conecte-se conosco


Política MT

Viviane Cantarella e Queila Ribeiro são as convidada do sétimo episódio do “Palco pra 2”

Publicados

em

Sentimentos, verdades e intensidades estão no trabalho dessas duas artistas que compartilham histórias parecidas com a música

Foto: Helder Faria

O programa musical “Palco pra 2” recebe as cantoras e compositoras Viviane Cantarella e Queila Ribeiro. Elas contam um pouco do trabalho e da trajetória musical, além de dividirem o palco no sétimo episódio do projeto, que vai ao ar neste sábado (9), na TV Assembleia (canais 30.1 e 30.2), às 12h30 e às 18h30.

Sentimentos, verdades e intensidades estão no trabalho dessas duas artistas que compartilham histórias parecidas com a música. Ambas iniciaram no meio musical bem cedo e além de cantoras, também compõem. Vozes potentes que expressam com delicadeza e força os arranjos criados ou as interpretações.

Queila Ribeiro é natural de Cuiabá, mas explica que as vivências de outros estados e parcerias musicais, além de Mato Grosso, fazem parte das inspirações para criar seus arranjos e composições. “O processo de construção de um trabalho musical é demorado para mim. A inspiração vem de momentos e vivências”, afirma. A música “Ama”, foi a composição escolhida para abrir a apresentação.

Veja Também:  Faturas de serviços essenciais terão mensagem de incentivo à doação de sangue

Há mais de 20 anos se apresentando nas noites cuiabanas, a artista Viviane Cantarella, em 2021, gravou um DVD comemorativo com sucessos da carreira e novos trabalhos. Com uma identidade musical voltada para o pop rock, ela falou da experiência de desbravar também os ritmos sertanejos. Com o movimento e o destaque das mulheres nesse ritmo, eu experimentei e gostei de fazer músicas sertanejas. Hoje integra meu repertório”, fala com orgulho.

Cantarella revela ainda que tinha vergonha de fazer algumas músicas como a que trouxe para o palco do programa: “Espelhos”. “As vivências vão encorajando à inovar e apresentar produções próprias”, afirma.

As artistas dividiram canções e falaram da experiência de voltar a ocupar os palcos depois da pandemia. Segundo elas, apesar do afastamento de ter sido um período que permitiu descobertas sobre outras formas de se apresentar para as pessoas e fazer música, cantar diante do público permite uma vivência mais intensa que consolida o trabalho.

“Palco pra 2”: programa Idealizado pela Secretaria de Comunicação da ALMT, com execução da produtora Monkey Filmes, tem entre o objetivo de divulgar a música autoral produzida em Mato Grosso. Ao todo, são dez episódios, cada um deles reúne dois nomes da música brasileira produzida em Mato Grosso.

Veja Também:  Projeto de Lei quer dar maior transparência a ações do Estado

O programa é exibido aos sábados, às 12h30 e 18h30, com reprises no domingo (11h30 / 21h), na terça (12h30 /22h) e na sexta-feira (12h30 / 22h).

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Propaganda

Política MT

Lei orçamentária exerce o controle externo sobre as finanças governamentais

Publicados

em

É a LOA quem exerce o controle externo sobre as finanças governamentais. Assim, o texto da lei, do ano seguinte, precisa ser aprovado em duas votações pelos deputados até a última sessão legislativa do ano

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A peça orçamentária que a autoriza o Poder Executivo a aplicar os recursos arrecadados na manutenção das atividades da administração pública, fazer investimentos e pagar os credores é a Lei Orçamentária Anual (LOA).  Essa lei funciona como um direcionamento para os gastos e despesas do governo, além de indicar o orçamento financeiro disponível para o ano seguinte.     

Além disso, ela demonstra a prioridade dos gastos e investimentos em áreas estratégicas para alcançar os resultados esperados pelo governo inclusos no PPA. O projeto de lei deve ser encaminhado, anualmente, pelo Executivo estadual até 30 de setembro para a discussão e votação na Assembleia Legislativa.   

Para aprová-la em plenário, os deputados precisam discutir a LOA, em pelo menos duas audiências públicas, com a presença do cidadão mato-grossense. Essa peça compreende o orçamento fiscal referente aos poderes do Estado, seus fundos, órgãos e entidades da administração pública direta e indireta.     

Veja Também:  Programa "Pela Ordem" leva o cotidiano do Parlamento para os ouvintes da Rádio Assembleia

Ela precisa ser votada e aprovada pelo voto da maioria absoluta (13) dos deputados. É a LOA quem exerce o controle externo sobre as finanças governamentais. Assim, o texto da lei, do ano seguinte, precisa ser aprovado em duas votações pelos deputados até a última sessão legislativa do ano, normalmente antes do final do ano corrente.  

  Além disso, a LOA define o orçamento de investimento das empresas em que, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital social com direito a voto. A lei determina o orçamento de seguridade social, abrangendo todas as entidades e órgãos a ela vinculados, da administração pública direta ou indireta bem como os fundos instituídos e mantidos pelo poder público. 

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

LDO é instrumento que orienta à elaboração fiscal do governo

Publicados

em

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) é o primeiro instrumento que define o ciclo orçamentário que compõe o plano de trabalho de um governo. Esse documento detalha quais sãos as diretrizes à distribuição do orçamento. Ela tem duração de um ano e normalmente é aprovada no meio do ano, antes do recesso parlamentar de julho.   

Esse instrumento define, anualmente, as metas e prioridades do governo para o próximo ano. É a lei que estabelece as regras para a formatação da LOA e alcance das metas e desenvolvimento das ações previstas no PPA. Sua principal finalidade é orientar a elaboração dos orçamentos fiscal, da seguridade social e de investimento do Poder Público.   

A proposta deve ser encaminhada, anualmente, até 30 de maio, para a discussão e votação pelos parlamentares na Assembleia Legislativa. De acordo com a Constituição estadual, a sessão legislativa não será interrompida sem a aprovação do projeto de lei de diretrizes orçamentárias. Enquanto isso, para o Tribunal de Contas do Estado, a LDO deve ser enviada ao até o dia 31/12 do ano em que for aprovada, para vigorar no ano subsequente. 

Veja Também:  Ulysses Moraes já destinou mais de R$ 1 milhão para causa animal em MT

 Ela compreenderá as metas e prioridades da Administração Pública, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente, orientará a elaboração da lei orçamentária anual, disporá justificadamente, sobre alterações na legislação tributária.  

De acordo com a Constituição do Estado de Mato Grosso, em seu artigo 164 e parágrafo 4º, as emendas ao projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias não poderão ser aprovadas quando forem incompatíveis com o Plano Plurianual.  

Antes de o governo elaborar a proposta, a equipe econômica e de planejamento realizam consultas públicas com participação popular, por meio de audiências públicas. Pode-se dizer que a LDO serve como um ajuste anual das metas colocadas pelo PPA. Entre as regras que ela define, por exemplo, está a despesa com pessoal e encargos sociais dos Poderes e órgãos autônomos.  

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

QUEREMOS SABER SUA OPINIÃO

EM SEU PONTO DE VISTA A GESTÃO AZENILDA PEREIRA SERÁ?

Barra do Bugres e Região

Mato Grosso

Agronegócio

Mais Lidas da Semana