conecte-se conosco


Economia

Terminam amanhã inscrições para 100 mil vagas do Bolsa Trabalho

Publicados

em

Terminam amanhã (17) as inscrições para o programa Bolsa Trabalho do governo do estado de São Paulo. São cerca de 100 mil vagas para atender pessoas desempregadas com um auxílio de R$ 540, por até cinco meses. O programa oferece ainda curso de qualificação aos participantes.

Os selecionados vão desempenhar atividades em órgãos públicos por 4 horas por dia, 5 dias por semana. Para se inscrever, é preciso ter mais de 18 anos, ser morador do estado de São Paulo há pelo menos dois anos e ter renda familiar menor do que meio salário-mínimo por pessoa.

As inscrições podem ser feitas pela página da Bolsa do Povo, que reúne os programas de auxílio estaduais.

Edição: Lílian Beraldo

Comentários Facebook
Veja Também:  Copom inicia quarta reunião do ano avaliando fim de altas da Selic
Propaganda

Economia

Indicador Antecedente de Emprego da FGV sobe 1 ponto

Publicados

em

Por

O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), teve alta de 1 ponto de maio para junho. Com isso, ele registrou a terceira alta consecutiva e atingiu 81,9 pontos, o maior nível desde novembro do ano passado (83 pontos).

Em médias móveis trimestrais, o Iaemp avançou 2,3 pontos e atingiu 80,8 pontos. O indicador busca antecipar tendências do mercado de trabalho nos próximos meses, com base em entrevistas realizadas com consumidores e com empresários da indústria e dos serviços.

Cinco dos sete componentes do Iaemp contribuíram para a alta, com destaque para tendência dos negócios da indústria. Pelo lado negativo, a principal contribuição veio do indicador de situação atual dos negócios de serviços.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Economia

Comentários Facebook
Veja Também:  Adriano Pires desiste de indicação para presidência da Petrobras
Continue lendo

Economia

Produção industrial cresce 0,3% de abril para maio

Publicados

em

Por

A produção da indústria brasileira cresceu 0,3% na passagem de abril para maio deste ano. É a quarta alta consecutiva. Apesar dos quatro meses de crescimento, a indústria ainda não conseguiu repor a perda de 1,9% de janeiro.

O setor também ainda está 1,1% abaixo do patamar pré-pandemia (fevereiro de 2020) e 17,6% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011.

Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada hoje (5), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com maio de 2021, a indústria cresceu 0,5%. Já na média móvel trimestral, a alta é de 0,4%.

Nos acumulados do ano e de 12 meses, no entanto, houve quedas de 2,6% e de 1,9%, respectivamente.

De abril para maio, 19 das 26 atividades industriais pesquisadas tiveram alta na produção, com destaque para máquinas e equipamentos (7,5%), veículos automotores, reboques e carrocerias (3,7%), produtos alimentícios (1,3%), couro, artigos para viagem e calçados (9,4%) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (5,5%).

Veja Também:  FGV: Índice de Clima Econômico sobe 2,1 pontos no segundo trimestre

Declínio

Sete atividades tiveram queda no período, entre elas indústrias extrativas (-5,6%) e outros produtos químicos (-8,0%).

Entre as quatro grandes categorias econômicas da indústria, apenas os bens intermediários, isto é, os insumos industrializados usados no setor produtivo, tiveram queda de abril para maio (-1,3%).

Bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos usados no setor produtivo, anotaram alta de 7,4%. Também tiveram crescimento os bens de consumo duráveis (3%) e os bens de consumo semi e não duráveis (0,8%).

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Economia

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana