conecte-se conosco


Tecnologia

Sony vê foto de celular superando câmeras em 2024, mas há desafios

Publicados

em

source
Celulares podem superar câmeras em fotografia
Reprodução

Celulares podem superar câmeras em fotografia

Quando foi a última vez que você usou uma câmera, sem ser a do seu celular? Se você tira fotos só ocasionalmente, isso ter sido há muito tempo. Se você é um fotógrafo profissional ou um amador que leva o hobby muito a sério, deve ter uma DSLR ou mirrorless. Mas mesmo estas câmeras podem estar com os dias contados. Quem projeta isso é a Sony. A tarefa, porém, não é nada fácil.

A aposta da fabricante japonesa foi revelada em uma coletiva de negócios. Terushi Shimizu, executivo da divisão de semicondutores do grupo, disse que, em 2024, a qualidade das fotografias dos smartphones superará a das câmeras de lentes intercambiáveis, como as mirrorless e as DSLR.

Existem alguns fundamentos para essa previsão. A Sony acredita que os celulares terão sensores de imagem maiores, o que ajuda a captar mais luz e melhorar o resultado das imagens. Mas não é só o tamanho que tende a evoluir.

A empresa também aposta em sua tecnologia de dupla camada para sensores CMOS. Graças a ela, é possível separar os processos de manufatura das camadas de fotodiodo e de transistor, aperfeiçoando cada uma delas. A Sony diz que, dessa maneira, consegue fazer cada pixel captar o dobro de luz.

Por fim, uma vantagem que já vemos nos smartphones atuais e deve ficar ainda mais evidente: inteligência artificial. Praticamente todo aparelho no mercado usa técnicas desse tipo para aperfeiçoar as imagens captadas em foco, contraste, saturação e muitos outros parâmetros. Porém, um smartphone ainda é um smartphone.

Veja Também:  Clientes do Banco do Brasil podem pagar o IPVA por WhatsApp

Tamanho limitado

O site Android Authority fez uma análise sobre quais serão os desafios que os celulares vão enfrentar se quiserem bater as câmeras DSLR e mirrorless até 2024.

Colocar sensores maiores não é tão simples quanto parece. Por mais que eles caibam no aparelho, a câmera só consegue aproveitá-los se a lente estiver mais distante — e isso envolve aumentar a espessura, coisa que os consumidores não gostam e os departamentos de design sempre tentam evitar.

Um exemplo disso é o Xperia Pro I, da própria Sony. Seu sensor é bem grande, com uma polegada e 20 megapixels, mas o smartphone só consegue usar 12 megapixels — o que dá 1/1,3 polegadas, o mesmo que outros de topo de linha.

Uma saída para essa questão da distância entre a lente e o sensor é usar a tecnologia de periscópio, que “vira” a luz em 90 graus. Porém, isso requer que o sensor seja ainda menor.

Flexibilidade reduzida

Até aqui, falamos apenas da câmera principal. As outras — ultrawide e teleobjetiva, por exemplo — costumam ter componentes ainda menores. Encaixar três sensores grandes em um smartphone é improvável.

O resultado disso é uma inconsistência na qualidade das imagens, dependendo da lente usada. Essa versatilidade é justamente um dos diferenciais de uma DSLR ou mirrorless.

Veja Também:  EA Sports e FIFA encerram parceria de 30 anos; jogo ganha novo nome

As lentes parecem mesmo ser a grande diferença entre câmeras e smartphones. Os celulares têm aberturas e distâncias focais fixas, enquanto as câmeras podem se adaptar para diferentes situações: usar aberturas menores para diminuir o ruído de imagem, por exemplo, ou conseguir efeito bokeh mesmo distante do objeto. Desenvolver esse aspecto pode ser crucial.

Software avançado

Por outro lado, a parte de software e processamento parece um jogo ganho para os smartphones. Técnicas como modo retrato e HDR automático nos celulares já superam a maioria das câmeras.

Além disso, cada vez mais ferramentas de edição em formato RAW estão disponíveis, e todas elas também se aplicam a vídeo.

Outra grande vantagem é a facilidade para salvar e compartilhar — um smartphone está sempre conectado à internet, cortando muitas etapas do processo.

É possível que a Sony esteja certa. A indústria vem trabalhando muito nos sensores e no pós-processamento, e novidades em lentes devem aparecer nos próximos anos.

Entusiastas e profissionais, porém, dificilmente abrirão mão da versatilidade de uma câmera de lentes intercambiáveis.

Comentários Facebook
Propaganda

Tecnologia

WhatsApp será usado por Defesa Civil para enviar alertas de desastres

Publicados

em

Por

WhatsApp receberá alertas de desastres
Unsplash/Mourizal Zativa

WhatsApp receberá alertas de desastres

O governo federal vai recorrer à tecnologia para tentar proteger vidas durante desastres. Em uma parceria anunciada nesta quarta-feira (29), o Ministério do Desenvolvimento Regional se juntou ao WhatsApp e à empresa de atendimento Robbu para criar um sistema de alertas de desastres por meio do mensageiro. A iniciativa estará disponível em todo o Brasil.

Daniel Ferreira, ministro do Desenvolvimento Regional, assinou o Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para dar continuidade ao desenvolvimento do projeto. A ferramenta deve estar disponível em no máximo 60 dias.

O cidadão precisará se cadastrar usando um número, link ou código. As demais etapas serão guiadas por um chatbot. Depois, o usuário poderá compartilhar sua localização ou fornecer outra de seu interesse.

Assim, ele receberá alertas para aquela região, dicas para se proteger e como sair do local caso haja um desastre. Até mesmo avisos de outros estados poderão ser enviados.

As informações serão fornecidas por municípios e estados, que ficam responsáveis por avaliar e transmitir os alertas de risco. A ideia é que situações como deslizamentos de terra, alagamentos e chuvas de granizo sejam avisadas aos moradores.

Veja Também:  EA Sports e FIFA encerram parceria de 30 anos; jogo ganha novo nome

Defesa Civil usa SMS, Google e Telegram

O WhatsApp é um dos apps mais utilizados e presentes nos smartphones dos brasileiros. Faz todo o sentido recorrer a ele para alertas.

Atualmente, a Defesa Civil envia este tipo de mensagem por outros meios. O órgão conta com a Interface de Divulgação de Alertas Públicos (Idap), que se conecta a vários canais.

Um deles é o SMS, presente há décadas nos celulares. Para se cadastrar, é preciso enviar uma mensagem com o CEP da sua residência (ou do local de seu interesse) para o número 40199.

O governo também conta com um  bot no Telegram para enviar os alertas. Basta compartilhar a localização para receber a situação atual e se cadastrar para anúncios futuros.

A parceria mais recente foi firmada com o Google, no começo de junho de 2022. Com ela, buscas com palavras-chave relacionadas a desastres retornam alertas da Defesa Civil. O Google Maps também passou a apresentar essas informações ao navegar por uma região afetada.

Veja Também:  Mitos e verdades sobre o mundo do retrogaming

Até mesmo as TVs por assinatura estão ligadas ao Idap. Desde 2019, elas podem transmitir alertas através de uma mensagem pop-up na tela.

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Gmail adota como padrão novo visual com Meet e Espaços integrados

Publicados

em

Por

Gmail começa a adotar novo visual como padrão
Unsplash/Solen Feyissa

Gmail começa a adotar novo visual como padrão

O visual do Gmail vai mudar para todos os usuários em breve. Desde a última terça-feira (28), o Google começou a liberar como padrão o novo design da plataforma de e-mails. Com foco na integração entre Mail, Chat, Espaços e Meet, a interface atualizada deve entrar em vigor de forma definitiva até o final de julho.

Em fevereiro, o  Google lançou o novo visual do Gmail para contas pessoais, porém o layout estava em fase de testes e precisava ser ativado pelos usuários. Quem não quisesse experimentar a interface integrada podia escolher continuar no design antigo.

Agora, o Google está se preparando para reformular o Gmail de maneira definitiva. No blog oficial do Google Workspace, a empresa anunciou que uma parcela de usuários vai passar a ver a nova interface da plataforma como padrão. Entretanto, ainda haverá uma opção para reverter o layout a qualquer momento.

A implementação começou em 28 de junho e deve durar por mais de 15 dias. Após esse período, a empresa pretende aposentar de vez o visual atual do Gmail, dando espaço às novas funções do serviço.

Veja Também:  YouTube supera WhatsApp como principal rede de notícias no Brasil

Novo Gmail integra apps do Google Workspace

A ideia do novo layout do Gmail é oferecer uma visualização integrada de aplicativos do Google Workspace, como Mail, Chat, Espaços e Meet. Nele, os serviços ficam localizados em uma barra lateral no canto esquerdo da tela.

Com isso, não é preciso mudar de aba ou janela para acessar outras plataformas do Google Workspace. As bolhas de notificação também irão ficar visíveis em cima dos seus respectivos aplicativos, mantendo as informações concentradas em uma única aba no navegador.

No futuro, o Google ainda pretende unificar a ferramenta de busca para mostrar resultados em todos os aplicativos ao mesmo tempo. Caso o usuário não queira utilizar as demais plataformas do Google Workspace, será possível remover todos os serviços e manter somente o Gmail.

Por enquanto, o novo layout do Gmail está disponível para usuários de contas Google pessoais, assim como do Google Workspace, com exceção do plano Google Workspace Essentials.

Veja Também:  Empresa cria carteira para pessoas venderem seus dados pessoais

O Google prometeu lançar o redesign até o final de junho. Porém, como as novidades ainda estão em fase de testes, a estreia deve ser adiada por mais algum tempo.

Fonte: IG TECNOLOGIA

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana