conecte-se conosco


Saúde

Rio mostra tendência de aumento de indicadores precoces de covid-19

Publicados

em

O Panorama Covid-19, divulgado hoje (17) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostra cenário com tendência de crescimento dos indicadores precoces da covid-19, mas com busca de leitos ainda em patamares baixos. A análise reflete os dados registrados na semana de 6 a 12 de junho.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, o cenário epidemiológico da covid-19 no estado continua apresentando tendência de aumento.  “Por isso, reforçamos o alerta para que as pessoas que ainda não completaram o esquema vacinal primário (primeira e segunda doses) e aquelas que já estão em tempo de tomar as doses de reforço que procurem um posto de saúde o quanto antes para receber a imunização. As vacinas são seguras e são a forma mais eficaz que temos para evitar casos graves e óbitos pela covid-19”, afirmou.

Segundo a SES, os atendimentos a casos de síndrome gripal nas unidades de pronto atendimento da rede estadual (UPAs) aumentaram 16% em relação à semana anterior. Na semana de 29 de maio a 5 de junho, a média diária foi de 489 atendimentos, sendo 256 pediátricos. Já entre os dias 6 e 12 de junho, a média diária ficou em 568 atendimentos, dos quais 261 foram pediátricos.

Veja Também:  Terça-feira (19): Mato Grosso registra 202.125 casos e 4.846 óbitos por Covid-19

A secretaria informa ainda que a taxa de positividade de antígeno continua em tendência de crescimento. “Na última semana, foram realizados em média 11.500 testes por dia, sendo a positividade de 30%. Em relação ao RT-PCR, estão sendo analisados em média 900 exames por dia, com positividade de 28%. Na semana de 29 de maio a 5 de junho, a positividade dos testes de antígeno estava em 28% e a dos exames de RT-PCR, em 23%”.

As solicitações de leitos para covid-19 apresentaram discreto aumento em relação à semana anterior, com média diária de 13 para UTI e de 14 para enfermaria.  Na semana de 29 de maio a 5 de junho, foram  13 solicitações para UTI e 12 para enfermaria. O mesmo padrão pode ser observado no número de pessoas aguardando leito. A média diária de procura é de 22 leitos de UTI e 22 de ra enfermaria.

A população pode obter mais informações no Painel de Monitoramento da Covid-19. https://painel.saude.rj.gov.

Edição: Nádia Franco

Veja Também:  País recebe mais 1,8 milhão de vacinas pediátricas da Pfizer
Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

InfoGripe aponta tendência de crescimento nos casos de SRAG no país

Publicados

em

Por

O Boletim Infogripe, divulgado hoje (4) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), aponta a retomada do crescimento no número de casos de Síndrome Respiratória Aguda (SRAG) no país, sendo a maior parte deles, 77,6%, positivos para Sars-CoV-2, vírus causador da covid-19. O boletim desta semana mostra que a possível interrupção do crescimento sinalizada na última edição não se manteve

A análise é referente ao período de 19 a 25 de junho. Nesse período houve crescimento tanto na tendência de longo prazo, considerados os casos das últimas seis semanas, quanto na tendência de curto prazo, consideradas as últimas três semanas.

Segundo o Infogripe, a prevalência entre os casos com resultado positivo para vírus respiratórios foi de 2,4% para influenza A, 0,1% para influenza B, 7,6% para vírus sincicial respiratório (VSR) e 77,6% para Sars-CoV-2 (covid-19). Entre as mortes registradas no período, a presença destes mesmos vírus entre os positivos foi de 1% para influenza A, 0,1% para influenza B, 1,4% para vírus sincicial respiratório (VSR) e 94,5% para Sars-CoV-2 (Covid-19).

Veja Também:  Vacina não foi causa da parada cardíaca em criança, diz governo de SP

Entre os bebês e crianças de 0 a 4 anos de idade, o boletim mostra que os casos de covid-19 se aproximam dos de VSR. Esses dois vírus corresponderam a 36% e 39%, respectivamente.

Os dados mostram que 16 das 27 unidades federativas apresentam sinal de crescimento na tendência de longo prazo: Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

Nos estados das regiões Sudeste e Sul há indícios de possível interrupção na tendência de crescimento nas últimas semanas, que devem ser reavaliados nas próximas atualizações para confirmação.  

Apesar do crescimento dos casos de SRAG no país, o boletim mostra que entre a população adulta observa-se sinal de desaceleração, especialmente nas faixas etárias a partir de 50 anos. Nas crianças e adolescentes observa-se manutenção sinal de queda entre os grupos de 0 a 4 e 5 a 11 anos.

Em 2022, de acordo com o boletim, foram notificados 175.110 casos de SRAG, sendo 86.005 (49,1%) com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 65.440 (37,4%) negativos, e ao menos 14.317 (8,2%) aguardando resultado laboratorial.

Veja Também:  Congresso aprova fim de monopólio estatal na produção de radiofármacos

Este ano, referente aos casos de SRAG, foram registradas 28.812 mortes, sendo 21.957 (76,2%) com resultado laboratorial positivo para algum vírus respiratório, 5.442 (18,9%) negativos, e ao menos 597 (2,1%) aguardando resultado laboratorial.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Casos suspeitos de varíola dos macacos sobem para 49 no estado do Rio

Publicados

em

Por

A Secretaria de Saúde do Rio informou há pouco que, até este domingo (3), o número de casos suspeitos de varíola dos macacos (monkeypox) notificados no estado subiu para 49. Até a última sexta-feira (1º), eram 39 casos notificados da doença.

Dos 49 casos, 16 foram confirmados, sendo dez pacientes no município do Rio, incluindo o que veio de Londres, Inglaterra, para a capital; três em Maricá, na Região dos Lagos; um em Queimados, residente em Portugal, e um em Nova Iguaçu, ambos municípios da Baixada Fluminense; e um em Niterói, região metropolitana do Rio, que veio da Inglaterra. Dez casos seguem em investigação e 23 foram descartados.

Os casos confirmados e suspeitos são monitorados diariamente pela Secretaria de Saúde e pelas equipes de Vigilância em Saúde dos municípios, informou o órgão, por meio da assessoria de imprensa.

A secretaria lembrou, entretanto, que embora a doença tenha sido identificada pela primeira vez em macacos, o surto atual não tem relação com esses animais. 

Edição: Graça Adjuto

Veja Também:  Covid-19: Brasil registra 929 mortes e 193 mil casos em 24 horas

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana