conecte-se conosco


Saúde

Rio: parte dos municípios vai antecipar 2ª dose da AstraZeneca

Publicados

em


A antecipação da segunda dose da vacina AstraZeneca vai ser seguida por parte dos municípios do estado do Rio. A diminuição do prazo de 12 para oito semanas entre as doses foi autorizada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), em acordo com o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems).

O município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, está entre os que decidiram antecipar a aplicação da segunda dose da vacina AstraZeneca para todas as pessoas que tomaram a primeira dose até o dia 17 de maio. Para isso, a prefeitura disponibilizará 16 unidades de saúde que funcionarão de amanhã (15) até o próximo domingo (18).

A Secretaria Municipal de Saúde de Nova Iguaçu informou que divulgará o calendário de antecipação da segunda dose da AstraZeneca até o final desta semana. O município de Magé, segundo a prefeitura, está seguindo a orientação da SES de antecipar a segunda dose, atendendo o intervalo mínimo de oito semanas da primeira aplicação para garantir a indicação que consta na bula do imunizante.

Sem antecipação

Na capital do Rio de Janeiro, o intervalo de 12 semanas está mantido e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, informou que somente após a conclusão das aplicações da primeira dose na população acima de 18 anos, que está previsto para o fim de agosto, pode fazer uma nova avaliação sobre a redução do intervalo. Por enquanto, a secretaria segue “alinhada ao Ministério da Saúde e também alinhada com a bula”, conforme Soranz.

A Secretaria de Saúde de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, também vai manter o intervalo de 12 semanas da vacina AstraZeneca. A Prefeitura de Búzios, na Região dos Lagos, disse que aguarda orientações e instruções da SES, sobre “o envio de doses suficientes, orientação formal e oficial, para seguir as determinações recomendadas, sem orientações do governo do estado não podemos antecipar a segunda dose”, concluiu em nota.

Veja Também:  Jovens de Paquetá recebem primeira dose de vacina contra covid-19

Nilópolis

Em Nilópolis, também na Baixada Fluminense, ainda não há previsão de antecipar a data da segunda dose. A Secretaria Municipal de Saúde de Niterói, na região metropolitana, informou que a antecipação da aplicação da segunda dose de Astrazeneca está em estudo no município.

Autorização

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, afirmou, ontem (13), em coletiva no Palácio Guanabara, Laranjeiras, zona sul da cidade que a decisão de autorizar todos os municípios fluminenses a anteciparem de 12 para oito semanas a aplicação da segunda dose da vacina Astrazeneca levou em consideração, entre outros pontos, a quantidade de doses que as cidades já têm em estoque para completar o esquema vacinal da população e a entrada de variantes da covid-19 no estado, como a Delta, chamada de indiana.

Ainda na coletiva, o secretário de estado da Saúde, Alexandre Chieppe, informou que avaliações recentes indicam uma diminuição de eficácia de 9%, mas com intervalo de confiança muito amplo, o que coloca tecnicamente empatado em termos de eficácia a utilização como segunda dose em oito semanas ou com 12 semanas. Para ele, do ponto de vista estatístico, a diferença não é significativa e além disso, há outros ganhos com a antecipação da segunda dose. “Por conta disso, é que a decisão foi tomada. Os recentes estudos, inclusive do fabricante, estão disponíveis na internet”, completou.

Fiocruz

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que produz a AstraZeneca no Brasil informou em nota, que o intervalo de 12 semanas entre as duas doses recomendado por ela e pela AstraZeneca “considera dados que demonstram uma proteção significativa já com a primeira dose e a produção de uma resposta imunológica ainda mais robusta quando aplicado o intervalo maior. Adicionalmente, o regime de 12 semanas permite ainda acelerar a campanha de vacinação, garantindo a proteção de um maior número de pessoas”.

Veja Também:  Quinta-feira (15): Mato Grosso registra 338.597 casos e 8.937 óbitos por Covid-19

A Fiocruz destacou ainda que o regime de doses adotado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) está respaldado por evidências científicas e qualquer mudança deve considerar os estudos de efetividade e a disponibilidade de doses. “Até o momento, a vacina produzida pela Fiocruz tem se demonstrado efetiva na proteção contra as variantes em circulação no país já com a primeira dose. Adicionalmente, em relação à variante Delta, uma pesquisa da agência de saúde do governo britânico, publicada em junho, aponta que a vacina da AstraZeneca registrou 71% de efetividade após a primeira dose e 92% após a segunda para hospitalizações e casos graves”, observou na nota.

São Gonçalo

Sobre a vacinação regular contra o novo coronavírus, a Secretaria de Saúde de São Gonçalo continuou hoje com a aplicação de somente a segunda dose da Astrazeneca. Dez locais estão disponíveis para a população, das 8h às 17h. Nas Clínicas Gonçalense do Mutondo e Dr. Zerbini, no Mutondo, o atendimento é até 21h.

“A vacinação com a primeira dose está suspensa até que a secretaria receba novas doses de imunizantes para dar continuidade à vacinação da população com mais de 18 anos. Ainda não há previsão de recebimento”, informou em nota publicada no seu site. É obrigatório apresentar documento de identidade e o comprovante de vacinação da primeira dose em São Gonçalo.

Edição: Kelly Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Propaganda

Saúde

Covid-19: Presidente sanciona lei com prioridades para vacinação

Publicados

em


O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que inclui gestantes e lactantes como grupo prioritário para a vacinação contra a covid-19. Todas as lactantes são consideradas prioridade, independente de idade da criança ou da existência de comorbidades. Também estão entre as prioridades puérperas, crianças e adolescentes com deficiência permanente ou com comorbidade, e pessoas privadas de liberdade.

A lei teve origem no Senado, em um projeto do senador o senador Jean Paul Prates (PT-RN). Durante os debates no Legislativo, Prates elencou como motivos para a apresentação do projeto a diminuição da chance de uma lactante que volta ao trabalho presencial adoecer e contaminar o filho e a redução do índice de mortalidade materna, entre outros.

Direitos dos idosos

Bolsonaro também aprovou a convocação da 5ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa. O evento será realizado ainda este ano, de forma virtual, em sistema disponibilizado no sítio eletrônico do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

A ideia é possibilitar a participação da sociedade civil, na figura das entidades que atuam na defesa, promoção e garantia dos direitos dos idosos, no debate sobre os desafios e políticas públicas necessárias a essa parcela da sociedade.

Veja Também:  Estado tem 27 vagas em UTI para Covid-19 e 3 pacientes internados

A Conferência será realizada em duas etapas: regional e nacional. Na região Norte, ocorrerá nos dias 4, 5 e 6 do mês de agosto; na região Nordeste, nos dias 9, 10 e 11 de agosto; na região Sul, em 18, 19 e 20 de agosto. No Sudeste, a Conferência será realizada entre 23 e 25 de agosto; e na Centro-Oeste, em 30 e 31 de agosto e 1º de setembro. Já a etapa Nacional está marcada para os dias 29 e 30 do mês de setembro e 1º de outubro.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Covid-19: Brasil tem 42,2 mil casos e 1,3 mil mortes em 24 horas

Publicados

em


Em 24 horas, as autoridades de saúde registraram 42.283 novos casos de covid-19 e 1.318 mortes em decorrência da doença. Os dados são referentes a registros feitos entre ontem e hoje e estão na atualização diária sobre a pandemia do Ministério da Saúde, divulgada pela pasta nesta quinta-feira (29).

Balanço de dados sobre covid-19 divulgado no dia 29/07/2021 Balanço de dados sobre covid-19 divulgado no dia 29/07/2021

Balanço de dados sobre covid-19 divulgado no dia 29/07/2021 – 29/07/2021 Ministério da Saúde/divulgação

Com as novas estatísticas, sobe para 554.497 o número de mortos pela covid-19. Ainda há 3.414 óbitos em investigação.

Com os novos casos, a soma de pessoas infectadas desde o início da pandemia foi para 19.839.369. 

Ainda há 714.881 casos em acompanhamento. O nome é dado para pessoas cuja condição de saúde é observada por equipes de saúde e que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves.

O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 18.569.991. O total representa 93,6% das pessoas infectadas desde o início da pandemia.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (138.436), Rio de Janeiro (58.973), Minas Gerais (50.225), Paraná (35.073) e Rio Grande do Sul (33.246). Os estados com menos mortes são Acre (1.798), Roraima (1.849), Amapá (1.905), Tocantins (3.493) e Alagoas (5.785). O Acre não registrou novas mortes entre ontem e hoje.

Vacinação

Até o início da noite desta quinta-feira, haviam sido distribuídas 176,2 milhões de doses. Conforme o painel de vacinação do Ministério da Saúde, foram aplicadas 138,1 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, foram aplicados 98,5 milhões da primeiras doses e 39,6 milhões da segundas doses ou dose única.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

Comentários Facebook
Veja Também:  Hospital Santa Casa é referência estadual e atendeu 839 crianças com suspeita da Covid-19
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana