conecte-se conosco


Carros e Motos

Toyota Yaris XL 1.3 CVT mostra bom custo-benefício se comparado ao XS 1.5

Publicados

em


Toyota Yaris XL 1.3 CVT vem com rodas de liga-leve, mas sem o acabamento mais caprichado das versões 1.5 do compacto
Carlos Guimarães/iG

Toyota Yaris XL 1.3 CVT vem com rodas de liga-leve, mas sem o acabamento mais caprichado das versões 1.5 do compacto

No terreno dos haches compactos mais caprichados, o Toyota Yaris tem entre os principais rivais o VW Polo. Na versão mais em conta XL do modelo da marca japonesa é possível escolher pelo câmbio automático CVT para ter uma dose extra de conforto nível de equipamentos que satifaz no dia a dia.

 LEIA MAIS: Honda Fit EX-L da linha 2019 enfrenta o rival Toyota Yaris XLS. Qual vence?

Com preço sugerido que parte de R$ 67.090, o Toyota Yaris
XL 1.3 CVT pode ser encontrado com pacote Plus Tech, que o faz atingir R$ 71.790, ante R$ 75.890 do XS 1.5 com o mesmo tipo de transmissão. Na prática, a versão de menor cilindrada vale mais a pena, uma vez as as diferenças entre as duas são pequenas, inclusive quando o assunto é consumo e desempenho.

Apenas o curso do pistão do motor 1.3 é diferente do 1.5. O restante é praticamente igual. Em ambos, há duplo comando com variador de fase na admissão e escape. Nos dois também é preciso pisar com um pouco mais de vontade no acelerador para conseguir extrair agilidade suficiente para ultrapassagens rápidas e seguras, uma vez que o pico da força aparece em relativamente altos 4.000 rpm.

LEIA MAIS:  oyota Yaris 2019 chega em nova versão aventureira X-Way


Toyota Yaris XL1.3 tem a mesma traseira da versão XS 1.5 exceto pelo logo no canto direito e as lanternas escurecidas
Carlos Guimarães/iG

Toyota Yaris XL1.3 tem a mesma traseira da versão XS 1.5 exceto pelo logo no canto direito e as lanternas escurecidas

No caso do Yaris 1.5
, a única vantagem é que o câmbio automático CVT vem com hastes atrás do volante, o que ajuda numa tocada mais animada. A questão é que o Toyota não é dos hatches compactos mais ousados. E prioriza o rodar comfortável, sem pretensões esportivas. Portanto, é melhor ir devagar com o andor. Nas curvas, a carroceria costuma inclinar mais que o ideal, mas transmite segurança, ajudado pelos controles eletrônicos de estabilidade e tração.

Veja Também:  Carros com freios automáticos serão obrigatórios em 40 países a partir de 2020

 O volante de três raios do Yaris XL 1.3 tem boa empunhadura, vem com os principais comandos do sistema de som, mas faltou o ajuste de profundidade. A área envidraçada garante visibilidade adequada para o porte do carro e os níveis de vibração e de ruído são baixos o suficiente para manter o conforto, um dos pontos fortes do Toyota.

 LEIA MAIS: Toyota Yaris Sedan encara o rival Honda City

Nesse aspecto, até o revestimento aveludado dos bancos e laterais das portas ajuda, mas o tecido favorece o acúmulo de energia eletrostática, o que exige certo cuidado para não tomar pequenos choques assim que toca na carroceria, ao sair do carro.

Mais detalhes do Toyota Yaris 1.3 CVT




Toyota Yaris 1.3 CVT é simples por dentro, sem o mostrador de TFT no quadro de instrumentos e entrada USB escondida
Divulgação

Toyota Yaris 1.3 CVT é simples por dentro, sem o mostrador de TFT no quadro de instrumentos e entrada USB escondida

Dois aspectos que incomodaram no hatch compacto
no dia dia foram: primeiro, a falta de sensores nos para-choques para ajudar nas manobras de estacionamento, principalmente porque também não há câmera de ré. Depois, existe somente uma entrada USB na versão XL do Yaris com pacote Plus Tech. Ela fica escondida dentro do porta-objetos central, acessado ao abrir a tampa que tambem serve de apoio de braço. Além disso, se quiser ver informações do computador de bordo terá que apertar um pequeno botão no próprio cluster, o que causa certo incômodo.

Veja Também:  Ford Corcel GT: o esportivo no estilo nacional

 Quando o assunto é consumo de combustível, o Yaris XL 1.3 CVT até gasta um pouco mais na estrada que o XS 1.5, de acordo com os números fornecidos pelo Inmetro. Na cidade, ambos se equivalem, com 9 km/l de etanol e 13 km/l com gasolina. Em trecho rodoviário, o 1,3 faz 9,9 km/l de etanol e 14,2 km/l de gasolina, ante 10,6 km/l e 14,5 km/l, respectivamente.

 LEIA MAIS:  Toyota Yaris Sedan: ele é melhor que Honda City e VW Virtus?

O espaço interno do Yaris XL 1.3 CVT é suficiente para levar quatro ocupantes com conforto. O quinto passageiro, que fica no centro do banco traseiro, terá alguma dificuldade de se acomodar as pernas, atrapalhado por parte do porta-objetos central. Porém, há alças de apoio e altura do teto compatível para ninguém com estatura até um pouco acima da média reclamar de algo. No porta-malas de 310 litros há espaço razoável para um hatch compacto.

Conclusão

Pela diferença de preço entre o Toyota Yaris
XL 1.3 CVT com pacote Tech Plus em relação ao XS 1.5 CVT, o modelo de menor cilindrada é uma escolha interessante por oferecer quase o mesmo por cerca de R$ 4 mil a menos. O problema é quando o modelo da marca japonesa é comparado com o VW Polo 1.6 automático, que sai por R$ 71.385, com mais fôlego, conjunto mais bem acertado e um pacote equipamentos com eficiência extra.

Ficha Técnica – Toyota Yaris XL 1.3 CVT

Preço: a partir de R$ 67.090

Motor:  1.3, quatro cilindros, flex

Potência (cv):  94 (G) / 101 (E) a 5.600 rpm

Torque (kgfm):  12,9 (G) / 12,5 (E) a 4.000 rpm

Transmissão:  automática, CVT, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios:  Discos ventilados (dianteiros) / tambor (traseiros)

Pneus:  185/60 R15

Dimensões: 4,15 m (comprimento) / 1,73 m (largura) / 1,49 m (altura), 2,55 m (entre-eixos)

Tanque: 45 litros

Porta-malas: 310 litros 

Consumo etanol: 9 km/l (cidade) / 9,9 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 13,1 km/l (cidade) / 14,2 km/l (estrada)

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

Usuários podem realizar diversos serviços do Detran-MT pela internet

Publicados

em

A opção de realizar serviços online é uma forma de evitar o deslocamento desnecessário do cidadão a qualquer unidade da autarquia, especialmente no atual momento de prevenção à propagação do novo coronavírus

Lidiana Cuiabano | Detran-MT

Serviços online no site do Detran-MT – Foto por: Lidiana Cuiabano

Serviços online no site do Detran-MT

Diversos serviços do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) relacionados a Habilitação e a Veículos podem ser realizados através do site da autarquia (www.detran.mt.gov.br).

A opção de realizar serviços online é uma forma de evitar o deslocamento desnecessário do cidadão a qualquer unidade da autarquia, especialmente no atual momento de prevenção à propagação do novo coronavírus.

Ao entrar no site do Detran-MT, já na página principal, estão disponíveis dois menus: “Consulte Sua Habilitação” e “Consulte Seu Veículo” os quais os cidadãos têm acesso a informações sobre habilitação e o veículo consultado, como infrações em autuação, multa, débito em aberto, além da opção de emissão do licenciamento e Seguro DPVAT.

Ainda na página principal do site, também está disponível o menu “Consulte Sua Infração”, pelo qual é possível consultar a infração, o recurso de infração, recurso de defesa de autuação e demais informações sobre penalidades.

Outro menu disponível no site é o de “Serviços Online”. Ao clicar nele, o usuário consegue ter acesso rápido a serviços de Habilitação como: solicitação de segunda via de CNH, consulta de condutor e pontuação, validação de documento, consulta de turmas de exame teórico, solicitação de CNH definitiva, consulta de taxas de habilitação e recursos de infração, consulta da Permissão Internacional para Dirigir (PID).

Veja Também:  Carros com freios automáticos serão obrigatórios em 40 países a partir de 2020

Todos os serviços relacionados acima podem ser feitos 24 horas por dia.

Atendimento presencial

O atendimento presencial está sendo realizado exclusivamente para os serviços que não estão disponíveis online. Para tanto, é necessário que o usuário faça o agendamento do seu atendimento através do site do Detran-MT (www.detran.mt.gov.br). O horário para atendimento com agendamento é das 8h às 16h, de forma ininterrupta.

Para agendar, basta acessar o endereço eletrônico do Detran-MT e clicar na mensagem de tela (pop up), que irá direcionar à página de agendamento.

Ao entrar na página, deve preencher o formulário com os seus dados pessoais, escolher a unidade a qual deseja ser atendido e agendar a data e o horário para o atendimento presencial.

São realizados o atendimento presencial por agendamento dos seguintes serviços na área de Veículos: transferência de propriedade, emplacamento, emissão de CRV, segunda via de CRV, mudança de característica de veículo, vistoria, mudança de categoria do veículo, inclusão e baixa de financiamento, substituição, gravação e regravação de motor; gravação e regravação de chassi, comunicação de venda, baixa definitiva, troca de placa para Mercosul, serviços de controle veicular (recebimento e liberação de veículos no pátio), auditoria dos processos, serviços de infrações (recurso de defesa e Jari).

Veja Também:  Ford Corcel GT: o esportivo no estilo nacional

Já na área de Habilitação podem ser agendados os serviços de: coleta de imagem, primeira habilitação, mudança e adição de categoria, renovação de CNH, alteração de dados, registro de estrangeiro, transferência de UF/Ciretran, retirada de CNH, indicação de real condutor, exames teóricos digitais (com agendamento próprio).

O Detran-MT reforça que, no atendimento presencial, é permitida a entrada somente do usuário com atendimento agendado, utilizando máscara, sendo vedada a entrada de acompanhantes.

Para garantir a segurança dos usuários e servidores, o Detran-MT disponibilizou kit contendo máscara, luva e álcool em gel para todos os servidores, bem como álcool 70% na entrada da unidade de atendimento para os usuários com atendimento agendado. Também está sendo respeitado o distanciamento mínimo para contato entre usuários e servidores.

Fonte Assessoria

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Dicas sobre o compressor do sistema de ar-condicionado automotivo

Publicados

em

Categoria: Dicas/Auto

Um dos sistemas mais requisitados por clientes, quando vão adquirir um automóvel, é que este possua um sistema de climatização. Porém, são poucos motoristas que podem afirmar que possuem conhecimento sobre seu funcionamento. Quando compreendemos as etapas de funcionamento do sistema, temos habilidade para identificar quando este não está em seu melhor desempenho. Este sistema cuida da climatização do automóvel, tornando o ambiente agradável, em dias de muito calor. Mas atua também em outros dias, como em períodos de chuva intensa, pois impede que os vidros e painel fiquem embaçados, além de proibir que poeira e outros componentes presentes no ar.

O ar condicionado pode se apresentar de duas formas: manual ou analógico e digital. Em ambos é possível regular a temperatura em que o ar deve estar quando sair dos tubos de circulação. Os principais componentes deste sistema são: compressor, condensador, mangueiras e tubos. O compressor é responsável por comprimir o que foi retirado do evaporador e enviá-lo para o condensador. O condensador cuida de uma importante mudança, que é referente ao estado físico, pois o gás líquido do sistema se condensa, passando para o estado gasoso e elimina o calor do ar, através dos tubos. As mangueiras permitem que todo o sistema esteja interligado.

Veja Também:  Carro voador é atração no Salão de Genebra

Como garantir maior tempo de vida útil para o sistema de climatização do automóvel?

Todos os componentes do sistema possuem uma vida útil, ou seja, a partir de um certo momento estes irão apresentar defeitos. Os carros que foram fabricados recentemente, não sofrem com o problema relacionado a idade. Para que se possa aumentar o tempo de vida útil, principalmente dos sistemas mais antigos, é necessário, em um primeiro momento, observar como está o funcionamento do ar condicionado e seu resfriamento.

1) Cheque todos os componentes, um a um. É comum que o automóvel apresente defeitos como: ventoinha do condensador, vazamento do gás refrigerante e fusíveis queimados, que impedem a circulação do ar. É importante conferir todas as peças pois, em muitos casos, pode-se descobrir fios em má conservação e outros itens que, com uma troca rápida, permitem que o sistema funcione com total eficiência.

2) Realizar manutenção periódica. Toda a tecnologia necessita de manutenção para que continue executando sua função corretamente e a deste sistema deve ser feita a cada seis meses ou a cada 30 mil quilômetros rodados.

3) Higienização. Por estar em constante troca de ar entre os meios, ou seja, do ambiente para o carro e vice-versa, o sistema tem filtros que purificam este ar, retendo poeira, ácaros, fungos e entre outros seres. É necessário higienizá-lo uma vez por ano, podendo trocar o filtro de retenção e realizar limpeza dos tubos.

Veja Também:  Fiat Mobi 2019 chega com descontos para PcD a partir de R$ 25.799

4) Dar partida no automóvel com o sistema desligado. Discute-se que isto não é um problema, porém, carros mais novos possuem um sistema elétrico de proteção que automóveis com mais de dez anos de fabricação não possuem. Iniciando a partida com o sistema em funcionamento, induzirá uma pausa e após algum tempo, voltará a funcionar. Desta forma, exige que o compressor trabalhe mais, o que gera um desgaste em todo o sistema, diminuindo sua vida útil.

Caso apareça algum problema no sistema do ar-condicionado do seu veículo, procure um centro automotivo de confiança, com mecânicos capacitados para identificar qualquer problema que seu carro possa apresentar. Lá, o mecânico pode fazer a substituição do compressor do ar-condicionado com peças que podem ser adquiridas na Loja Online autopecas24.pt ou lojas físicas. Outro ponto importante: a não ser que você possua os conhecimentos necessários para realizar reparos e substituições, não mexa em nada do seu veículo por conta própria.

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana