deve diminuir – algumas das frutas que foram afetadas pelas geadas do fim de junho/início de julho já apresentam o interior seco e cristalizado. Além disso, algumas áreas tiveram quedas de frutos. Para a próxima temporada (2022/23), as árvores mais novas (em fase de brotação) devem ser as mais afetadas, assim como aquelas com maior incidência de greening. Quanto à tangerina poncã, não há previsão de impactos significativos no volume do estado de SP, já que a colheita está praticamente finalizada. Por outro lado, em Minas Gerais, onde ainda há maiores volumes para serem colhidos, pode haver impacto negativo na qualidade das frutas. No caso da lima ácida tahiti, as preocupações são ainda maiores, visto que a fruta é bastante sensível a oscilações climáticas. Além disso, há áreas de lima ácida tahiti em diferentes estágios de desenvolvimento, inclusive com pomares em flor. Segundo colaboradores do Cepea, o frio intenso derrubou alguns frutos pequenos, brotamentos e flores. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Veja Também:  MANDIOCA/CEPEA: Baixa oferta sustenta cotações
Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócio

FRANGO/CEPEA: Consecutivas valorizações reduzem competitividade da carne em julho

Publicados

em


Cepea, 23/7/2021 – As consecutivas elevações nos preços da carne de frango estão na contramão do movimento observado para as duas principais proteínas concorrentes, bovina e suína, que têm se desvalorizado em julho, reduzindo a competitividade da carne de frango na parcial do mês. Segundo pesquisadores do Cepea, a boa liquidez do frango no mercado doméstico tem se dado justamente pela competitividade da proteína, a mais em conta das três alternativas, se favorecendo, portanto, do poder de compra reduzido da população brasileira nos últimos meses. Mesmo com o recuo das vendas na comparação com as concorrentes, agentes do setor da avicultura de corte indicam que os negócios ainda estão aquecidos, apesar do período de segunda quinzena do mês. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Veja Também:  INDICADORES: Boi gordo registra queda no preço nesta segunda-feira (7)
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana