conecte-se conosco


Mato Grosso

Unemat entrega diploma de Doutor Honoris Causa ao cacique Raoni

Publicados

em

por Hemilia Maia – Foto por: Marcelo Mundim

 

Cacique Raoni e Rodrigo Zanin, reitor da Unemat

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) entregou o diploma de doutor honoris causa ao cacique Raoni, líder indígena Mebêngôkre (Kayapó), nesta quarta-feira (11.11), em ato cerimonial realizado em Colíder-MT.  A concessão foi aprovada pelo Conselho Universitário da Unemat (Consuni) em dezembro de 2019. A indicação é o reconhecimento por tudo que sua trajetória de luta pelos direitos dos povos indígenas e pela preservação da Amazônia representa para os povos originários do Brasil.

O diploma foi entregue ao homenageado pelo reitor da Unemat, Rodrigo Bruno Zanin, que reafirmou a importância que o cacique Raoni representa para os povos indígenas e, destacadamente, para a Unemat. “O título de doutor concedido faz jus a luta e ao conjunto de ações que o cacique Raoni desenvolveu e liderou ao longo de sua vida. Uma vida que é sinônimo de esperança de uma sociedade justa de respeito e preservação do meio ambiente e de defesa do seu povo. O cacique é uma liderança reconhecida mundialmente e a Unemat sente-se honrada em conceder o título de doutor ao cacique Raoni.”

Raoni recebeu emocionado a homenagem e falou, em seu idioma, do imenso prazer em receber da Unemat o título de doutor honoris causa, pois este ato significa para ele e seu povo a luta pela permanência da floresta, da demarcação das áreas indígenas e da continuidade da vida. O cacique foi prestigiado também por seus familiares e pela neta Mayalú, egressa do curso de Geografia da Unemat, em Colíder, e primeira mulher com ensino superior completo do seu povo.

Veja Também:  Drogas são retiradas de circulação em Denise

Líder indígena Mebêngôkre (Kayapó) nascido em Kapôt no Estado de Mato Grosso, no início dos anos 1930, o cacique Raoni gerou pressões e incomodou todos os ocupantes do Palácio do Planalto do período de Figueiredo a Bolsonaro. Raoni é mundialmente conhecido como um ícone da reivindicação pelos direitos indígenas, por sua intensa mobilização contrária à construção da usina hidrelétrica de Belo Monte e do Complexo Hidrelétrico do Xingu, que teve sua construção paralisada por mais de 20 anos com a exigência de revisão dos projetos de desenvolvimento para a região do Xingu e com o lançamento da Declaração Indígena de Altamira.

O cacique teve uma atuação bastante significativa durante o processo da Assembleia Constituinte de 1988 que garantiu direitos fundamentais para os povos indígenas, em particular com respeito à demarcação de terras indígenas. Foi neste período também que o cacique ganhou notoriedade mundial com a parceria do cantor britânico Sting. Com o apoio internacional, Raoni criou as organizações não governamentais Rainforest Foundation e a Fundação Mata Virgem para proteger as florestas e os Mebêngôkre. Além desta parceria, Raoni conquistou importantes apoiadores à causa como o então presidente francês François Mitterrand, o ex-primeiro-ministro francês Jacques Chrirac, o rei Juan Carlos da Espanha, o príncipe Charles da Inglaterra e o Papa João Paulo II.

A projeção mundial do cacique Raoni se dá também, além da luta incessante pela vida indígena e pela floresta, por ser um líder imponente, determinado, astuto, interessado em política, carismático, estrategista e apaziguador.

Raoni é reconhecido rapidamente pela sua marca registrada o botoque, adorno que carrega no lábio inferior, representando seu compromisso com a terra na qual nasceu.

Veja Também:  PM lança Operação Visibilidade nesta sexta-feira (12) em Várzea Grande

Participaram da solenidade os gestores dos câmpus de Colíder, professor Marcelo Leando Holzschuh e o técnico Ilson Henrique Moreira e do câmpus de Barra do Bugres, professor Fernando Selleri Silva, como também os servidores do câmpus e parentes do cacique.

Faculdade Intecultural Indígena (Faindi) – A causa indígena faz parte da constituição histórica da Instituição. A Unemat foi pioneira no atendimento às populações indígenas em cursos superiores específicos e diferenciados, ofertados desde 2001. A Instituição se tornou referência no Brasil e na América Latina ­­­de ensino diferenciado e de valorização étnica. Nesse percurso de quase duas décadas, a formação de professores indígenas em nível de graduação já é uma prática consolidada na Unemat. Neste ano de 2020, a Unemat inicia também a oferta de formação em nível de mestrado para os povos indígenas, como o curso de Mestrado Profissional em Ensino em Contexto Indígena Intercultural.

A Faindi está ligada ao Câmpus Universitário Deputado Renê Barbour, no município de Barra do Bugres. Além destes cursos, especificamente destinados aos povos indígenas, a Instituição, desde 2016, conta com o sistema de cotas que reserva 5% das vagas em quaisquer cursos para alunos indígenas.

A Instituição prima pela oferta de cursos com articulação entre movimento indígena, discussões de território dos povos indígenas, valorização da identidade e da cultura e promove diálogos interculturais entre diferentes conhecimentos, saberes, valores e princípios dos povos originários do Brasil.

,Fonte: Assessoria

 

Barra News – A sua fonte diária de informação – Barra do Bugres MT

Comentários Facebook
Propaganda

Mato Grosso

Mato Grosso apresenta reduções de homicídios dolosos, feminicídios, roubos e furtos

Publicados

em

Apesar do aumento de ocorrências envolvendo drogas, o Estado aumentou a apreensão em 63%, somando mais de 8 toneladas até o momento

Julia Oviedo | Sesp-MT

Na avaliação do secretário Alexandre Bustamente, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos investimentos – Foto por: PMMT,

O estado de Mato Grosso apresentou redução nos principais índices de criminalidade nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2020. Os casos de homicídios dolosos reduziram 7%, com 316 ocorrências, perante 339 no ano passado. Já o número de feminicídios reduziu 30%, passando de 27 casos no anterior para 19 neste ano.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança Pública, vinculada à Adjunta de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Ainda em relação a crimes contra a vida, o roubo seguido de morte teve aumento de 14%, com 14 casos no ano passado e 16 neste ano.

Outros índices que também reduziram foram: roubos (-28%), furtos (-10%), roubo de veículos (-41%) e furto de veículos (-26%). Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, a redução dos principais índices acaba refletindo em uma maior sensação de segurança.

“São números que quando apresentam redução, você consegue perceber um grande aumento da sensação de segurança por parte da população, principalmente relacionado a roubos e furtos, que causam um incômodo muito grande para o cidadão”, disse Bustamante.

Tráfico de drogas

As ocorrências de tráfico e uso de drogas tiveram um aumento de 38% em relação a 2020. Em contrapartida, o número de apreensões de drogas em todo o estado aumentou 63%, passando de 5 toneladas em 2020 para mais de 8 toneladas de entorpecentes apreendidos este ano.

Na avaliação do secretário, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos grandes investimentos, que chegaram a mais de R$ 200 milhões.

“Nós temos a integração e o uso da inteligência como fator forte no estado. E os investimentos que o governo tem feito, com por exemplo um maior número de viaturas, investimentos em radiocomunicação digital, policiais em mais cantos do estado em circulação, possibilitando uma diminuição dos índices criminais”, finalizou Bustamante.

Veja Também:  Com pedido de liminar negado, ACITS aguardará julgamentos do mérito para abertura do Comércio

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Quarta-feira (16): Mato Grosso registra 434.016 casos e 11.549 óbitos por Covid-19

Publicados

em

Há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 83% para UTIs e 42% em enfermaria

Rose Velasco | SES-MT

Um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) – Foto por: Tchélo Figueiredo

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (16.06), 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.549 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.096 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.863 estão em isolamento domiciliar e 407.880 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 83,65% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (90.308), Rondonópolis (31.549), Várzea Grande (29.427), Sinop (21.092), Sorriso (15.018), Tangará da Serra (14.872), Lucas do Rio Verde (13.308), Primavera do Leste (11.054), Cáceres (9.359) e Alta Floresta (8.279).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na terça-feira (15.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.533.221 casos da Covid-19 no Brasil e 490.696 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.452.612 casos da Covid-19 no Brasil e 488.228 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quarta-feira (16.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Comentários Facebook
Veja Também:  Agora vai: ao custo de R$ 15 bilhões, Ferrogrão será licitada em outubro
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana