conecte-se conosco


Política Nacional

Procurador do DF quer abrir denúncia contra Bolsonaro por improbidade e peculato

Publicados

em


Presidente Jair Bolsonaro pode ser denunciado por improbidade e peculato
Alan Santos/PR – 26.2.19

Presidente Jair Bolsonaro pode ser denunciado por improbidade e peculato

O procurador da República do Distrito Federal Carlos Henrique Martins Lima enviou à Procuradoria Geral da República uma representação contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. O capitão de reserva é suspeito dos crimes de peculato e improbidade administrativa.

Leia também: Bolsonaro está em “excelentes condições” e já pode retomar dieta sem restrições

O documento protocolado pelo procurador se baseia na suspeita de que Bolsonaro
manteve, entre 2007 e 2016, período em que era deputado federal, uma funcionária fantasma em seu gabinete. Se trata de Nathália Queiroz, que trabalhava no Rio de Janeiro como personal trainer quando deveria estar prestando serviços à Câmara, em Brasília.

Agora, o caso vai para as mãos da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que vai decidir peir ou não abertura de inquérito para investigar o presidente.

Em sua representação Carlos Henrique Martins Lima diz que Bolsonaro não poderá ser investigado por atos anteriores ao mandato. No entanto, pode existir uma investigação, sem que uma ação penal seja aberta enquanto ele seguir no cargo. O procurador também argumenta que a Constituição não fala sobre um presidente responder por crime de improbidade.

Veja Também:  Senadores elogiam 13º do Bolsa Família, mas cobram combate às fraudes

“Tem-se, portanto, que nada impede que o Presidente da República seja investigado e responsabilizado na esfera cível e, na esfera penal, veja a investigação por tais atos ter regular andamento, entendimento partilhado pela atual Procuradora-Geral da República. A imunidade restringe-se à ação penal e respectiva responsabilização por atos estranhos ao seu exercício, no curso do mandato”, escreveu o procurador.

Leia também: Guaidó vem ao Brasil para discutir crise venezuelana com Bolsonaro

Nathália é filha de Fabrício Queiroz
, ex-assessor de Flávio Bolsonaro que foi o pivô do primeiro grande escândalo do novo governo. Ele é investigado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) por ter recebido sistematicamente transferências bancárias e depósitos feitos por oito funcionários que trabalharam ou ainda trabalham no gabinete do deputado na Alerj. Os valores suspeitos giram em torno de R$ 1,2 milhão.

Entre as movimentações financeiras atípicas registradas pelo Coaf, há também a compensação de um cheque de R$ 24 mil pago à primeira-dama, Michelle Bolsonaro, além de saques fracionados em espécie no mesmo valor dos depósitos suspeitos feitos nas respectivas vésperas.

Veja Também:  CRE vai debater prioridades da Defesa Nacional com o ministro Fernando Azevedo e Silva

Leia também: “Se Flávio errou, ele terá de pagar”, diz Bolsonaro sobre caso Queiroz

Chamado para depor sobre o caso Queiroz duas vezes, o ex-assessor de Flávio Bolsonaro 
não compareceu ao Ministério Público. Sua defesa alegou que o suspeito enfrenta problemas de saúde e, por isso, não pôde prestar os depoimentos.

Comentários Facebook
Propaganda

Política Nacional

Cabo Verde quer ampliar relacionamento econômico com o Brasil

Publicados

em


O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, disse hoje (30) que o país africano quer ampliar as relações com o Brasil e alcançar uma cooperação econômica e empresarial “mais visível” entre os dois países. Fonseca está em visita ao Brasil e se reuniu na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro.

Em declaração à imprensa, ele explicou que Cabo Verde faz parte da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental. “Constitui um mercado muito importante e, portanto, os empresários brasileiros podem não só ascender ao pequeno mercado de Cabo Verde, mas ao enorme mercado que Cabo Verde faz parte, onde há países como Nigéria, Senegal e Costa do Marfim. No conjunto são algumas centenas de milhões de consumidores”, disse.

No ano passado, o Brasil exportou US$ 24,8 milhões, em especial produtos agropecuários e derivados do petróleo, a Cabo Verde e importou US$ 20,8 mil, em produtos diversos. Entre janeiro e junho deste ano, o volume de exportações e importações alcançaram a marca dos US$ 11,2 milhões e US$ 18,6 mil, respectivamente.

Veja Também:  CRE vai debater prioridades da Defesa Nacional com o ministro Fernando Azevedo e Silva

Para o presidente Bolsonaro, o país é uma porta de entrada estratégica para a África Ocidental. Ele destacou ainda os acordos já estabelecidos nas áreas de defesa naval e de educação. “Estamos ultimando um acordo de mobilidade que facilitará o trânsito dos nossos povos nesses países-irmãos”, disse Bolsonaro. Neste mês, as relações entre os dois países completaram 46 anos.

O presidente brasileiro disse ainda que aceitou o convite para, oportunamente, visitar o país africano.

Edição: Lílian Beraldo

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Cabo Verde que ampliar relacionamento econômico com o Brasil

Publicados

em


O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, disse hoje (30) que o país africano quer ampliar as relações com o Brasil e alcançar uma cooperação econômica e empresarial “mais visível” entre os dois países. Fonseca está em visita ao Brasil e se reuniu na manhã desta sexta-feira, no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro.

Em declaração à imprensa, ele explicou que Cabo Verde faz parte da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental. “Constitui um mercado muito importante e, portanto, os empresários brasileiros podem não só ascender ao pequeno mercado de Cabo Verde, mas ao enorme mercado que Cabo Verde faz parte, onde há países como Nigéria, Senegal e Costa do Marfim. No conjunto são algumas centenas de milhões de consumidores”, disse.

No ano passado, o Brasil exportou US$ 24,8 milhões, em especial produtos agropecuários e derivados do petróleo, a Cabo Verde e importou US$ 20,8 mil, em produtos diversos. Entre janeiro e junho deste ano, o volume de exportações e importações alcançaram a marca dos US$ 11,2 milhões e US$ 18,6 mil, respectivamente.

Veja Também:  Jorge Picciani é condenadoem 2ª instância a 21 anos de prisão por corrupção

Para o presidente Bolsonaro, o país é uma porta de entrada estratégica para a África Ocidental. Ele destacou ainda os acordos já estabelecidos nas áreas de defesa naval e de educação. “Estamos ultimando um acordo de mobilidade que facilitará o trânsito dos nossos povos nesses países-irmãos”, disse Bolsonaro. Neste mês, as relações entre os dois países completaram 46 anos.

O presidente brasileiro disse ainda que aceitou o convite para, oportunamente, visitar o país africano.

Edição: Lílian Beraldo

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana