conecte-se conosco


Policial

Traficantes são presos na Capital com drogas sintéticas que seriam comercializadas no Carnaval

Publicados

em

Assessoria | PJC-MT

Uma operação com alvo em dois traficantes envolvidos no comércio de drogas sintéticas foi deflagrada pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil, na manhã desta quinta-feira (28.02), em Cuiabá. O trabalho resultou em três pessoas conduzidas, além apreensão de dois veículos e de drogas como ecstasy, lsd, anabolizantes, e medicamentos abortivos.

Os suspeitos Patrike Moro de Castro, 33, e Diego de Lima Datto, 34, foram presos durante cumprimento de mandado de busca e apreensão decretado pela 13ª Vara Criminal de Cuiabá e autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. O terceiro conduzido, T.L.D., 37, responderá a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por uso de drogas para consumo próprio.

A ação foi desencadeada após a DRE receber informações de que os suspeitos estavam em posse de grande quantidade de drogas sintéticas que seriam comercializadas, em festas raves da Capital, durante o período do Carnaval. Diante da denúncia, o delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, representou pelas ordens judiciais de busca e apreensão domiciliar, cumpridas nos apartamentos dos suspeitos, nos bairros Monte Líbano e Araés.

Veja Também:  Operação Lei Seca apreende 31 veículos em Cáceres

Na casa de Patrike, foram apreendidos comprimidos de ecstasy, anabolizantes e dinheiro. No apartamento de Diego, os policiais encontraram ecstasy, lsd, anabolizantes e medicamentos abortivos. No quarto do irmão de Diego, T.L.D., os policiais apreenderam ampolas de anabolizantes utilizadas para consumo próprio. Entre as substâncias apreendidas, estão 69 comprimidos de ecstasy da cor roxa, 41 da cor verde e 02 de cor branca.

As buscas ainda resultaram na apreensão de dois veículos (um Mitsubishi Lancer e um Honda Civic) com resquícios de drogas, demonstrando que eram utilizados no transporte de entorpecentes, além de máquinas de cartão usadas na comercialização ilícita e rádios de comunicação para auxiliar a organização das vendas nas festas.

“O suspeito, Patrike, é dj e usava da função para fomentar a comercialização do entorpecente na ‘balada’. A droga apreendida em poder dos investigados seria comercializada em festas raves da Capital”, disse o delegado Vitor Hugo.

Todo material ilícito encontrado nas buscas foi apreendido e os suspeitos encaminhados a DRE, onde foi lavrado o flagrante de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Veja Também:  Polícia Civil descobre escritório do tráfico e prende membros de facção em Rondonópolis

 

Comentários Facebook
Propaganda

Policial

Companhia Raio encontra maconha com trio durante motopatrulhamento

Publicados

em


Policiais da Companhia Raio encaminharam à Delegacia na madrugada desta sexta-feira (23.07), dois homens 20 e 21 anos e um adolescente de 16 anos, por estarem com porções de maconha durante abordagem.

A equipe realizada motopatrulhamento pelo bairro Jardim Vitória, na Capital e solicitaram ordem de parada ao motorista de um Fiat Uno vinho, e os outros dois de passageiro.  Dentro do carro foram encontradas cinco porções de maconha.

O adolescente apontou um dos homens monitorado por tornozeleira eletrônica como dono da droga. Os policiais foram até o local de trabalho do denunciado, uma borracharia e encontraram mais porções da mesma droga.  

O trio, a droga e dinheiro foram entregues na Central de Flagrantes. (Texto sob supervisão)

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 08000.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Veja Também:  Homem é preso por importunação sexual em São José do Rio Claro
Fonte: PM MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Filha e genro de idoso que morreu em incêndio são presos pela Polícia Civil

Publicados

em


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

A filha e o genro de um idoso, morador de Mirassol d’Oeste, foram presos nesta quinta-feira (22.07) pela equipe da Polícia Civil do município em cumprimento a decisões judiciais dentro do inquérito que apura a morte de Toshio Ono, 77 anos.

Toshio morreu durante um incêndio em sua casa, no centro da cidade, no dia 26 de junho. O fogo consumiu toda a residência e após o incêndio ser controlado, o corpo dele foi localizado em meio aos escombros.

A delegada Carla Nogueira representou pela prisão temporária do casal, depois que o inquérito instaurado para apurar as circunstâncias da morte do idoso apontou elementos de que o incêndio pode não ter sido acidental.

Foram realizadas diversas diligências e oitivas de familiares e testemunhas. A Policia Civil aguarda a conclusão dos laudos do local e do DNA do corpo de Toshio Ono, que ficou completamente carbonizado.

“Não podemos dizer que eles são culpados, porém, com base nos elementos de prova colhidos até agora, a Polícia Civil representou pela prisão temporária para esclarecer mais pontos na investigação e evitar que os investigados fujam do distrito da culpa”, esclareceu a delegada.

Veja Também:  Jovem é torturado, leva tiro na mão e tem que implorar para nao ser assassinado em Tangará

Incêndio

 Durante rondas no centro da Mirassol d’Oeste, na noite de 26 de junho, uma equipe da Polícia Miitar avistou uma grande nuvem de fumaça e ao checar a origem, se deparou com uma residência em chamas. No local estavam pessoas que moravam em uma residência próxima ao local do incêndio e não conseguiram sair do quintal, sendo socorridos pelos policiais que removeram o portão e retiraram as pessoas que pediam por socorro.

Os policiais solicitaram apoio da prefeitura do município e de uma usina com caminhões-pipa para conter as chamas. As testemunhas, em estado de choque, informaram que estavam dormindo em uma casa nos fundos no mesmo quintal da casa do idoso, e que quando perceberam o fogo já estava alastrado.

Inicialmente, as testemunhas disseram que não sabiam que a vítima que morreu carbonizada estava dentro da casa, pois o mesmo costumava dormir na casa de parentes.

Os policiais foram na casa de familiares onde a vítima costumava pernoitar e não o encontraram. Somente após o fogo ser controlado com uso de três caminhões pipa, foi possível encontrar a vítima carbonizada, em meio aos escombros.

Veja Também:  Arenápolis: polícia suspeita que 4 jovens mortos em chacina foram vítimas de 'queima de arquivo'

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana