conecte-se conosco


Carros e Motos

Veículos elétricos estão mais pertos do que você imagina

Publicados

em

source
Os veículos elétricos estão cada vez mais perto de todo mundo
Arquivo pessoal

Os veículos elétricos estão cada vez mais perto de todo mundo

Fala, galera. Beleza? Mais uma vez começo o texto agradecendo a todos que estão acompanhando essa coluna. Sem vocês, não faria sentido escrever. Escrevo para compartilhar minhas experiências, pensamentos e ideias em relação à mobilidade elétrica no Brasil.

Começo trazendo uma grande novidade: a inauguração da primeira estação DC Shell Recharge no Brasil .

Notícia passada, agora posso dizer que, mais cedo ou mais tarde, você utilizará um carregador de veículo elétrico. Mesmo que não tenha interesse em adquirir um automóvel 100% elétrico, a tecnologia de eletrificação está atingindo gradativamente todas as montadoras e modelos. 

É natural que tecnologias novas venham primeiro em veículos de luxo e depois sejam aplicadas em modelos mais básicos. Exemplos desse movimento: injeção eletrônica; direção hidráulica; airbag; abs; câmbio automático, etc.

Se você acha que a diversificação do motor elétroco está longe de ser realidade, a Volvo não vende mais veículos zero km no Brasil que não sejam pelo menos híbridos. Então, caso pense em comprar um Volvo, inevitavelmente levará um veículo eletrificado para casa. Outras montadoras estão navegando para o mesmo horizonte, como BMW, Mercedes, Porsche, JAC, Chevrolet, Ford, Renault e todas as marcas que fazem parte da Stellantis.

Veja Também:  Lamborghini Aventador SVJ Roadster está confirmado para o Salão de Genebra 2019

Além das marcas tradicionais, ainda temos outras que já chegam com a essência elétrica, como Tesla, BYD e GWM.

Tenho observado algumas situações inusitadas de usuários que possuem um veículo híbrido, ou mesmo 100% elétrico, que não têm ideia como utilizar um carregador. Não são poucas as vezes em que deparamos com pessoas que se quer sabem como funciona a lógica de um carregamento. Vejo muita gente que procura por carregadores mais potentes e não entendem o porquê de a carga não ser tão rápida quanto gostaria, sem saber das particularidades de cada modelo.

Em um passado não tão distante as pessoas compravam um carro com ABS, passavam por uma emergência e não sabiam usar o sistema. No momento que pisavam fundo, sentiam o pedal trepidar e tiravam o pé com receio de ser algum problema. Convenhamos, são consumidores que decidiram comprar um carro e levaram para casa uma sopa de letrinhas (ABS, EBD, ACC, ASR, BAS, BLIS, DSR…).

Se você já decorou todas essas siglas, esteja convidado para conhecer agora as novas letrinhas que farão parte do seu dia a dia:

  • AC – Alternating Current / Corrente Alternada
  • DC – Direct Current / Corrente Contínua
  • kWh – kiloWatts hora
  • CCS2 – Combined Charging System 2 (padrão europeu para corrente contínua)
  • ChadeMO – CHArge de MOve (padrão japonês para corrente contínua).
Veja Também:  Viagem com carro elétrico? A estrada nos chama

É bem provável que as pessoas mais reticentes sejam alcançadas primeiro por um veículo híbrido, tanto HEV quando PHEV (olha mais algumas siglas para aprender), porque as montadoras usarão esse sentimento de resistência para entuchar motores à combustão, que já tiveram alto custo de desenvolvimento e precisam gerar retorno.

Não vislumbro grandes investimentos para evolução de motores, pois mesmo despejando uma montanha de dinheiro, nenhum motor à combustão conseguirá atingir a eficiência energética de um elétrico. No máximo, ficará restrito à função de gerador de algum veículo EREV equipado com um pequeno REX (eita quantidade de letras que não acaba!).

A lista de exemplos é longa e deixarei para outro texto, mas acredito que consegui transmitir a minha ideia. Querendo ou não, a eletrificação dos carros elétricos te alcançará antes do que você imagina.

Mais uma vez, meu caro leitor, te chamo para uma reflexão: será que você realmente está tão distante de um veículo elétrico quanto imagina?

Até o próximo texto.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

VW Nivus Highline 2022: como anda o meio hatch meio SUV

Publicados

em

Por

source
VW Nivus Highline: Testamos na cidade, na estrada, na terra batida e na lama
Guilherme Menezes/ iG Carros

VW Nivus Highline: Testamos na cidade, na estrada, na terra batida e na lama

O VW Nivus é um verdadeiro crossover de SUV, cupê e hatch. Quando comparado ao Polo — de quem o VW Nivus foi derivado — o modelo Highline (R$ 136.270) dos nossos testes tem algumas vantagens. A maior parte delas, de fato, servem para agradar as pessoas que procuram atributos mais “descolados” em um carro.

Dois dos pontos que chamam atenção no VW Nivus Highline da linha 2022 é vão livre do solo (17,6 cm ante 14,9 cm) e o espaço interno, inclusive o porta-malas (415 litros ante 300 litros). Outro é o bom acabamento, com aplique preto brilhante no painel e tecido de boa qualidade nos bancos.

Ainda falando do interior, há espaço para cinco ocupantes e bagagens. Quem vai sentado no banco traseiro conta com saídas do ar-condicionado, o que contribui com o conforto, mas a distância entre-eixos é praticamente igual à do hatch compacto Polo (2,57 m) e, por isso, o espaço para os joelhos deixa um pouco a desejar. 

A nova  central multimídia do VW Nivus funciona em conjunto com o aplicativo VW Play Apps , além das parcerias com Estapar, Waze, iFood, Deezer, entre outros. Conta com tela de 10,1 polegadas sensível ao toque, com Apple Car Play e Android Auto e comando por voz.

Veja Também:  Renault Duster 2.0 com tração dianteira e  Captur mais em conta saem de linha

Por meio dela, também é possível pagar estacionamentos , o Zona Azul, bem como pedir um guincho em caso de defeito, ou escolher algo para comer a ser entregue em algum endereço. Além disso, há o “Modo Vallet”, que bloqueia informações pessoais do usuário, ao ser ativado.

No asfalto, o Nivus mostra a qualidade de aliar bom desempenho com baixo consumo, além de ser ágil nas manobras. O motor 1.0 turboflex , de três cilindros, com câmbio automático sequencial de seis marchas é suficiente para ultrapassagens seguras. Nesse quesito, também conta com AEB (Frenagem Autônoma de Emergência), ACC (Controle Adaptativo de Cruzeiro) e ISOFIX.

Seus 128 cv e 20,4 kgfm a 2.000 rpm se traduzem em respostas rápidas aos comandos do acelerador. Mas isso com o câmbio no modo “S”, já que, fora dele, as reações se mostram mais “anestesiadas”. De acordo com a fabricante, para ir de 0 a 100 km/h, o carro precisa de bons 10 segundos.

Com as mãos no volante multifuncional , revestido de couro, e com hastes atrás, a direção é precisa em velocidade e leve ao estacionar. E a suspensão trabalha bem tanto para absorver as irregularidades do piso quanto para manter o carro estável nas curvas, inclusive, em estradas de terra.

Veja Também:  Podcast de hoje mostra 10 carros bastante aguardados para 2022

Levantamos poeira em alguns trechos e comprovamos que o Nivus vai bem na terra, contanto que você passe apenas por caminhos de terra batida e com obstáculos fáceis de serem superados, longe de trilhas e lamaçais, que provocaram algumas escorregadas nos nossos testes.

Para quem vai pegar estrada, o tanque de 52 litros pode ficar pequeno, limitando a autonomia . Mesmo assim, conforme dados do Inmetro, o Nivus pode rodar 489 km com etanol e 686 km com gasolina, em uso rodoviário, fazendo 9,4 km/l e 13,2 km/l, respectivamente. Na cidade, faz 7,7 km/l com etanol e 10,7 km/l com gasolina.

Conclusão

Depois de ter experimentado o VW Nivus Highline nas mais diversas condições de asfalto, ficou claro que o acerto, tanto do conjunto mecânico quanto do estrutural, são pontos altos. Para quem gosta de dirigir, estar ao volante de algo que tem aparência de um SUV, mas que anda como um hatch bem acertado, deixa boa surpresa.

Ficha técnica, VW Nivus Highline

Preço: A partir de R$ 136.270

Motor: 1.0, quatro cilindros, flex, turbo

Potência: 128 cv (E) / 116 cv (G) a 5.500 rpm

Torque: 20,4 kgfm a 2.000 rpm

Transmissão: Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / sólido (traseiros)

Pneus: 205/55/R17

Dimensões: 4,27 m (comprimento) / 1,75 m (largura) / 1,49 m (altura), 2,57 m (entre-eixos)

Tanque: 52 litros

Porta-malas: 415 litros

Consumo gasolina: 7,7 km/l (cidade) / 9,4 km/l (estrada), com etanol e 10,7 cidade e 13,2 km/l na estrada, com gasolina

0 a 100 km/h: 10 segundos

Velocidade máxima: 189 km/h

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Saiba tudo sobre o carro elétrico que Gil do Vigor deu para sua irmã

Publicados

em

Por

source


Caoa Chery iCar tem autonomia estimada em 282 km. de acordo com dados da marca chinesa
Divulgação

Caoa Chery iCar tem autonomia estimada em 282 km. de acordo com dados da marca chinesa

A Caoa Chery  lança seu primeiro subcompacto elétrico no Brasil, o iCar com motorização 100% elétrica da marca. Importado da China, onde é vendido há cinco anos, está em sua quarta geração, já teve mais de 200 mil unidades vendidas. Logo que o carro chegou ao Brasil, o ex-BBB Gil do Vigor resolveu presentear a irmã com o modelo .

Gil do Vigor resolveu caprichar no presente para sua irmã. Nesta sexta-feira (24), Juliana ganhou um carro elétrico branco
Reprodução

Gil do Vigor resolveu caprichar no presente para sua irmã. Nesta sexta-feira (24), Juliana ganhou um carro elétrico branco


Para garantir leveza, a Caoa incorporou ao hatch elétrico alguns compoentes de alumínio de aviação com polímeros de alta resistência. A empresa explica que isso garante economia na produção, resistência às diversas condições climáticas e 20% a 30% mais leve em relação às carrocerias em aço.

Veja Também:  Como é a rede de carga para carros elétricos da Shell? Ouça no podcast

Antes de chegar, o iCar teve a suspensão reforçada, além de adaptações no motor. Sua bateria tem com capacidade total de 30,8 kWh, com sete estágios de regeneração de energia, e o motor com potência de 45 kW (61 cv) e torque de 15,3 kgfm . A autonomia é de 282 km.

Segundo a fabricante chinesa , a bateria pode ser carregada em apenas 36 minutos em estações de carga rápida (eletropostos), em pelo menos cinco horas em sistema de carregamento portátil e em onze horas com cabo emergencial em tomada de três pinos.

Equipado com kit de reparo de pneus, o Caoa Chery iCar traz ainda cabo portátil de carregamento de emergência – 220V / 20ª , além de monitor de pressão e temperatura dos pneus, câmera traseira e sensor de estacionamento, controle de estabilidade e freio eletrônico AutoHold, entre outros itens.

Na parte interna, o iCar traz painel de Instrumentos é em LCD, digital e colorido e a multimídia de 10,25” e tela colorida sensível ao toque. Os bancos dianteiros possuem regulagem elétrica, volante multifuncional, além de duas entradas USB e carregamento de celular wireless.

De acordo com a Caoa Chery , o iCar será comercializado no mercado brasileiro em versão única por R$139.990 . Trata-se do modelo elétrico mais em conta disponível no Brasil hoje em dia. Custa menos que o Renault Kwid e-Tech (R$ 142.990).

O Caoa Chery iCar é menor que um  Fiat Mobi  ou  Renault Kwid  (3,68 m ante 3,20 m do Caoa Chery). Apesar de pequeno, o modelo traz o visual do eQ1 chinês, mas com algumas diferenças, como as luzes de neblina em formato redondo, ao invés do vertical do modelo chinês.

O elétrico da Caoa Chery também traz a configuração 2+2, com os assentos traseiros sendo bem pequenos, mas conta com teto panorâmico, assistente de partida em rampa e de descida.

Além disso, o  iCar  ainda traz controle de ar-condicionado no volante, 7 configurações de regeneração de baterias, suspensão independente, freios a disco nas quatro rodas. O porta-malas é de apenas 100 litros, mas pode ser expandido para 380, caso os bancos traseiros sejam rebatidos, entre outros itens.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana