conecte-se conosco


Mato Grosso

Secretários de Segurança debatem combate integrado à violência na Amazônia Legal

Publicados

em

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, participa da Câmara Setorial de Segurança Pública, realizada durante o 17º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, de 28 a 29 de março, em Macapá (AP). Os debates foram divididos em dois painéis segmentados por temas em que os gestores deverão debater uma agenda em comum para o enfrentamento da violência na Amazônia.

No primeiro painel será feita uma avaliação da situação atual da segurança pública em cada Estado com a identificação de problemas e objetivos conjuntos para que sejam selecionadas ações prioritárias, de curto e médio prazo, e linhas diretivas para um Plano de Ação.

Já no segundo painel, foi definida uma agenda de trabalho inicial, a partir de três iniciativas: Uso de tecnologias na Segurança Pública – Troca de experiências e estratégias de compartilhamento e integração; Segurança Pública nas Faixas de Fronteira – Operações Integradas e Operações Conjuntas em Áreas Federais (reservas indígenas e florestais).

Os nove estados da Amazônia Legal – Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Pará e Tocantins – compreendem 61% do território brasileiro e os problemas no combate ao crime são comuns, de acordo com Bustamante.

Veja Também: 

“A questão da dificuldade de acessibilidade, falta de efetivo, ausência de recursos e falta de apoio da União nas áreas da sua competência, como a fronteira e combate ao tráfico de drogas, são problemas em comum. O que os nove estados estão buscando fazer é trabalhar em conjunto para tentar integrar as forças, otimizando os meios que tem e compartilhando ferramentas da área de segurança, especialmente tecnologia. Cada estado apresenta as suas dificuldades e boas práticas”, explicou o secretário de Segurança Pública de Mato Grosso.

Bustamante disse ainda que Mato Grosso é referência na integração das forças de segurança, nas áreas de inteligência e tecnologia. “Temos boas ferramentas e elas estão sendo compartilhadas com os demais secretários”.

Ao término das discussões, será feito um resumo de tudo o que foi tratado para subsidiar as deliberações dos governadores no segundo dia do Fórum. Durante a atual edição, os gestores também farão uma avaliação das proposições feitas nos fóruns anteriores e uma análise dos objetivos que já foram alcançados.

Veja Também:  Onças-pintadas impulsionam turismo no Pantanal em MT; 90% dos turistas são estrangeiros

Fórum de Governadores

O Fórum de Governadores da Amazônia Legal foi criado em 2008 com o objetivo de levantar propostas comuns de desenvolvimento sustentável, que possam ser implementadas pelos nove estados que compõem a região: Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Rondônia, Roraima, Pará e Tocantins.

São criadas Câmaras Setoriais para discutir os temas e, ao final de cada encontro, os governadores elaboram uma carta contendo as principais demandas comuns a todos os estados, a fim de que as reivindicações sejam evidenciadas à sociedade civil e Poderes constituídos. No 17º Fórum, as Câmaras Setoriais abordam os seguintes temas: Comunicação Pública, Segurança Pública, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Consórcio Interestadual.

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Ação conjunta entre Penitenciária Feminina e PCE contém entrada de drogas e celulares e prende suspeitos

Publicados

em


Uma ação rápida de policiais penais da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May e da Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, conteve a entrada de materiais ilícitos nas unidades e resultou na prisão dos suspeitos. Um drone foi avistado por uma policial penal da unidade feminina, entre os raios III e IV, por volta de 12h desta sexta-feira (23.07).

O fato foi comunicado imediatamente ao corpo de guarda e uma equipe foi até o raio IV onde um pacote teria caído, mas não encontraram nada. Posteriormente, outra equipe de policiais penais, juntamente com integrantes do Grupo de Intervenção Rápida (GIR) e Serviço de Operações Especiais (SOE), voltaram ao raio e fizeram uma revista minuciosa.

Desta vez, foram encontrados na laje do raio IV e no telhado da escola os seguintes materiais ilícitos: um drone quebrado; duas porções médias de substância análoga a maconha; duas porções médias de substância análoga a cocaína; dois carregadores de celular; nove celulares; três fones de ouvido; três baterias de celular; uma serra; um adaptador; três ponteiras de carregador de celular; e duas placas de carregador.

Veja Também:  Governo garante repasses para 22 instituições filantrópicas

No mesmo momento, policiais penais que estavam na vigilância das torres da PCE avistaram o drone sobrevoando a Penitenciária Feminina Ana Maria da Couto May, e indo em direção à unidade masculina. Eles passaram a seguir o drone e viram três homens e uma mulher em um veículo Gol e uma Honda Biz.

Os quatro saíram correram quando viram os policiais penais e foram em direção a uma casa que fica a duas quadras da PCE, no bairro Jardim Industriário 2. A Polícia Militar (PM-MT) deu apoio à ação e houve troca de tiros na frente da residência, mas ninguém foi atingido. Os quatro foram levados para a unidade e foram encontrados vários celulares, dinheiro, chips, drogas, além de carregadores.

Os quatro foram sendo ouvidos pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) na própria PCE. Um dos suspeitos usa tornozeleira eletrônica.

Foram apreendidos na PCE: um drone modelo Phantom 4; R$ 1.800,00 e US$ 5,00 em espécie; 13 aparelhos celulares (nove smartphones, dois multilaser, dois OLG); dois micro-celulares; um mini smartphone; seis pedaços de serra de aproximadamente 15 cm; uma serra grande de aproximadamente 30 cm; duas carteiras contendo cartões e documentos pessoais; um cartão de memória de 32 GB; um carretel usado de linha de pesca; 14 carregadores com cabos USB; seis cabos USB; cinco fones de ouvido; uma frente de aparelho toca CD com controle; 25 chips de celulares; dois controles de portão; duas baterias; uma maquineta de cartão magnético; dois adaptadores para carregadores de celular; e um cartão de memória.

Veja Também:  Criatividade que gera riqueza
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Escola Técnica de Água Boa será concluída neste ano e também vai ofertar ensino militar

Publicados

em


O governador Mauro Mendes visitou nesta sexta-feira (23.07) as obras da Escola Técnica Estadual (ETE) de Água Boa (a 740 km de Cuiabá) e anunciou que elas devem ser entregues até o fim deste ano.

Acompanhado dos secretários de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), Nilton Borgato, e de Estado de Educação (Seduc), Alan Porto, o chefe do executivo estadual explicou que a unidade ofertará cursos técnicos e também funcionará com gestão militar. 

“Nós vamos abrir aqui uma escola militar durante o dia e no período noturno ofertar cursos técnicos, e, tudo isso vai funcionar por meio de parceria entre a Seciteci e a Seduc, que unidas vão gerenciar e cuidar desta escola. Quero entregar pelo menos mais 12 escolas militares para Mato Grosso”, ressaltou. 

Segundo o secretário da Seciteci, Nilton Borgato, a obra está com 90% de execução e segue para a etapa de acabamento, com previsão de entrega até final do segundo semestre deste ano.]

“Esta obra foi retomada em setembro de 2016. Quando assumimos a gestão, percebemos que faltariam recursos para finalizar, então o governador destinou R$ 2,5milhões para prosseguir os trabalhos e, mesmo com as dificuldades e atrasos decorrentes por questões da pandemia, a obra segue a todo vapor”, disse.

Veja Também:  Governo garante repasses para 22 instituições filantrópicas

O prefeito de Água Boa, Mariano Kolankiewcz Filho, reforça que a instalação desta escola vai impulsionar o desenvolvimento da região. “Tanto Água Boa, quanto os demais municípios que integram a região do Médio Araguaia serão beneficiados com esta nova unidade, que vai ofertar qualificação profissional para mais pessoas. Além disso, será a primeira escola militar da cidade”, falou. 

A construção foi iniciada em 2010, por meio de um convênio assinado com o Governo Federal. Já foram investidos cerca de R$ 10 milhões e no total a obra custará aproximadamente R$12,5 milhões. Os serviços foram paralisados diversas vezes, até que em 2016 a empresa Primus Construção foi contratada para dar andamento aos trabalhos.

O novo prédio instalado no Setor Universitário terá capacidade de atender pelo menos 1,4 mil estudantes. Contará com 12 salas de aula, 11 laboratórios, um laboratório especial, um auditório com capacidade para 150 pessoas, quadra poliesportiva, biblioteca, centro de vivências (refeitório e jardim), além de salas para o administrativo pedagógico. Ao todo, a nova escola técnica terá área de 5.577 metros quadrados.

Veja Também:  Tangará registra 197 mortes por Covid com 92% dos leitos de UTI ocupados
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana