conecte-se conosco


Carros e Motos

Toyota Etios Sedan x VW Voyage: sedãs compactos automáticos se enfrentam

Publicados

em


VW Voyage automático e Toyota Etios Sedan 1.5 estão entre as melhores e poucas opções do segmento no Brasil
Divulgação

VW Voyage automático e Toyota Etios Sedan 1.5 estão entre as melhores e poucas opções do segmento no Brasil

Os sedãs compactos continuam sendo uma boa alternativa com preço relativamente baixo, mas com espaço considerável para levar bagagem. E com a chegada do VW Voyage automático no segmento, consegue-se incluir uma certa dose de conforto para enfrentar o anda e para do trânsito caótico das grandes cidades.

LEIA MAIS: Conheça os sedãs compactos que mais perdem valor no Brasil

Entre as melhores opções do segmento que temos hoje no mercado, estão o Toyota Etios Sedan (parte de R$ 59.990) e o VW Voyage automático
(R$ 62.900), ambos disponíveis com caixa com conversor de torque, nada de automatizado, algo que está fadado a sumir das lojas em breve. Se você pensou que o modelo da marca alemã irá superar fácil o rival, saiba que não é bem assim. 

Tudo bem, o Voyage acaba sendo um pouco melhor que o Etios no cômputo geral, mas a briga entre os dois é mais acirrada do que se imagina. Mesmo com câmbio de quatro marchas, ante o de seis do VW, o Toyota consegue manter diferenças menores de desempenho e consumo do que se pensa, ajudado pela cilindrada (1.5 contra 1.6) e peso ligeiramente menores (965 kg ante 1.058 kg).

 O motor 1.5 do Etios rende até 107 cv e 14,7 kgfm de torque a 3.100 rpm, contra 120 cv e 16,8 kgfm a 4.000 rpm do Voyage. Mas apenas o Toyota tem variador de fase não apenas na admissão mais no escape também. Sobe de giro rápido e funciona com suavidade. Entretanto, o VW ainda conta com mais potência específica: 75,1 cv/l ante 71,5 cv/l.

LEIA MAIS: VW Voyage 1.6 automático: mais conforto ao sedãzinho veterano

E segue a luta com o VW Voyage automático


VW Voyage automático ao lado do rival Toyota Etios Sedan, seu principal rival além do Ford Ka Sedan 1.5
Guilherme Menezes/iG

VW Voyage automático ao lado do rival Toyota Etios Sedan, seu principal rival além do Ford Ka Sedan 1.5

 Acelere e verá que o Voyage é um pouco mais bem disposto, indo de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos, ante 12 s do Etios, que mostra que tem bom isolamento acústico e de vibrações, mesmo em rotações mais altas, o qiue deixa claro que o Toyota evoluiu bastante desde o lançamento no Brasil, em 2012.  Um dos grandes avanços fica por conta da inclusão dos controles eletrônicos de estabilidade e tração entre os itens de série, o que o VW não tem.

Veja Também:  Tesla Model Y, novo SUV elétrico de entrada, acaba de ser revelado

VW Voyage automático tem interior um pouco mais moderno e ergonômico que do rival...
Divulgação

VW Voyage automático tem interior um pouco mais moderno e ergonômico que do rival…

Nas curvas, o Voyage tem como aliado o conjunto de rodas de aro 15 montadas em pneus mais largos e de perfil mais baixo que os do Etios (195/55R15 ante 175/65 R 14). Em ambos, a susoensão consegue absorver bem as irregularidades do piso e, ao mesmo tempo, manter certa estabilidade. 

Em contrapartida, por ter assistência elétrica e não hidráulica, como a do VW, o Toyota é mais fácil de manobrar por exigir menos esforço para girar o volante. E em velocidades mais altas, o sistema da marca japonesa mantém a sensação de segurança ao aumentar o peso da direção conforme o ponteiro do velocímetro vai ganhando altitude, mas sem prejudicar o conforto. 

LEIA MAIS: Saiba quais são os 5 sedãs compactos 1.0 mais econômicos do Brasil

Mas apesar de ter recebido várias melhorias ao longo dos útimos 6 anos, o Etios Sedan
não deixa de ter um projeto de baixo custo e continua com itens como painel de plastico duro e quadro de instrumentos no centro que não tem informacões como temperatura externa, por exemplo. No Voyage, o nível de simplicidade é menor.  A economia feita no VW é notada por detalhes como os botões dos vidros elétricos traseiros no painel e não nas portas, onde deveriam estar.


...que vem com mostrador no centro do painel de plástico duro, ao contrário do VW Voyage automático
Divulgação

…que vem com mostrador no centro do painel de plástico duro, ao contrário do VW Voyage automático

Na questão do espaço interno, porém, o Etios fica na frente do Voyage.  Não apenas pelo entre-eixos (2,55 metros, ante 2,47 metros), o que ajuda a ter maior distância entre as costas dos bancos dianteiros e os joelhos de que vai sentado atrás. O porta-malas do Toyota também fica na frente do concorrente, com cavernosos 562 litros, ante 480 litros do VW.

Veja Também:  Testamos a Magiflux que transfere líquidos de um recipiente ao outro

Quando o assunto é estilo, o Voyage também fica um passo a frente do Etios Sedan, mas com certa discrição. O sedã da VW
recebeu frente renovada na linha 2019 com detalhes vindos da Saveiro, o que inclui faróis maiores, bem como grade e para-choque redesenhados, mudanças que acabam transmitindo uma ideia de robustez ao carro. De qualquer forma, a versão três volumes do Gol ainda se mantém atual, mas não por muito tempo, uma vez que uma nova geração de compactos da VW está sendo esperada para 2021. 

Conclusão

Os dois sedãs compactos automáticos são recomendáveis. Mas o VW Voyage automático
fica um na frente do rival nesse comparativo, embora com uma diferença menor do que se pode imaginar num primeiro momento. Mesmo com câmbio de quatro marchas, o Etios consegue supreender quando o assunto é economia de combustível e desempenho, além de ter mostrado que evoluiu ao longo dos anos no Brasil. 

Ficha Técnica – Toyota Etios X 1.5 AT

Preço: a partir de R$ 59.990

Motor:  1.5, quatro cilindros, flex

Potência:  107 cv (E) / 102 cv (G) a 5.600 rpm

Torque:  14,7 kgfm (E) / 14,3 (G) a 4.800 rpm

Transmissão:  Automático, quatro marchas , tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)

Pneus:  175/65 R14

Dimensões: 4,37 m (comprimento) / 1,70 m (largura) / 1,51 m (altura), 2,55 m (entre-eixos)

Tanque: 45 litros

Porta-malas: 562 litros 

Consumo gasolina: 12,2 km/l (cidade) / 14,9 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 12 segundos 

Velocidade máxima: 186 km/h 

Ficha Técnica – VW Voyage 1.6 automático

Preço: a partir de R$ 62.900

Motor:  1.6, quatro cilindros, flex

Potência:  120 cv (E) / 110 cv (G) a 5.750 rpm

Torque:  16,8 kgfm (E) / 15,8 (G) a 4.000 rpm

Transmissão:  Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios:  Discos ventilados (dianteiros) / tambor (traseiros)

Pneus:  195/55 R15

Dimensões: 4,21 m (comprimento) / 1,66 m (largura) / 1,46 m (altura), 2,47 m (entre-eixos)

Tanque: 55 litros

Porta-malas: 480 litros 

Consumo gasolina: 11 km/l (cidade) / 14,3 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 10,2 segundos

Velocidade máxima:  190 km/h   

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Hyundai revela sedã elétrico Ioniq 6, que faz de 0 a 100 km/h em 5,5 s

Publicados

em

Por

Ioniq 6 é novo sedã elétrico de submarca da Hyundai que chega para brigar com Tesla S e companhia
Divulgação

Ioniq 6 é novo sedã elétrico de submarca da Hyundai que chega para brigar com Tesla S e companhia

A Hyundai revela seu novo sedã elétrico, o Ioniq 6, sendo esse o segundo lançamento da submarca Ioniq, focada em carros elétricos do segmento Premium.

Assim como o 5, o Ioniq 6 traz um visual muito próximo a de um conceito já apresentado pelos coreanos, nesse caso, foi o Prophecy, revelado em março de 2020.

O novo Ioniq chama a atenção pelo caimento do teto digno de cupê esportivo, e afirma o compromisso da submarca da Hyundai com a ousadia, ao levar para as linhas de produção seus modelos com desenho pouco convencionais no mercado automotivo atualmente.

Na traseira, a iluminação possui um desenho pixelado, que será a marca registrada da Ioniq segundo a Hyundai, e dá a impressão de futurista, ao sedã e ainda conta com dois aerofólios, um possui um LED na extremidade e lembra o dos Porsche Turbo da década de 1970, e outro acima das lanternas.

Veja Também:  Programação do BMW Driver Training está agendada para o 1º semestre

Na dianteira, o design é bem simples, os faróis são grandes e com as luzes diurnas seguindo o padrão pixelado, o para-choque possui entradas de ar “escondidas”, e um sensor no centro.

Na cabine, o desenho é minimalista e moderno, e possui duas telas de 12 polegadas, uma para o sistema de infotenimento e outra para o painel de instrumentos, e também, há duas telas adicionais, no canto do painel que servem como retrovisores digitais, sistema similar ao do Audi E-tron .

A porta é bem limpa, e possui apenas os puxadores, nichos porta-objetos e filetes de LED que possuem 64 cores e 6 temas pré-definidos para ambientar a cabine do Ioniq 6 .

Diferente do Ioniq 5 , que não havia um console central, apenas um porta-copos, o 6 já possui um design mais tradicional neste sentido, e conta com o console, que segundo as imagens parece ser bem espaçoso e possuir os comandos para vidros elétricos, por exemplo.

Veja Também:  Audi revela nova linha de híbridos para o Salão de Genebra 2019

A Hyundai não divulgou muitas informações sobre o Ioniq 6, até as imagens de divulgação parecem ter sido limitadas pela fabricante, e não há muitas informações técnicas até o momento.

O que se sabe é que o Ioniq 6 será fabricado na plataforma E-GMP, que também deriva o Ioniq 5 , Kia EV6 e Genesis GV60 e possui estrutura de carregamento de 800 volts, uma das mais poderosas do mercado de veículos elétricos atualmente.

Nesses veículos, são oferecidas baterias de 58 ou 77.4 kWh, em versões de tração traseira ou integral, com potências variando entre 168 e 577 cv.

As autonomias mudam de acordo com modelo e potência dos motores, mas no caso do Ioniq 5 , na versão de longo alcance, suas baterias fazem até 480 km com apenas uma carga. O Hyundai Ioniq 6 deve chegar às lojas coreanas e européias no ano que vem, e além do Tesla Model S , irá enfrentar modelos como Volkswagen ID.Aero , BMW i4 , e indica que o segmento de sedãs, pelo menos elétricos, esteja sendo reaquecido.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Chinesa Kove pode entrar em breve no mercado global de motocicletas

Publicados

em

Por


Kove Motorcycles já tem alguns modelos para disputar um lugar de destaque no mercado global
Divulgação

Kove Motorcycles já tem alguns modelos para disputar um lugar de destaque no mercado global

A Kove Motorcycles, uma empresa estabelecida em Lhasa, no Tibete, não é tão conhecida assim no mercado global, mas, só por pouco tempo, pois a empresa tem planos ambiciosos para inserir seus veículos em todos os continentes e ser reconhecida mundialmente.

De acordo com um relatório da revista Cycle World, a ‘Kove Hyper’ foi registrada como marca registrada na Malásia, Filipinas, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Israel, Mongólia e nos bons e velhos EUA e com isso atingir o mercado global.

No passado, a Kove , também conhecida como Colove ou Tibet Summit Colove Motorcycle Sales em seu mercado nativo da China, criou designs de motocicletas surpreendentemente semelhantes aos de outros fabricantes, particularmente os do Japão e da Europa.

Veja Também:  Ford Maverick estreia no Brasil enfrentando a rival Fiat Toro

Além disso, algumas de suas motos, como a 321RR , têm o que parece ser um motor Yamaha R3 com engenharia reversa, enquanto a Colove 500X é uma réplica exata de um motor Honda CB500X.

A Colove do Tibet New Everest Industrial Group é um negócio que foi estabelecido em 1995. A empresa produz bicicletas de deslocamento médio e grande, motocicletas, triciclos e veículos elétricos.

Apesar de parecer pequena, no mercado chinês tem diversas instalações chinesas (Chongqing, Taizhou Zhejiang, Jiangmen Guangdong, Chengdu, Yanshi Henan, Xinhua Henan, Renqiu Hebei e Linyi Shandong).

De acordo com alguns rumores, além do mercado global, a marca estaria desenvolvendo um novo motor de quatro cilindros, de 400 cc de cilindrada, com uma linha vermelha declarada de 16.000 rpm e uma potência máxima de 72,4 cv de potência a 13.500 rpm.

Com esses números, a moto pode ter semelhanças com o quarto de litro em linha da Kawasaki no ZX-25R , ou o motor de 400 cc da Honda, agora descontinuado, encontrado no CB400 Super Four.

Veja Também:  Audi revela nova linha de híbridos para o Salão de Genebra 2019

Além disso, semelhante ao motor apresentado na série KTM 790 , Kove também exibiu desenhos para um bicilíndrico paralelo de 800 cc (790 LC8) e que está agora sendo produzido na China para a KTM pela CFMoto , e está instalado no CFMoto 800MT adventure-tourer.

Assim, é provável que a aquisição dos projetos para este motor esteja dentro da capacidade da Kove . A questão é simplesmente se eles vão licenciá-lo oficialmente ou apenas copiá-lo, como supostamente fizeram com outras configurações de mecanismo populares.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana