conecte-se conosco


Carros e Motos

Veja 5 sedãs médios seminovos pelo preço de compactos zero quilômetro

Publicados

em

Sedã zero ou seminovo? São vários os fatores que devem ser colocados na ponta do lápis antes de comprar um carro, mas um deles é absolutamente inquestionável. Você terá a possibilidade de levar um carro mais equipado, espaçoso e potente se apostar no mercado dos sedãs médios seminovos.

LEIA MAIS: Veja 5 motivos para comprar VW Saveiro e não a líder Fiat Strada

Com três ou quatro anos de mercado, a maior parte dos modelos já sofreu a depreciação inicial. Isso deixa os seminovos muito mais atrativos, uma vez que o consumidor será capaz de levar um Cruze pelo mesmo valor do Cobalt, por exemplo. Partindo disso, a reportagem do iG Carros elege cinco sedãs médios seminovos
que custam o mesmo que modelos compactos zero quilômetro. Acompanhe as sugestões!

1 – Honda Civic LXS 1.8 AT 2015 – entre R$ 53 mil e R$ 55 mil


Honda Civic é uma das melhores opções entre os sedãs médios seminovos, custando menos que um City zero km
Divulgação

Honda Civic é uma das melhores opções entre os sedãs médios seminovos, custando menos que um City zero km

Se interessou na linha Honda City 2019? Saiba que é possível comprar o irmão médio Civic
por quase R$ 10 mil a menos que a sua versão de entrada. A Honda divulga que o City parte de R$ 62.500 na versão DX com motor 1.5 e câmbio manual. Mas por valores entre R$ 53 mil e R$ 55 mil, é possível encontrar o Civic 2015 com câmbio automático e diversos atrativos nos melhores classificados online.

Além do entre-eixos, que é 6 cm maior no Civic, o modelo médio conta com ar-condicionado, central multimídia com as conectividades Bluetooth, USB e auxiliar, computador de bordo e direção assistida. O motor 1.8, de 140 cv de potência e 17,7 kgfm de torque também é um dos pontos-chave, bem mais forte que os 116 cv do City. O único ponto em que o sedã médio fica devendo é no espaço do porta-malas, com escassos 449 litros contra 536 l do City. Mesmo assim, continua sendo uma compra segura.

Veja Também:  Volkswagen terá novo SUV abaixo do T-Cross no ano que vem

2 – Toyota Corolla GLi 1.8 AT 2015 – entre R$ 62 mil e R$ 68 mil


O badalado Toyota Corolla é destaque entre os sedãs médios seminovos do Brasil. Pode até roubar clientes do Etios
Divulgação

O badalado Toyota Corolla é destaque entre os sedãs médios seminovos do Brasil. Pode até roubar clientes do Etios

As pessoas sempre pagaram caro pelo Corolla GLi
e continuarão fazendo isso com o modelo seminovo. Repare que ele chega a custar R$ 10 mil a mais que o próprio Civic, fabricado no mesmo ano. Mas ele ainda surge como um bom negócio, comparando com o Etios Sedan X Plus 2019 que chega a custar R$ 63.990.

LEIA MAIS: Confira os 10 carros seminovos mais vendidos do Brasil em 2018

São 2,70 metros de entre-eixos no Corolla contra apenas 2,55 m do Etios. Portanto, se você já tem filhos adolescentes, o sedã médio poderá ser a melhor opção. Sem falar no competente motor 1.8 de 144 cv e 18,1 kgfm de torque, aliado ao câmbio CVT que já simula sete marchas. O Corolla é uma das compras mais racionais que um cliente pode fazer no mercado de seminovos, ainda mais considerando que foi o modelo mais emplacado de sua categoria.

3 – Chevrolet Cruze LT 1.8 2015 – entre R$ 55 mil a 58 mil


A lista dos sedãs médios seminovos que custam o mesmo que compactos não poderia ficar sem o Cruze Sedan
Divulgação

A lista dos sedãs médios seminovos que custam o mesmo que compactos não poderia ficar sem o Cruze Sedan

Como modelo global da GM, o Cruze ficou conhecido por introduzir algumas tecnologias valorizadas entre os modelos médios, como controle eletrônico de estabilidade e central multimídia com tela sensível ao toque e entrada USB. Na linha 2015, o carro tem desenho que ainda se mantém atual, embora tenha mudado bastante em relação à geração seguinte, vendida hoje em dia.

Veja Também:  Volvo S60 chega ao Brasil pela primeira vez no Shopping JK Iguatemi

O motor é o 1.8 Ecotec, de quatro cilindros, de 144 cv, que funciona com o hesitante câmbio automático de seis marchas. Pode não ser um dos conjuntos mais eficientes, mas garante bom desempenho e conforto tanto na estrada quanto em trechos urbanos. O espaço interno elogiável, com bons 450 litros no porta-malas e espaço suficiente para cinco ocupantes viajarem sem aperto. Custa menos que o Prisma LT 1.4 novo, tabelado em R$ 59.990.

4 – Nissan Sentra SL 2016 – entre 53 mil e 55 mil


Pode valer mais a pena comprar o Sentra entre os sedãs médios seminovos que investir no Versa
Divulgação

Pode valer mais a pena comprar o Sentra entre os sedãs médios seminovos que investir no Versa

Entre os principais destaques do Sentra é o espaço interno. É um pouco maior que os principais rivais, com entre-eixos de 2,70 metros. E no porta-malas carvernoso vão 503 litros. O silêncio ao rodar é outro qualidade do carro, que vem com motor 2.0, de 140 cv e pacato câmbio automático CVT, que procura manter o ponteiro do contagiros sempre baixo.

Em 2016 o sedã médio estava prestes a receber uma reestilização, que se concentrou na frente. Por dentro, as diferenças são mais discretas e o acabamento conta com certo capricho e boa ergonomia. Dentro do Grupo Renault-Nissan, o sedã compacto Logan 1.6 parte de R$ 60.790 com câmbio manual, de cinco marchas, bem mais simples que o Sentra.

5 – VW Jetta Comfortline 2.0 – entre 56 mil e R$ 58 mil


Finalizamos a lista dos sedãs médios seminovos com o Jetta 2.0, que ainda é tão barato quanto um Voyage novo
Divulgação

Finalizamos a lista dos sedãs médios seminovos com o Jetta 2.0, que ainda é tão barato quanto um Voyage novo

A versão mais em conta do Jetta da geração anterior vem com motor 2.0, de 8 válvulas e 120 cv, que funciona com câmbio automático de seis marchas. Apesar de ser de concepção antiga, destaca-se pelo baixo custo de manutenção e por responder com certa agilidade em baixa rotação.

LEIA MAIS: Golf seminovo ou Polo zero? Conheça 5 hatches médios pelo preço de compactos

Diferente da versão topo de linha Highline, com motor 2.0 turbo, a mais simples vem com eixo de torção na traseira, uma solução mais em conta que não garante a mesma estabilidade, mas fica a contento. Leva 510 litros no espaçoso no porta-malas e tem o essencial do conforto, como ar-condicionado digital e sensores que acionam os faróis e o limpador de para-brisa. Entre os sedãs médios seminovos
, custa menos que o Voyage 1.6 novo, cotado em R$ 58.400.

Comentários Facebook
Propaganda

Carros e Motos

BMW 320i M Sport: um sedã premium de bom gosto

Publicados

em


source
BMW 320i M Sport traz pacote esportivo inspirado na 'BMW Motorsport', o que inclui as rodas de aro 19 diamantadas
Divulgação

BMW 320i M Sport traz pacote esportivo inspirado na ‘BMW Motorsport’, o que inclui as rodas de aro 19 diamantadas

O BMW Série 3 é um carro fora da curva. Enquanto as rivais do ‘trio de ferro alemão’ focam nos SUVs como modelos de volume, o sedã premium é o carro mais vendido da marca bávara no Brasil –  muito à frente de seu utilitário de maior destaque, o BMW X1.

Isso fica bem evidente no fechamento das vendas do primeiro semestre de 2021. Segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), a BMW emplacou 2.983 unidades do Série 3 nos seis primeiros meses deste ano. Isso coloca o sedã de luxo na posição de veículo premium mais vendido do Brasil. Já o X1 teve apenas 1.459 unidades emplacadas neste período.

Produzido em Araquari (SC), o BMW Série 3 pode ser adquirido nas versões 320i GP (R$ 267.950), 320i Sport GP (R$ 284.950), 320i M Sport (R$ 299.950), 330e M Sport (R$ 354.950) e M340i xDrive (R$ 542.950). Os três pacotes mais em conta são responsáveis pela maior parte do volume das vendas do sedã no Brasil.

Para nosso contato com o sedã, a BMW emprestou a versão 320i M Sport , com rodas diamantadas aro 19 de cinco raios, revestimento interno na tonalidade marrom-conhaque e acabamento do painel em imitação de alumínio. Um verdadeiro charme! Afinal, não basta ter dinheiro para comprar um 320i. O bom gosto também é necessário.

Equipamentos

O pacote de segurança traz seis airbags (frontais, laterais e cortina), assistente de permanência em faixa, alerta de tráfego cruzado, sistema de frenagem de emergência, assistente de partida em rampa, alerta de colisão frontal e controle de estabilidade e tração.

Veja Também:  Novos híbridos japoneses conseguem unir versatilidade e economia

Na parte de conforto, a versão tem ar-condicionado digital de três zonas (motorista, passageiro e banco traseiro), assentos dianteiros com regulagens elétricas, controle automático de velocidade, assistente de estacionamento semiautomático, chave presencial com sistema start-stop e teto-solar.

A central multimídia tem conexão sem fio para celulares. Dessa forma, o motorista não precisará plugar o cabo para replicar aplicativos como Waze, Spotify e Whatsapp na tela de nove polegadas. Apesar de ser um recurso interessante, a conexão sem fio dá algumas ‘engasgadas’, interrompendo músicas por alguns segundos.

O Série 3 tem espaço suficiente para levar quatro adultos e uma criança com conforto. O túnel central é alto por conta do eixo cardã que transfere a força às rodas traseiras. Logo, sentar ao centro do banco traseiro pode não ser tão aconchegante, dependendo da altura do passageiro.

Apesar de estar maior nessa geração – com 4,70 m de comprimento, 1,82 m de largura e 2,85 m de entre-eixos –  o 320i M Sport está longe de ser desengonçado. O diâmetro de giro é de apenas 11,4 metros, proporcionando manobras precisas e pouco esforço para estacionar, mesmo nas vagas mais apertadas.

O porta-malas é o grande pênalti deste belo sedã catarinense com sotaque alemão. Ele tem apenas 365 litros, graças ao estepe que rouba espaço. A alça no estilo ‘pescoço de ganso’ também não é a melhor alternativa para otimizar a área útil do compartimento.

Você viu?

Sedã bom de guiar

É realmente uma pena. Com mais espaço no porta-malas, o BMW 320i M Sport seria o carro ideal para viajar. Abaixo do capô, a BMW instalou o motor 2.0 turbo de 184 cv de potência e 30,6 kgfm de torque, com câmbio automático de oito marchas, que transmite sua força apenas às rodas traseiras.

Este é o ponto em que o modelo se destaca dos rivais: a dirigibilidade. Por conta da tração traseira, o BMW 320i tem melhor transferência de peso durante as acelerações e um estilo de condução mais direto.

BMW 320i M Sport traz a melhor sensação ao volante da categoria, justificada pela tração traseira
Divulgação

BMW 320i M Sport traz a melhor sensação ao volante da categoria, justificada pela tração traseira

Modelos de tração traseira também possuem maior capacidade de reboque e são melhores encarando aclives. O ótimo raio de giro que mencionamos anteriormente também é uma característica que se deve a este tipo de tração.

Veja Também:  Mercedes GLB Launch Edition:  assista ao vídeo do SUV mais vendido da marca

O BMW 320i M Sport é um daqueles carros que poderia passar horas guiando sem me cansar. A posição de dirigir é ótima, com o assento do motorista posicionado mais baixo, deixando o condutor próximo do centro de gravidade. Na comparação com os sedãs da Mercedes-Benz e Audi, o volante é pesado na medida certa.

Segundo a BMW, o 320i pode acelerar de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos, com velocidade máxima de 240 km/h. O consumo de combustível, de acordo com o Inmetro, é de 11,1 km/l na cidade e 12,5 km/l na estrada, sempre com gasolina.

A suspensão é bem calibrada para o nosso asfalto judiado. O 320i tem bom balanço vertical, filtrando a maioria das imperfeições. Em curvas mais rápidas, a suspensão traseira no arranjo multibraço contém a rolagem da carroceria, garantindo mais estabilidade ao sedã.

Conclusão

O BMW 320i M Sport mereceria ‘nota 10’, se não fosse pelo pouco espaço do porta-malas. Pneus run-flat fariam mais sentido, uma vez que abdicam da necessidade do estepe, que é um item obrigatório por lei no Brasil.

Estamos falando de um sedã imponente, gostoso de dirigir e prático, do jeito que só os alemães conseguem desenvolver. A liderança absoluta do segmento premium é merecida, e não há sinais de que o Série 3 possa perder este posto nos próximos anos.

Ficha técnica: 320i M Sport Preço: R$ 299.950 Motor: 2.0, turbo, gasolina Potência: 184 cv Torque:  30,6 kgfm Transmissão: automática, oito velocidades, tração traseira Suspensão: McPherson (dianteira), multibraço (traseira) Freios: discos ventilados (dianteira e traseira) Proporções: 4,70 m de comprimento, 1,82 m de largura e 2,85 m de entre-eixos Porta-malas: 360 litros 0 a 100 km/h: 7,2 segundos Velocidade máxima: 240 km/h Consumo: 11,1 km/l na cidade; 12,5 km/l na estrada (Inmetro)

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

VW mostra Nivus na Alemanha com outro nome entre as mudanças

Publicados

em


source


VW Taigo vem com fillede de LED na grade dianteira entre as diferenças em relação ao Nivus brasileiro
Divulgação

VW Taigo vem com fillede de LED na grade dianteira entre as diferenças em relação ao Nivus brasileiro

A Volkswagen apresenta o Taigo , o novo SUV com ares de cupê, totalmente baseado no Nivus brasileiro. O Taigo será o primeiro modelo fabricado e vendido no mercado europeu, após ter sido desenvolvido na região América do Sul.

Produzido na moderna fábrica da Volkswagen em Pamplona, na Espanha, o Taigo utiliza a plataforma  Modular MQB , e tem como autores do design os irmãos José Carlos Pavone, chefe de design da Volkswagen SAM , e Marco Pavone, chefe de design exterior da Volkswagen na Alemanha.

Produzido na moderna fábrica da Volkswagen em Pamplona, na Espanha, o Taigo utiliza a Estratégia Modular MQB
Divulgação

Produzido na moderna fábrica da Volkswagen em Pamplona, na Espanha, o Taigo utiliza a Estratégia Modular MQB

Considerado o primeiro veículo 100% desenvolvido na América Latina que será produzido e comercializado no mercado europeu; o Taigo traz o design exclusivo do Nivus , arrojado e com linhas que remetem a um cupê esportivo, até então desconhecido no segmento de SUVs entre os europeus.

Veja Também:  Volkswagen terá novo SUV abaixo do T-Cross no ano que vem

Com relação a equipamentos de conforto e segurança, o Taigo segue a linha do Nivus , como o ACC (Controle Adaptativo de Cruzeiro), AEB (Frenagem Autônoma de Emergência), Post-Collision Brake, Alerta de Fadiga, sistema Kessy, ESC (controle de estabilidade), ASR (controle de tração), XDS+ (bloqueio eletrônico do diferencial), entre outros itens.

Tal como o Nivus , o Taigo também contará com motores TSI. No caso das versões vendidas no Brasil, temos o 1.0 turboflex, capaz de render 128 cv e 20,4 kgfm de torque com apenas etanol no tanque, números suficientes para acelerar de 0 a 100 km/h em 10 segundos e atingir 189 km/h, conforme a fabricante.

O interior do VW Taigo tem uma combinação de cores mais ousada, o que não acontece com o Nivus do Brasil
Divulgação

O interior do VW Taigo tem uma combinação de cores mais ousada, o que não acontece com o Nivus do Brasil


Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

"2021" QUAIS SÃO AS SUAS EXPECTATIVAS PARA ESTE ANO QUE SE INICIA

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana