conecte-se conosco


Mulher

Vai adotar? Confira algumas dicas antes de dar as boas-vindas a um novo pet!

Publicados

em


source

Alto Astral

Vai adotar? Confira algumas dicas antes de dar as boas-vindas a um novo pet!
Reprodução: Alto Astral

Vai adotar? Confira algumas dicas antes de dar as boas-vindas a um novo pet!

Cheios de amor e charme, os vira-latas chamam atenção por onde passam com seus diferentes tamanhos, pelagens e personalidades. Logo, nada mais justo do que celebrar a existência desses bichinhos em um dia especial! Por isso, em 31 de julho é comemorado o Dia Internacional do Vira-Lata. Mas sabia que, felizmente, cães e gatos SRD (Sem Raça Definida) estão conquistando cada vez mais as pessoas?

De acordo com a pesquisa Radar Pet 2021, realizada pela Comissão de Animais de Companhia (COMAC) do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (Sindan), o número de animais de companhia nos lares brasileiros aumentou cerca de 30% durante a pandemia, com uma predominância maior de gatos. Outro dado interessante é que 23% dos tutores entrevistados adquiriram seu primeiro pet em meio ao isolamento social.

Em coletiva, Leonardo Brandão, coordenador da COMAC, destacou o crescimento da adoção no país e a importância dos pets para a saúde das pessoas. “O que percebemos é que as famílias adotaram mais, inclusive tendo um grande percentual de pessoas que adquiriram o primeiro pet durante a pandemia. Os animais de companhia são extremamente importantes para a saúde e bem-estar emocional das famílias durante esse período de estresse. E isso alavancou as adoções, que já eram uma tendência forte, mas foram alavancadas”, comentou.

No entanto, apesar dos números animadores e do fortalecimento dos laços entre tutores e pets, também apontado pela pesquisa, o Radar Pet 2021 estima ainda que cerca de 10 milhões de animais de companhia foram abandonados durante a pandemia. Uma das razões para o abandono seria a perda de poder aquisitivo de grande parte da população.

AAANO - adoção
Reprodução/ Instagram (@aaanovaodessa)

Thaisa Calvente, diretora da Focinhos de Luz, ONG localizada no Rio de Janeiro, lembra também que, além da questão financeira, muitas pessoas que nunca tiveram contato com animais buscaram adotar na pandemia. Logo, a iniciativa não foi positiva para todos, já que “pessoas sem vivência anterior com animais, sem nem mesmo saberem lidar com seus medos, inseguranças, colocaram dentro de casa um ser que também precisa de atenção”, afirma.

Veja Também:  O que faz cada signo feliz

Para Thiago Gomes Rodrigues, presidente da Associação Amigos dos Animais de Nova Odessa (AAANO), localizada no interior de São Paulo, com o isolamento, é natural as pessoas buscarem um animalzinho para não se sentirem carentes ou sozinhas. “Contudo, algumas empresas estão voltando às rotinas normais e o animal ficando sozinho em casa, pode ficar triste ou mais agitado. E isso pode preocupar ou irritar os donos, ocasionando na devolução ou abandono”, ele complementa.

Adoção consciente

Você viu?

A fim de evitar os abandonos, Thiago explica que na AAANO o processo de adoção é rigoroso: “Nossa entrevista é muito detalhada para evitar que ocorram devoluções de animais. Mas mesmo assim, alguns são devolvidos para o nosso abrigo, que hoje conta com 500 animais”. Segundo ele, nos casos de arrependimento, os tutores são orientados a arrumarem novos lares segundo as orientações da ONG ou então devem pagar uma multa, prevista em contrato.

Contudo, bem como ele pontua, quando um animal é retirado das ruas ou de um abrigo, levado para casa e depois devolvido, as mudanças de ambiente sofridas por ele acarretam em uma sensação negativa de abandono.

Em vídeo recente publicado no Instagram, a influenciadora e comunicadora Hana Khalil, que adotou seu primeiro cachorro, Astro, no início deste mês, defendeu a necessidade de respeitar e valorizar o sentimento dos animais. “Eles não são descartáveis, negociáveis, de momentos ou circunstâncias. Por falta dessa reflexão, a gente abre uma realidade para tantos pets passarem a vida sozinhos. Eles só querem amor e troca”, declarou.

Hana e Astro
Reprodução / Instagram (@khalilhana)

Portanto, é necessário adotar com muita responsabilidade e cuidado. Assim, com a ajuda de Thiago, o Alto Astral separou algumas dicas para se ter em mente antes de adotar um pet! Confira abaixo:

  • Certifique-se de que toda a família está de acordo com a adoção. “É preciso que todos os membros estejam em comum acordo, pois todos serão responsáveis por aquela vida que chega no ambiente”, esclarece Thiago.
  • Avalie se você tem espaço ou tempo suficiente para brincar com o animal. Afinal, pets são enérgicos e precisam gastar toda essa energia, especialmente quando filhotes.
  • No caso dos gatos, analise se você possui condições de telar o ambiente em que ele vai viver, para evitar fugas ou acidentes de quedas, principalmente no caso de prédios.
  • Considere que os animais precisam comer e viver em um ambiente limpo. Logo, “é preciso ter calculado custos veterinários e com remédios, pois são seres vivos e que merecem ir regularmente às consultas para saber se a saúde está ok”, como Thiago observa.
  • No caso das fêmeas, não hesite em realizar a castração! Além de evitar gravidez, diminui as chances de uma série de doenças que podem acometer os cachorros.
  • Sobre a última dica, Thiago é enfático: “Saiba que o animal será sua responsabilidade por anos, então retribua todo o amor e carinho que ele entrega. É uma troca mútua e que faz bem para os dois lados”.
Veja Também:  Sandálias no inverno: saiba como montar looks elegantes e quentinhos

Caso você não possa adotar um bichinho, Thaisa indica o voluntariado ou apadrinhamento em ONGs. Além disso, também é possível ajudar cães e gatos de rua resgatando-os e colocando-os para adoção responsável.

Por fim, caso você veja algum tipo de abandono ou maus-tratos, Thiago orienta denunciar na Zoonoses da sua cidade e registrar um boletim de ocorrência na DEPA (Delegacia Eletrônica de Proteção Animal). Afinal, abandono é crime previsto pela Lei Federal nº 14.064/20 .

Fontes : Leonardo Brandão, coordenador da COMAC (Comissão de Animais de Companhia); Thaisa Calvente, diretora da ONG Focinhos de Luz; Thiago Gomes Rodrigues, presidente da Associação Amigos dos Animais de Nova Odessa (AAANO).

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Propaganda

Mulher

London Fashion Week: diversidade e liberdade de expressão, a moda mudou?

Publicados

em


source
London Fashion Week
Carlos Moura

London Fashion Week


A London Fashion Weel (Semana de Moda de Londres) chega à 25ª edição e segue entre os mais badalados do meio . Entre as celebridades e modelos é possível encontrar executivos de outras áreas que analisam tendências e possibilidades para além do ambiente glamouroso e festivo. A semana da moda inglesa está no seu último dia e agitou a cidade de Londres, conforme conta a repórter brasileira Pandora.

Negra e curve, ela destaca como se sentiu acolhida nos primeiros dias de evento:  a diversidade estava presente entre os convidados e nas passarelas. Pandora está entre as três brasileiras convidadas para cobrir o evento que, devido a pandemia da covid-19, aconteceu em formato híbrido. No digital e no presencial, a repórter relata a diversidade do London Fashion Week.

Para cobrir o evento, Pandora vestiu looks assinados pela brasileira e trans Brisa Letro. “A ideia era de maneira simbólica dar voz àqueles que não tiveram a oportunidade de estar no evento: brasileiros, mulheres negras , o público LGBTQI+ , mulheres curvilíneas, entre outros.”

“A moda mudou: percebo um equilíbrio entre a discrição e o exagero”

A repórter relata que o London Fashion Week trouxe uma moda que se adapta para atender a todos os tipos de gostos. Algo que chamou a atenção foi a diversidade racial presente nas passarelas com modelos de várias etnias e idades. Apesar da diversidade desta edição, ainda tem a esperança do evento incluir modelos plus sizes e curvy .

“Roupas extravagantes e cores fortes, pessoas vestidas de maneira simples, ou seja, a moda tem a ver, principalmente, com estar bem consigo mesmo. Vestir o que te deixa confortável. Da mesma forma que tinham homens de terno e gravata, houve pessoas mais ousadas. Ou seja, não existe um padrão rígido quando se trata de moda” ressalta.

Outro destaque para Pandora foram as roupas sociais para ambos os sexos. “Percebo que a moda se equilibra entre a discrição e o exagero, que moda se adapta para atender a todos os tipos de gostos: muitos decotes mais profundos, saias curtas e looks discretos, formais”, ressalta.

Nas passarelas os  tons pasteis parecem voltar com força total nos looks apresentados, tanto nas roupas quanto nos acessórios e até nos produtos de beleza. “Vi muitos tons como bege, nude e azul claro nos tecidos, em bolsas e acessórios.” A  transparência apresentada em diversos tapetes vermelhos de premiações importantes também apareceu nas passarelas da semana de moda. Pandora acredita que a tendência reflete um desejo por mais liberdade de expressão.

A maquiagem que fez sucesso nos desfiles tem inspiração nos anos 90, trazendo sombras e cores fortes, como laranja e vermelho nos batons . O uso de  delineadores estilo gatinhopenteados com tranças também estavam presentes nos rostos e cabeças das pessoas modelos.

Encontro com Paul Costelloe

Paulo Costelloe é um designer de 76 anos e com uma trajetória reconhecida para além do universo fashion. Ele se tornou icône por ser escolhido como ‘o preferido’ por ninguém menos que a Princesa Diana. 

O designer esteve presente em todas as edições do evento e sempre trouxe modelos brasileiras em seus desfiles. Autor de criações sofisticadas e impecáveis no quesito elegância e glamour, ele proporcionou à Pandora um dos momentos mais inusitados do evento. Ao conhecê-la, Costelloe fez questão de dizer o quanto gosta das brasileiras e desenhou para ela o croqui de um sexy vestido.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

5 livros escritos por mulheres que precisam fazer parte da sua estante!

Publicados

em


source
5 livros escritos por mulheres que precisam fazer parte da sua estante!
Reprodução: Alto Astral

5 livros escritos por mulheres que precisam fazer parte da sua estante!

De acordo com uma pesquisa realizada em 2019 pela livraria virtual Wordery, 80% dos livros mais populares da história foram escritos por homens. Mas isso não quer dizer que as mulheres deixam a desejar no quesito escrita. Afinal, Agatha Christie, Virginia Woolf, Clarice Lispector, J.K.Rowling e muitas outras estão aí para provar o contrário.

No entanto, ao longo da história, as mulheres não foram encorajadas na mesma proporção que os homens. Inclusive, muitas autoras publicaram histórias com pseudônimos masculinos, como apontado por matéria publicada na BBC. Assim, quando falamos de clássicos da literatura, por exemplo, os primeiros titulos que vem a mente são de autores do sexo masculino.

Mas como mudar essa realidade, você deve estar se perguntando. Bem, a resposta é um tanto quanto simples: lendo mulheres! Por isso, abaixo o Alto Astral selecionou 5 títulos escritos por mulheres para você incluir na sua estante e prestigiar o trabalho de autoras. Confira:

Eu sei por que o pássaro canta na gaiola, Maya Angelou

A vida de Marguerite Ann Johnson foi marcada por três palavras: racismo, abuso e libertação. Negra e criada no sul por sua avó paterna, apenas a literatura e as palavras foram capazes de livrá-la dos enormes fardos impostos a ela pela vida.

Veja Também:  Slip dress: aprenda a usar camisola nos looks do dia a dia

Com uma escrita poderosa, Maya Angelou resgata suas memórias e transforma aqueles que leem sua obra.

Só dou flores aos vivos que não tem pressa, Louise Rama

A pandemia foi um período que marcou redescobertas para milhares de pessoas, seja sobre uma nova autopercepção, a noção do que realmente é prioridade, a verdadeira vocação, paixões escondidas, a força de superação e o renascimento do amor-próprio. E com todos esses temas se misturando, a escritora Louise Ramas, de 20 anos, lançou seu primeiro livro.

Na obra de poesias, a autora compila textos escritos durante a pandemia, tratando das várias facetas do amor, incluindo a perda e a reconquista.

Amar tá osso, Vanessa Bosso

Leia Também

Quando o assunto é escolher namorado, Cléo tem certeza que possui o dedo podre. Por isso, ela decide fugir de relacionamentos por um tempo. Assim, ela se dedica de corpo e alma à clínica veterinária que tem em sociedade com sua irmã, a Franciscão, e sufoca o amor que existe dentro de si. Contudo, um tiroteio em uma calma manhã de domingo promete mudar para sempre a vida da veterinária.

Responsabilidade curativa, Rebeca Virgínia

Aos 75 anos, a autora Rebeca Virgínia resgata sua jornada de estudos e descobertas após receber um diagnóstico que mudaria sua percepção de vida. Assim, ela divide com o leitor ou leitora seu conhecimento sobre Física Quântica, Epigenética, Constelações Familiares, neuroplasticidade e espiritualidade que reuniu ao não aceitar um diagnóstico, mostrando que nós controlamos nossa mente, vida e saúde.

Veja Também:  Previsões do amor para o fim de semana: 10 a 12 de setembro

Mulheres incríveis, Kate Schatz

Pirata. Espiã. Guerreira. Pintora. Presidenta. Atleta. Essas são apenas algumas das mulheres abordadas na obra de Kate Schatz!

Em um compilado que vai da Mesopotâmia até a Antártica e começa 430 anos antes de Cristo, inspire-se com a história de 44 mulheres extraordinárias que lutaram contra leis e desigualdade, moldando o futuro de muitas jovens e meninas.

Por todas nós – Conselhos que não recebi sobre luta, amor e ser mulher, Ellora Haonne

Influenciadora digital, Ellora Haonne é famosa por levantar reflexões sobre o que é ser mulher em seus vídeos. Assim, seu primeiro livro surge como aquela amiga que sempre nos ouve, entende e mostra, principalmente, que não estamos sozinhas em nossos sofrimentos diários e, portanto, precisamos questionar tudo aquilo que a sociedade impõe – sem julgamentos, padrões ou preconceitos.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA ATÉ O MOMENTO A GESTÃO DR. DIVINO PREFEITO DE BARRA DO BUGRES ESTÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana