conecte-se conosco


Mato Grosso

Sema apreende 201 redes de pesca e impede a retirada ilegal de toneladas de peixes

Publicados

em

Foram detidos em flagrante 28 suspeitos durante ações de fiscalização da piracema, que acumularam R$ 305,7 mil em multas

Lorena Bruschi | Sema-MT

Sema apresenta balanço da piracema – Foto por: Marcos Vergueiro/Secom-MT

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) apreendeu 201 redes de pesca em fiscalizações preventivas e, com isso, impediu a retirada de toneladas de pescado ilegal dos rios mato-grossenses durante o período do defeso da piracema. A quantidade de apreensões de redes foi 30% maior em comparação com o mesmo período do ano passado, em que foram retiradas de circulação 156 redes.

 “Temos intensificado a apreensão dos equipamentos utilizados na pesca predatória como barcos, redes, apetrechos, sempre com o objetivo de evitar que essa pesca venha a ser efetivada. Apreendemos redes de até 500 metros, que têm um grande impacto na nossa fauna, e retiram muitos peixes de qualquer tamanho, o que prejudica o período reprodutivo”, explica o secretário Executivo da Sema, Alex Marega.

Além de nove unidades regionais que trabalham na fiscalização em todo o estado, a Sema conta com o apoio do Batalhão de Polícia Militar e Proteção Ambiental (BPMPA). A fiscalização seguirá no restante do ano para identificar a pesca que utiliza apetrechos ilegais.  

Foram detidos em flagrante 28 suspeitos durante ações de fiscalização da defeso da piracema, que acumularam R$ 305,7 mil em multas. Em todo o ano de 2020, infratores foram multados em cerca de R$ 900 mil reais. Segundo o secretário, a Sema vem se estruturando para tornar o julgamento destes autos de infração mais célere.

“A determinação é que possamos inscrever os infratores que não pagarem as suas multas na dívida ativa, e nos órgãos de proteção do crédito. Além disso, esse recurso é reinvestido em ações de proteção ambiental”, conta.

A maior concentração de apreensões ocorre nos rios da Baixada Cuiabana e no Pantanal.  A fiscalização realiza patrulhamento diário nas pontes da Região Metropolitana de Cuiabá. Conforme o Coordenador da Fiscalização de Fauna da Sema, Jean Carlo Holz, as ações são realizadas com foco na prevenção dos crimes.

“Fazemos o monitoramento em pontos críticos, tanto no período noturno, quanto no diurno, e buscamos sempre mudar as estratégias parta surpreender os pescadores irregulares. A apreensão de redes e apetrechos de pesca impedem a ação criminosa. Neste ano, só em redes, se estivarmos todo o material apreendido daria 30 quilômetros”, ressalta. 

A piracema iniciou em Mato Grosso no dia 1º de outubro e terminou no último domingo (31.01), de acordo com decisão do Conselho Estadual da Pesca (Cepesca). O período foi antecipado em um mês de acordo com estudos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que apontam que cerca de 80% dos peixes estão em período de reprodução de outubro a dezembro. 

Operação piracema

Foram apreendidos pela equipe da Coordenadoria de Fiscalização de Fauna no período da piracema 46 tarrafas, uma quantidade 58% maior do que no ano anterior, que contou com a retirada de 29. 

Foi apreendido, ainda, 1,1 tonelada de pescado ilegal, 16 armas, 926 apetrechos, 70 embarcações. O pescado foi periciado e destinado para instituições sociais cadastradas. O material de pesca será destruído.

Foram retiradas 559 cevas fixas, que são “armadilhas” feitas com boias e alimentos para peixes, que atraem os cardumes, tornando-os presas fáceis. Foram lavrados 32 autos de infração, 311 autos de inspeção, 136 apreensões, e registrados 66 Boletins de Ocorrência.

Proibição continua nos rios de divisa

Nos rios de divisa, em que uma margem fica em Mato Grosso e outra margem em outro estado, a proibição à pesca segue o período estabelecido pela União, que começou em novembro e termina em fevereiro de 2021.

Em Mato Grosso, 17 rios se encaixam nessa característica de rio de divisa. Entre os mais conhecidos estão o rio Piquiri, na bacia do Paraguai, que uma margem está em Mato Grosso e outra em Mato Grosso do Sul, o rio Araguaia, na bacia Araguaia-Tocantins, que faz divisa com Goiás e, na bacia Amazônica, o trecho do rio Teles Pires que faz divisa com o Pará.

Unidades de Conservação

Nas áreas de unidades de conservação a proibição da pesca é permanente e não fica restrita ao período de Defeso da Piracema. Estes locais de proteção integral possuem uma série de restrições, entre elas as atividades de pesca durante qualquer período do ano.

Denúncias

O cidadão pode denunciar a pesca predatória e outros crimes ambientais à Ouvidoria Setorial da Sema: 0800-65-3838/ou via WhatsApp no (65) 99281-4144. Outros telefones para informações e denúncias: (65) 3613-7394 (Setor Pesca), nas unidades regionais da Sema ou aplicativo MT Cidadão.

Fonte: Assessoria

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres – MT 

Comentários Facebook
Veja Também:  UFMT inaugura espaço de equoterapia para atender crianças com deficiência
Propaganda

Mato Grosso

Mato Grosso apresenta reduções de homicídios dolosos, feminicídios, roubos e furtos

Publicados

em

Apesar do aumento de ocorrências envolvendo drogas, o Estado aumentou a apreensão em 63%, somando mais de 8 toneladas até o momento

Julia Oviedo | Sesp-MT

Na avaliação do secretário Alexandre Bustamente, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos investimentos – Foto por: PMMT,

O estado de Mato Grosso apresentou redução nos principais índices de criminalidade nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2020. Os casos de homicídios dolosos reduziram 7%, com 316 ocorrências, perante 339 no ano passado. Já o número de feminicídios reduziu 30%, passando de 27 casos no anterior para 19 neste ano.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança Pública, vinculada à Adjunta de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Ainda em relação a crimes contra a vida, o roubo seguido de morte teve aumento de 14%, com 14 casos no ano passado e 16 neste ano.

Outros índices que também reduziram foram: roubos (-28%), furtos (-10%), roubo de veículos (-41%) e furto de veículos (-26%). Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, a redução dos principais índices acaba refletindo em uma maior sensação de segurança.

“São números que quando apresentam redução, você consegue perceber um grande aumento da sensação de segurança por parte da população, principalmente relacionado a roubos e furtos, que causam um incômodo muito grande para o cidadão”, disse Bustamante.

Tráfico de drogas

As ocorrências de tráfico e uso de drogas tiveram um aumento de 38% em relação a 2020. Em contrapartida, o número de apreensões de drogas em todo o estado aumentou 63%, passando de 5 toneladas em 2020 para mais de 8 toneladas de entorpecentes apreendidos este ano.

Na avaliação do secretário, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos grandes investimentos, que chegaram a mais de R$ 200 milhões.

“Nós temos a integração e o uso da inteligência como fator forte no estado. E os investimentos que o governo tem feito, com por exemplo um maior número de viaturas, investimentos em radiocomunicação digital, policiais em mais cantos do estado em circulação, possibilitando uma diminuição dos índices criminais”, finalizou Bustamante.

Veja Também:  Secretária de Agricultura visita comunidades rurais para saber das demandas

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Quarta-feira (16): Mato Grosso registra 434.016 casos e 11.549 óbitos por Covid-19

Publicados

em

Há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 83% para UTIs e 42% em enfermaria

Rose Velasco | SES-MT

Um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) – Foto por: Tchélo Figueiredo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (16.06), 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.549 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.096 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.863 estão em isolamento domiciliar e 407.880 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 83,65% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (90.308), Rondonópolis (31.549), Várzea Grande (29.427), Sinop (21.092), Sorriso (15.018), Tangará da Serra (14.872), Lucas do Rio Verde (13.308), Primavera do Leste (11.054), Cáceres (9.359) e Alta Floresta (8.279).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na terça-feira (15.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.533.221 casos da Covid-19 no Brasil e 490.696 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.452.612 casos da Covid-19 no Brasil e 488.228 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quarta-feira (16.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Comentários Facebook
Veja Também:  Mato Grosso registra 12 feminicídios no primeiro trimestre
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana